fiat tipo

Do chinês Chery A11 ao americano Pontiac Sunbird: embora não tenham vindo para cá, eles tinham um coração brasileiro

 

Embora seja muito mais comum ver um carro fabricado no Brasil sendo enviado para o exterior, ao longo da história da indústria automobilística tivemos (e ainda temos) alguns casos de motores brasileiros exportados para uso em automóveis que nunca foram comercializados por aqui.

chery A11

Chery A11 (China)

Muitos anos antes de ser tornar conhecida no Brasil pela parceria com a Caoa, a Chery produziu na China uma variação sob licença do espanhol Seat Toledo equipada com o motor 1.6 produzido pela Tritec — joint venture Chrysler e BMW — numa fábrica em Campo Largo (PR). Alguns anos depois, a unidade industrial seria comprada pela Fiat e os propulsores serviriam de base para os E.torQ.

FIAT RITMO

Fiat Ritmo (Itália)

Antecessor do Tipo de 1ª geração, o hatch médio Ritmo foi produzido na Europa entre 1978 e 1988 e tinha como opção de entrada o motor Fiasa de 1.049 cm² feito no Brasil para o 147.

lancia y10 turbo

Lancia Y10 Turbo (Itália)

Entre 1985 e 1986, o compacto da marca italiana foi equipado com uma curiosa versão turbo do motor Fiasa, que trazia uma turbina IHI para desenvolver 85 cv.

fiat tipo

Fiat Tipo (Itália)

O médio feito na Turquia para o mercado europeu é um dos modelos internacionais que utilizam o motor E.torQ 1.6 feito pela Fiat na fábrica de Campo Largo (PR)

ford pinto

Ford Pinto (Canadá)

O mesmo motor 2.3 feito no Brasil para equipar modelos como o Maverick, a Rural e o Jeep CJ-5, era exportado para o Canadá, onde equipava o compacto Pinto produzido por lá nos anos 1970.

ford sierra ghia

Ford Sierra (Argentina) 

Enquanto no Brasil tínhamos o Del Rey, os argentinos produziam na mesma época o europeu Sierra. Mas com uma versão de 120 cv do motor 2.3 brasileiro.

ford mustang

Ford Mustang (EUA)

Fabricado entre 1979 e 1993, a terceira geração do esportivo americano teve como uma das opções de motores uma versão turbo do 2.3 brasileiro, que chegou a desenvolver 208 cv em sua variação mais potente.

lifan 520

Lifan 520 (China)

O sedã é um exemplo típico de carro chinês de meados dos anos 2000. Partindo de uma base europeia antiga (do Citroën ZX), os chineses criaram uma nova carroceria e implantaram um motor de origem diversa. No caso, o 1.6 Tritec importado do Brasil.

mini hatch

Mini Hatch de 1ª geração (Inglaterra)

O Mini de primeira geração foi o primeiro “cliente” dos motores Tritec. A joint venture entre a Chrysler e a BMW foi criada para desenvolver e produzir uma nova família de motores de quatro cilindros. Poucos anos depois, a BMW desistiu da parceria e a fábrica acabou vendida para a Fiat.

pontiac sunbird

Pontiac Sunbird (EUA)

Produzido no Estados Unidos entre 1982 e 1988, o Sunbird usava os motores 1.8 e 2.0 Família II produzidos em São José dos Campos (SP) para o Chevrolet Monza, modelo que aliás havia surgido do mesmo projeto comum.

Share This