Comparativo: Volkswagen Golf GTI 2018 x Honda Civic Si 2018

Com potência aumentada, Volkswagen Golf GTI encara a primeira geração com motor turbo do Honda Civic Si. Qual vence?

Texto: Gustavo de Sá

Fotos: Renan Senra

Que Brasil você quer para o futuro? Há alguns meses consecutivos, essa pergunta é feita diariamente pelos apresentadores de telejornais da Rede Globo, com o objetivo de colher opiniões de telespectadores de cada uma das 5.570 cidades brasileiras. A minha resposta para ela seria que todo entusiasta automobilístico pudesse, ao menos uma vez na vida, ter a oportunidade de acelerar dois dos mais emblemáticos esportivos oferecidos no País: Volkswagen Golf GTI e Honda Civic Si.

Brincadeiras à parte, reunimos aqui as versões mais atualizadas dos dois modelos para um duelo. O Honda ganhou recentemente uma geração inteiramente nova, enquanto o Volkswagen estreou em junho um discreto tapa no visual na linha 2018. Afinal, qual irá arrancar o maior sorriso no rosto do dono que tiver cerca de R$ 160 mil para levar um deles para a garagem?

Dianteira Honda Civic Si 2018

O Si 2018 é a terceira linhagem do esportivo comercializada no Brasil e estreou uma importante novidade mecânica: é a primeira vez na história que o modelo recebe turbo de fábrica nesta versão apimentada. Importado do Canadá, ele manteve a carroceria cupê, que por si (com o perdão do trocadilho) só já confere muita exclusividade ao esportivo. Para-choques com maior entrada de ar, aerofólio, rodas de 18 polegadas e saída de escapamento central ajudam a criar a mágica em torno da sigla Si.

Mudanças na dianteira Volkswagen Golf GTI 2018

O GTI, por sua vez, tem visual menos chamativo. Na linha 2018, ganhou novos para-choques, faróis e lanternas em LED – as rodas de 18 pol. (opcionais) têm desenho quase idêntico à linha anterior. Quem for detalhista perceberá que o friso vermelho da grade agora adentra os faróis full LED (também pagos à parte) em duas arestas de 100°, além das pinças de freio vermelhas e antena do teto estilo barbatana de tubarão.

Faróis full LED Volkswagen Golf GTI 2018Do lado de dentro, os bancos dianteiros do tipo concha do Civic Si saltam aos olhos. Com excelente apoio lateral, eles trazem a sensação de que o motorista veste o carro. Nota 10! Outros indicativos da gama esportiva da Honda aparecem nas costuras vermelhas, iluminação exclusiva no quadro de instrumentos e aplique que simula fibra de carbono no painel. Faltou apenas o logotipo Si na base do volante, detalhe que diferenciava a antiga geração do cupê.Faróis full LED Honda Civic Si 2018

O Volkswagen repete a discrição do lado externo na cabine. Com exceção do exclusivo volante de base achatada com o emblema GTI e costuras vermelhas pela cabine, a sensação é de estar a bordo da configuração Highline. Exclusividade desta versão do Golf é o quadro de instrumentos digital (Active Info Display), com tela de 12,3 pol. de alta resolução.

Os bancos do carro avaliado traziam revestimento em couro – eles vêm em um pacote opcional que contempla ainda ajustes elétricos e as rodas de 18 pol. por R$ 5.900. Melhor seria se eles fossem vendidos separadamente, já que o belo revestimento em tecido xadrez de série é muito mais charmoso.

Por falar em opcionais, eles são o calcanhar-de-aquiles do Volkswagen. Para ter o modelo mais completo possível, como o das fotos, é preciso desembolsar mais R$ 9.200 pelo pacote Premium (que inclui controle de cruzeiro adaptativo, frenagem autônoma de emergência, detector de fadiga do motorista, assistente de farol alto e sistema de estacionamento automático), R$ 4.800 pelo teto solar elétrico e outros R$ 1.750 pela pintura metálica. Total da conta: R$ 165.440 – sem opcionais, parte de R$ 143.790.

Interior VW Golf GTI 2018

Ponto positivo do Honda (e das marcas de origem japonesa em geral) é a oferta de pacote fechado de equipamentos. Por R$ 162.900, o Si traz de série seis airbags, ar-condicionado digital de duas zonas, teto solar elétrico, faróis full LED, partida do motor por botão, retrovisor eletrocrômico, central multimídia com tela de 7 pol. e sistema de som com 10 alto-falantes. A opção de cor metálica ou perolizada no cupê não é cobrada à parte.

interior Honda Civic Si 2018

O Volkswagen impressiona pela tecnologia embarcada. O controle de cruzeiro adaptativo (ACC) segue a legislação alemã e não deixa o Golf passar outro veículo que esteja mais devagar em rodovias pela faixa da direita – vale lembrar que passar difere de ultrapassar, que é quando há mudança e retorno à faixa de origem. Outro recurso interessante é o desligamento do motor pelo sistema start-stop antes mesmo da parada total no trânsito.

Exclusivos do Honda são o freio de estacionamento eletrônico, retenção automática dos freios em paradas, câmera de ré com três ângulos de visualização e retrovisor direito com câmera acoplada, que replica a imagem na central multimídia ao acionar a luz indicadora de direção.

Em espaço no porta-malas, houve quase um empate técnico: a capacidade é de 338 litros no Golf e 334 l no Honda. Porém, a acomodação é mais fácil no primeiro, já que no Civic as dobradiças da tampa invadem o espaço de bagagem.

Comparativo Honda Civic Si x VW Golf GTI

Diversão garantida

Mesmo com carrocerias diferentes, Si e GTI têm em comum o mesmo objetivo: divertir quem senta no banco do motorista. E ambos fazem isso muito bem. Além de motor turbo, os dois trazem alterações extensas em suspensão, direção, freios e arquitetura eletrônica.

Derivado da versão Touring, o motor 1.5 turbo do Civic gera 208 cv a 5.700 rpm e 26,5 kgfm entre 2.100 e 5.000 rpm – o ganho foi de 35 cv e 4,1 kgfm sobre o sedã. O câmbio é manual de seis marchas, de engates curtos e bastante justos.

motor 1.5 turbo Honda Civic Si 2018

Já o Golf traz sob o capô uma versão atualizada do 2.0 TSI, com 230 cv entre 4.700 e 6.200 rpm (aumento de 10 cv sobre o modelo anterior) e 35,7 kgfm de torque na faixa entre 1.500 e 4.600 rpm. O câmbio continua automatizado de dupla embreagem DSG, com seis marchas.

motor 2.0 TSI Volkswagen Golf GTI 2018

A Honda sempre ressaltou a ideia de conexão entre homem e máquina na hora de vender o Si. E, acredite, não é papo de marqueteiro. O cupê faz o motorista sentir-se sempre no controle, com feedback instantâneo das condições do piso e sensação de total comando. O ronco encorpado gerado pelo abafador duplo do Si soa como música para os ouvidos.

Ele permite ainda escolher o modo esportivo, que pode ser acionado por meio de um botão no console. Ele reduz a assistência da direção, aumenta a carga dos amortecedores adaptativos e deixa as respostas ao acelerador mais rápidas.

Interior Honda Civic Si 2018

O Golf também conta com modos de condução (Eco, Normal, Sport e Individual), que alteram diversos parâmetros, entre eles direção, câmbio, ar-condicionado e som do motor – a suspensão, entretanto, tem sempre o mesmo acerto. A direção variável é elogiável e contribui para respostas mais ágeis e diretas nas mais diversas situações. Ela exige apenas 2,1 voltas no volante de batente a batente, contra 2,7 voltas das versões convencionais.

Interior VW Golf GTI 2018

Mesmo 50 kg mais pesado, o GTI supera o rival na relação peso-potência: são 5,96 kg/cv no Volkswagen, ante 6,35 kg/cv no Honda. Na pista, o cupê foi de 0 a 100 km/h em 7s6, enquanto o hatch marcou 6s3 na mesma prova. Interessante observar a comparação de ambos modelos em relação a seus antecessores. O GTI de 220 cv foi 0s2 mais lento na mesma prova, enquanto o antigo Si 2.4 aspirado, com 206 cv, registrou os mesmos 7s6 do atual 1.5 turbo.

Nas retomadas, a comparação entre os dois modelos é mais difícil devido à diferença dos tipos de câmbio e padrão dos testes da CARRO. Em modelos com caixa manual, as medições são realizadas em uma determinada marcha para cada passagem, sem que o piloto faça a redução. Já nos automáticos, os tempos são registrados sempre em modo Drive. Desta forma, o câmbio reduz automaticamente as marchas em acelerações com o pedal cravado.

traseira civic si 2018

Nas provas de frenagem, ambos registraram excelentes marcas. De 100 km/h até a parada total, foram 36,6 metros percorridos pelo GTI, e 37,1 m pelo Si. Com menor deslocamento volumétrico, o motor 1.5 do Civic garantiu melhores números de consumo, especialmente na cidade. Ele fez a média de 11,7 km/l no circuito urbano, ante 6,5 km/l do Golf. Já no trecho rodoviário, o Si marcou bons 16,2 km/l, enquanto o GTI registrou 14,1 km/l. Vale lembrar que os testes foram feitos com gasolina, já que ambos não são flex. 

Mudanças na traseira Volkswagen Golf GTI 2018

Civic e Golf têm plano de manutenção com paradas previstas a cada 10 mil quilômetros ou 12 meses. A novidade é que as três primeiras revisões do Volkswagen vêm inclusas no preço de fábrica da linha 2018, o que representa economia de R$ 1.608 na comparação com o modelo 2017.Já as três primeiras paradas do Honda custam R$ 1.380, mesma faixa de preço da versão sedã.

No final das contas, Si e GTI são esportivos deliciosamente divertidos e entregam aquilo que propõem, cada um à sua maneira. A escolha entre um ou outro modelo está intrinsecamente ligada ao desejo do comprador e o uso que fará do carro. O Civic transmite esportividade ao motorista desde a posição de guiar, passando pelas respostas da direção e handling em curvas. E tem a exclusividade da interação gerada pelo câmbio manual, de engates quase que telepáticos.

Já o Golf supera o rival nos números absolutos de potência e torque e no desempenho em pista – ajudado, é claro, pela também ótima caixa DSG. Ele também traz a vantagem da comodidade no uso diário, graças às quatro portas e ao câmbio automatizado. Apesar do preço básico de compra mais baixo, é preciso desembolsar mais R$ 19.900 para o Volkswagen ficar com nível de equipamentos comparável ao do Si. Ainda assim, o GTI entrega o conjunto mais recompensador para aquele Brasil que eu quero.

 

Galeria de fotos

Veja a tabela com o teste em pista do Honda Civic Si e VW Golf GTI:

Newsletter

Newsletter

Quer ficar por dentro das noticias da Revista Carro em primeira mão?

Receba grátis!

Obrigado!

Pin It on Pinterest

Share This