Chevrolet Onix muda tudo para se tornar um carro global; versão sedã Onix Plus é a primeira a chegar ao mercado brasileiro

Desde 2014, mais de 1.800 profissionais da General Motors em 14 países trabalharam na plataforma GEM (“Global Emerging Markets”), da qual vão derivar cinco tipos de carroceria e oito variantes para segmentos de alto volume em mais de 40 países. Três deles vêm ao Brasil: um sedã, um hatch e um SUV. Os dois primeiros frutos da plataforma você vê nestas páginas: os novos Onix e Onix Plus.

Além de assumirem o legado dos campeões de vendas Onix e Prisma, agora miram a fatia de mercado que se convencionou chamar de “compactos premium”, onde estão Volkswagen Polo e Virtus, Fiat Argo e Cronos, Toyota Yaris e Yaris Sedan, os novos Hyundai HB20 e HB20S e o Honda City.

O primeiro a chegar é o sedã Onix Plus. Suas dimensões são semelhantes às do Cobalt: 4.476 mm de comprimento (5 mm menor), 2.600 mm de entre-eixos (20 mm mais curto), 1.730 mm de largura e 1.470 mm de altura. Se comparado ao então Prisma, o novo sedã tem distância entre-eixos 41 mm maior (algo perceptível pelo ótimo espaço no banco traseiro), é 72 mm mais largo e 194 mm mais comprido. Só que o porta-malas caiu de 500 para 469 litros e o tanque de combustível também foi reduzido, de 54 para 44 litros. Mas a mais dura crítica aos seus predecessores foi contemplada: no Latin NCAP, o Onix Plus conseguiu cinco estrelas na proteção tanto para adultos quanto para crianças.

O hatch não teve as medidas reveladas até a conclusão desta edição, mas é visivelmente maior que o atual líder de vendas no Brasil e estará nas concessionárias em novembro. As opções de entrada adotam o visual do modelo que sai de linha nas versões convencionais. O nome Prisma morre – o sedã que todo mundo conhece por essa alcunha passa a se chamar Joy Plus e o hatch, apenas Joy.

Motorização madura

Segundo a General Motors, a oferta de motores 1.0 3-cilindros demorou a vir em seus veículos porque a fabricante queria oferecer uma solução “madura” ao mercado. As versões mais baratas tanto do hatch quanto do sedã trazem o motor 1.0 Ecotec 3-cilindros de aspiração natural, capaz de gerar 82 cv de potência e 10,6 kgfm de torque com etanol. Já o motor 1.0 turbo 3-cilindros e 12 válvulas tem potência máxima de 116 cv a 5.500 rpm com ambos os combustíveis e torque de 16,8/16,3 kgfm (E/G) a 2.000 rpm.

Para quem aguardava uma versão turbo ainda mais potente que a versão chinesa apresentada em abril (125 cv, 18,3 kgfm) no uso com combustível vegetal, fica uma ponta de decepção. A explicação é que no meio do caminho o motor perdeu a injeção direta. A GM afirma que foi uma opção deliberada, por dois motivos. O primeiro, baixar o custo de manutenção do veículo, alegação baseada na causa da qualidade oscilante do combustível em território nacional. O segundo motivo é que mesmo usando injeção indireta convencional este motor atingiu números de emissões de poluentes, consumo e desempenho considerados satisfatórios pela fabricante.

Demais soluções de engenharia permanecem como bloco de alumínio, cabeçote com duplo comando de válvulas variável e coletor de escapamento integrado, bomba de óleo de duplo estágio e pressão variável, além de volante de dupla massa, virabrequim deslocado em relação ao eixo vertical dos cilindros e correia dentada imersa em óleo (mesmo recurso dos motores Ford 1.0 3-cilindros, com vida útil de 240 mil km).

Preços e equipamentos

As variantes sedã e hatch do Onix terão duas vantagens claras sobre os concorrentes como Polo/Virtus e HB20/HB20S: primeiro, são os únicos a oferecer versões com motor 1.0 turbo e câmbio manual. Segundo, desde as versões básicas 1.0 turbo automáticas, a lista de série é bem interessante: seis airbags, controle de estabilidade e tração, assistente de partida em rampa, limitador de velocidade, sensor de estacionamento traseiro, monitoramento de pressão dos pneus, chave tipo canivete, computador de bordo e vidros elétricos nas quatro portas, entre outros.

O preço desse pacote, chamado apenas de “Turbo”, é R$ 55.590 para o Onix e R$ 58.790 para o Onix Plus. Porém, se você quiser o multimídia MyLink de terceira geração, uma das grandes atrações da linha, é necessário procurar as versões LT Turbo manual (a partir de R$ 57.590 hatch e R$ 61.190 sedã), LT Turbo automático (a partir de R$ 62.890 hatch e R$ 66.490 sedã), LTZ Turbo manual (R$ 60.990 hatch e R$ 65.790 sedã), LTZ Turbo automático (R$ 66.290 hatch e R$ 70.990 sedã) e Premier (a partir de R$ 69.990 no hatch e R$ 73.190 no sedã). As versões LT com motor de aspiração natural também tem MyLink: a partir de R$ 51.590 no hatch e R$ 54.990 no sedã.

O pacote básico é muito atraente, mas são as novas versões topo de linha Premier que vão brigar diretamente com o que há de melhor nesse segmento de “compactos premium”. E pelo resultado que você vê no teste a seguir, a concorrência vai ter muito trabalho…

Share This