- Publicidade -

Dianteira Volvo XC40 elétrico Recharge Pure Electric

Mais barato que um XC60 híbrido de entrada, XC40 elétrico impressiona pela agilidade

Há algum tempo atrás seria difícil imaginar que teríamos um carro sem nenhum botão para ligar o motor ou acionar o freio de estacionamento. Mas esse modelo já existe no Brasil e atende pelo nome de Volvo XC40 Recharge Pure Electric. Apesar do batismo extenso, o XC40 elétrico sintetiza como será o futuro da marca sueca em todo o mundo.

Essa avant-première dos novos tempos da Volvo tem a ver com o fato de que, a partir de 2030, todos os carros da marca serão totalmente elétricos. Antes disso, em 2025, metade das vendas da marca será composta pelos chamados BEV (veículos elétricos a bateria). E o XC40 é apenas o primeiro da fila, já que as próximas gerações de XC60 e XC90 também terão seus representantes puramente elétricos. 

- Publicidade -

Ao contrário de outros modelos do tipo, o estilo do XC40 elétrico é essencialmente o mesmo das demais versões. Para os menos atentos, o SUV pode passar como qualquer acabamento com motor a combustão. As mudanças no visual se dão apenas pela grade fechada e pintada na cor do carro, além da óbvia ausência de saídas de escapamento. Do lado de dentro, a atmosfera é semelhante à das demais versões, mas possui suas particularidades e aposta no uso de materiais sustentáveis.

Para ligar os motores elétricos e dirigir, como eu havia antecipado no início do texto, basta sentar no banco do motorista, afivelar o cinto e selecionar a posição D na alavanca. O mesmo vale ao estacionar, sendo necessário apenas o acionamento da posição P, que ativa automaticamente o freio de estacionamento. Sem motor a combustão na dianteira, o XC40 elétrico traz um bom porta-objetos de 31 litros sob o capô, espaço que pode ser utilizado para guardar o cabo portátil de recarga, por exemplo. No porta-malas em si, que não traz estepe, o volume declarado é de 413 litros.

Agilidade elétrica

O XC40 Recharge Pure Electric traz dois motores elétricos, um em cada eixo, o que faz dele a única versão da gama XC40 a ter tração integral. Juntos, produzem 408 cv de potência e 67,3 kgfm de torque. Mesmo com impressionantes 2.118 kg de peso em ordem de marcha, o modelo é capaz de acelerar de 0 a 100 km/h em 4,9 segundos, de acordo com dados de fábrica. Como nos demais Volvo, a velocidade máxima é limitada a 180 km/h. 

- Publicidade -

As respostas ao volante impressionam, graças à entrega instantânea de potência e torque. Acelerações com o pé cravado fazem o corpo grudar no encosto por alguns segundos. Em retomadas, a força disponível é mais do que suficiente para ultrapassagens seguras. Mesmo com 4.425 mm de comprimento e 1.863 mm de largura, a sensação para o motorista é de que o Volvo parece menor na cidade pela agilidade com que é possível mudar de faixas e acessar pistas expressas.

Obviamente, é perceptível o deslocamento de mais de 2 toneladas de massa em curvas e mudanças rápidas de trajetória. Porém, a suspensão consegue controlar bem a inclinação da carroceria nessas situações, embora cobre o preço na redução do conforto ao rodar no descuidado asfalto das cidades brasileiras.

Com bateria de 78 kWh de capacidade, o XC40 possui autonomia homologada de 418 km pelo ciclo WLTP – veja aqui os parâmetros utilizados neste tipo de teste. Compatível com estações de recarga rápida, o modelo pode recuperar até 80% do nível da bateria em menos de 40 minutos. Em nosso percurso de avaliação, com uso de ar-condicionado e rodagem predominantemente em estrada, a autonomia foi menor do que a declarada, como é comum em elétricos.

Para um percurso de 170 km, com velocidade média de 61 km/h (incluindo cidade), utilizamos 51% da carga da bateria. De acordo com o computador de bordo, o consumo médio foi de 22 kWh/100 km (ou 4,5 kWh/km). Considerando o gasto energético em nossa avaliação, poderíamos projetar uma autonomia real de 333 km com 100% da carga.

Multimídia do Google

O chamariz do XC40 Pure Electric está na conectividade, já que ele foi o responsável por estrear a central multimídia com sistema operacional do Google – equipamento estendido ao XC60 na linha 2022. A tela continua com 9 polegadas e disposição vertical, mas agora permite o download de aplicativos diretamente na loja online do Google, como Google Maps e Spotify, por exemplo.

Com internet 4G embarcada, é possível navegar intuitivamente de forma conectada no app de mapas, que ocupa todo o espaço da tela vertical e também é replicado no quadro de instrumentos. A má notícia é que, por enquanto, a nova central não é compatível com espelhamento de Android Auto e Apple CarPlay (nem mesmo via cabo). Segundo a Volvo, a funcionalidade está em desenvolvimento e poderá chegar em 2022 via atualização remota.

Porém, alguns pontos de melhoria do XC40 Pure Electric merecem ser citados. Funções disponíveis via teclas físicas no restante da gama foram agrupadas na central multimídia, o que diminui a facilidade de uso. Para alterar entre o controle de cruzeiro adaptativo e o modo pilot assist (que auxilia os movimentos na direção), é necessário passar por alguns menus na central, em vez de simplesmente apertar uma tecla no volante, como ocorre com os demais Volvo. 

O mesmo vale para o acionamento do modo de condução one pedal (aumenta o freio motor e a regeneração da bateria), que poderia estar integrado à alavanca de posições como o modo B dos híbridos. Outra ausência sentida é a do sistema de retenção automática do freio (auto hold) das demais versões do XC40. Sem ele, é necessário sempre ficar com o pé sobre o pedal esquerdo no trânsito urbano.

Em relação a equipamentos de série, o elétrico fica no mesmo nível da versão mais completa com motorização híbrida (R-Design), com carregador de celular por indução, sistema de som Harman/Kardon, teto solar elétrico panorâmico, ajustes elétricos para os bancos dianteiros, faróis full LED direcionais, monitoramento da pressão dos pneus, rodas de 20 polegadas e sistema de câmeras 360º. Além deles, há toda a sorte de airbags e assistentes à condução, como é padrão na marca.

Primeiro elétrico da fabricante sueca, o XC40 Recharge Pure Electric sem dúvidas é um fascinante passaporte para o futuro da Volvo. O preço, de R$ 389.950 (com wallbox incluso), é R$ 10 mil mais baixo do que um XC60 de entrada. Ao menos até o fim deste ano, já que, a partir de 2022, a tabela será reajustada para R$ 423.950 (sem o carregador grátis). Mais um indicativo de que não é preciso esperar os novos tempos chegarem. Com o XC40 Recharge Pure Electric, o futuro já é o presente.

Fica técnica | Volvo XC40 elétrico

• DADOS DE FÁBRICA
Volvo XC40 Recharge Pure Electric P8 AWD 2022
Motores (2) Dianteiro e traseiro, elétricos
Tração Integral AWD
Potência 408 cv
Torque 67,3 kgfm
Câmbio Caixa automática com redutor de uma única marcha
Suspensão (dianteira / traseira) Indep. McPherson/Indep. Multibraço
Pneus e rodas 235/45R20 (diant.)/255/40R20 (tras.)
Freios (dianteira / traseira) Disco ventilado/Disco
Peso (kg) 2.118
Comprimento (mm) 4.425
Largura (mm) 1.863
Altura (mm) 1.647
Entre-eixos (mm) 2.702
Porta-malas (litros) 414
Autonomia (km) 418 (ciclo WLTP)
Preço R$ 389.950

• PREÇOS E CUSTOS
Volvo XC40 Recharge Pure Electric P8 AWD 2022
Carro testado R$ 389.950
Versão básica R$ 389.950
Garantia 3 anos (total) / 8 anos (bateria)
IPVA (4%) R$ 15.598
Revisões (3 anos ou até 100 mil km) Grátis

Fotos: Fabio Aro/Volvo

Share This