- Publicidade -

Fiat Toro Endurance 1.8 manual

Versão mais barata da picape mostra mais desenvoltura com o
câmbio manual de 5 marchas do que com o automático
de 6 marchas. Mas o consumo…

Um dos veículos mais bem sucedidos do mercado brasileiro nos últimos anos, a Fiat Toro contempla os anseios de dois perfis de consumidores em crescimento notório no país: o de picapes e o de SUVs urbanos. A própria FCA vende o modelo como um misto das duas vertentes, já que sua carroceria monobloco é derivada da plataforma do Jeep Renegade. Ambos saem da mesma linha de montagem em Goiana (PE).

Fiat Toro Endurance 1.8 manual

As novas versões Endurance da Toro privilegiam mais seu lado picape: menos diversão, mais trabalho, com pacote de equipamentos mais enxuto e acabamento simplificado. A versão avaliada, Endurance 1.8 flex manual, é a mais barata de toda a gama: R$ 96.990. Porém, para chegar a esse preço, abre mão da central multimídia (de série, há apenas preparação para rádio), prescinde de retrovisores com comando elétrico e até da roda de liga leve (sai de fábrica com rodas de aço e calotas).

- Publicidade -

A unidade testada pela CARRO possuía dois pacotes de opcionais (cada um por R$ 3.000) que traziam os três itens citados, mais câmera de ré, sensor de estacionamento, farol de neblina, volante em couro, entre outros. Somados à pintura, o preço final do veículo cedido pela FCA é de R$ 105.690.

Fiat Toro Endurance 1.8 manual

De série, os bancos são revestidos em tecido e plásticos são abundantes no painel e forros de porta. As regulagens de encosto e altura do banco do motorista são manuais e o ar-condicionado, idem, mas o volante tem ajuste de altura e distância. Há vidros elétricos com função um-toque para o motorista, retrovisores externos também elétricos, travas elétricas, luz de rodagem diurna e lanternas traseiras em LED.

Um item de série chama a atenção: o controle de velocidade de cruzeiro, muito raro em veículos de câmbio manual no Brasil. Completam a lista de série os controles de estabilidade e tração, auxílio de partida em rampa, sistema stop-start e monitor de pressão dos pneus.

- Publicidade -

Nicho próprio

Além de um desenho externo extremamente feliz – e aparentemente sem prazo para envelhecer – a Fiat Toro tem dimensões externas até agora únicas em nosso mercado. Maior do que sua rival direta, a Renault Duster Oroch, a picape da marca italiana está mais próxima do segmento das picapes médias de carroceria sobre chassi como, por exemplo, a Toyota Hilux.

A Toro tem 4,94 m de comprimento (25 cm maior que a Oroch e 37 cm menor que a Hilux), mas seu entre-eixos está bem mais próximo da categoria de cima: 2,99 m, apenas 9 cm a menos que a picape da Toyota. O volume da caçamba da Toro é superior à sua rival da Renault (820 litros contra 683 da Oroch), porém, a capacidade de carga em peso é inferior: 550 kg de carga útil contra 650 kg – curiosamente, até a pequena Fiat Strada empata com a Oroch nesse item.

Como Toro e Renegade partilham da mesma plataforma, salvo o acerto de suspensão e carroceria visarem usos diferentes, é de se esperar que o comportamento da picape e de seu meio-irmão SUV sejam semelhantes. E, de fato, na vida real, pouco diferem. A direção eletroassistida é muito confortável em todas as situações de condução e, se não fosse pela suspensão, em nada lembraria uma picape. Em contrapartida, a grande distância entre os eixos da Toro afeta o diâmetro de giro: 12,2 m, igualmente próximo ao de uma picape de medidas bem mais amplas. Isso é bastante sentido em manobras de estacionamento.

Carregando o fardo

O trem de força da Toro Endurance 1.8 é o mesmo que antes era oferecido no descontinuado Renegade Sport com câmbio manual de 5 marchas. Seu motor 1.8 E.torQ EVO VIS (com comando e coletor de admissão variáveis) gera potência de 139/135 cv (E/G) a 5.750 rpm e torque de 19,3/18,8 kgfm a 3.750 rpm.

Com o veículo vazio, mesmo com a 1ª marcha ligeiramente mais longa que sua versão automática, a Toro com câmbio manual responde satisfatoriamente saindo da inércia, permitindo que o motorista seja mais sutil ao acelerador. Bem diferente do comportamento mais progressivo (e lento) de sua versão AT6 com o mesmo motor.

Entretanto, nos testes da CARRO na pista da ZF em Limeira (SP), ficou evidente como os 1.606 kg de peso impactam seus números absolutos de desempenho e consumo. Com uma relação peso-potência nada favorável de 11,55 kg/cv, após diversas repetições para confirmar o resultado, a Toro 1.8 manual fez sua melhor aceleração de zero a 100 km/h em 14s7. Na retomada em 3ª marcha, fez de 40 a 100 km/h em 12s3. Em 4ª marcha, foi de 60 a 120 km/h em 18s0 e de 80 a 120 km/h em 12s2.

Na medição de consumo de etanol, a Toro 1.8 manual foi o modelo que estreou a nova metodologia da CARRO: testes de cidade e rodovia com o ar-condicionado ligado. O objetivo é se aproximar ainda mais dos resultados em uso na vida real. Sob esse padrão, a Toro 1.8 manual atingiu 5,6 km/l em perímetro urbano e 9,3 km/l no rodoviário. Com média PECO de 7,3 km/l, sua autonomia média com o combustível vegetal é de apenas 436 km, mesmo dotada de um tanque com 60 litros de capacidade.

Para quem procura um veículo de trabalho e avalia a Toro Endurance como uma alternativa, consumo de combustível é um quesito importante. Por isso, é importante apontar que os resultados são muito próximos aos da versão 1.8 AT6 testada ainda no padrão antigo: a autonomia média com etanol da Toro 1.8 automática, sem ar-condicionado ligado, foi de 468 km. Apenas 32 km mais extensa.

Entre as duas versões, considerando o uso profissional, a Toro 1.8 manual teria, potencialmente, menor custo de operação. Para uso pessoal, entretanto, adquirir uma Toro 1.8 flex, seja com qual tipo de câmbio for, só faz sentido se a caçamba for essencial para você. Caso contrário, nesta faixa de preço das versões Endurance, é possível adquirir um Jeep Renegade 1.8 automático bem equipado. E, com 71 cm a menos de comprimento, é mais fácil de estacionar.

Ficha técnica Fiat Toro Endurance 1.8 manual 

·         DADOS DE FÁBRICA
Motor 1.8; 4 cilindros em linha
Cilindrada 1747 cm³
Potência 139 cv (E) / 135 cv (G) a 5.750 rpm
Torque 19,3 kgfm (E) / 18,8 kgfm (G)  a 3.750 rpm
Câmbio Manual de 5 marchas
Suspensão (dianteira / traseira) Indep. McPherson / Indep. Multibraço
Pneus e rodas 215/65 R16H
Freios (dianteira / traseira) Disco ventilado / Disco ventilado
Peso (kg) 1606 kg
Comprimento (mm) 4.944 mm
Largura (mm) 1.844 mm
Altura (mm) 1.680 mm
Entre-eixos (mm) 2.990 mm
Porta-malas (litros) 820 l
Tanque de combustível (litros) 60 l
Preço R$ 96.990,00
·         NOSSAS MEDIÇÕES
Aceleração (em segundos)
0 a 100 km/h 14,7s
0 a 400 m (km/h) 19,7s (115,5 km/h)
Retomada (em segundos)
40-100 km/h em 3ª marcha 12,2s
60-120 km/h em 4ª marcha 18,0s
80-120 km/h em 4ª marcha 12,15s
Frenagem (em metros)
80-0 km/h 27,5 m
100-0 km/h 43,8 m
120-0 km/h 62,5 m
Fading dos freios (em metros) 100-0 km/h, carregado (200 kg)
1ª frenagem 42,0 m
Pior frenagem 46,6 m
Melhor frenagem 42,0
·         MEDIÇÕES MERCADO
Consumo (em km/l)
Cidade etanol 5,6 km/l
Rodovia etanol 9,3 km/l
Média PECO 7,3 km/l
Autonomia (km) 436 km
·         PREÇOS E CUSTOS
Carro testado R$ 105.490,00
Versão básica R$ 96.990,00
*Desvalorização (1 ano) 12,48%
Garantia 3 anos
IPVA (4%) R$ 3.879,60
**Seguro
Revisões (até 30 mil km) R$ 1.828,00
·         AVALIAÇÃO MERCADO
Preço básico 6,5
Preço completo 5,0
Consumo médio 4,0
Autonomia 4,5
Garantia 8,0
Seguro n/d
Revisão 9,0
Desvalorização 10,0
Pintura 0
Média final 5,9
·         NOSSA AVALIAÇÃO
Carroceria 6,2
Segurança 6,0
Conforto de rodagem 6,1
Propulsão 4,9
Comportamento 6,1
Média final 5,9

*Fonte: FIPE
**Fonte: Solid Seguros

Share This