Fiat Cronos 1.3 Flex GSR com o câmbio automatizado consome menos combustível que o de câmbio manual

Lançado em fevereiro, o Fiat Cronos está no mercado nacional para disputar o segmento dos sedãs compactos premium. Para um veículo deste porte as medidas são compatíveis. Tem comprimento de 4.364 mm e na distância entre-eixos mede 2.521 mm. Estas dimensões proporcionam bom espaço interno aos ocupantes dos bancos dianteiros e traseiros, também entrega 525 litros de capacidade volumétrica no porta-malas.

A fabricante oferece o sedã com preço inicial de R$ 62.490 na versão Drive 1.3 Flex GSR. Nesta configuração tem o motor Firefly de 1.332 cm³, com etanol sua potência é de 109 cv a 6.250 rpm e torque de 14,2 kgfm a 3.500 rpm. O câmbio é automatizado de cinco marchas, o que vale uma explicação: câmbio automatizado é um câmbio construído para ter as trocas manuais. O pedal da embreagem é substituído por uma embreagem automática. Uma central eletrônica “conversa” com o motor e identifica o momento de fazer a troca conforme o motorista usa o acelerador. Até para dar uma impressão de veículo futurista, a Fiat retirou a alavanca de mudanças e deixou só os botões de comando.

Este sistema exige que o motorista se adapte, mude a maneira de dirigir. É necessário sentir o carro. Ao utilizar o modo automático é preciso prestar atenção e tirar o pé do acelerador ao sentir que ele vai realizar a troca, isso evita hesitações. Ao enfrentar uma subida, o ideal é utilizar a troca manual, pois se ela for muito íngreme, vai exigir mais força no acelerador e o sistema entende que precisa mudar a marcha para cima.

Câmbio automatizado como o GSR é indicado para quem utiliza o carro na maior parte do tempo em rodovia, onde a velocidade é constante e as trocas de marchas não. Até no que diz respeito a consumo ele é mais eficiente. Os testes feitos pela Carro mostram que, abastecido com etanol, ele consome 11,6 km/l na estrada, enquanto que na cidade chega a 8,9 km/l, o que confere a média PECO (cidade/rodovia) de 10,1 km/l.

O mesmo carro com o câmbio manual consome 8,5 km/l (ciclo urbano)/11,0 km/l (ciclo rodoviário) e 9,6 km/l (média PECO), respectivamente. A diferença de consumo entre um e outro é pequena, mas somada ao longo de um ano, vai render uns bons reais. Com um conjunto de suspensão bem ajustado, direção macia, ambiente interno agradável é uma boa opção de veículo, principalmente para quem tem necessidade de um estradeiro para trabalhar.

Newsletter

Newsletter

Quer ficar por dentro das noticias da Revista Carro em primeira mão?

Receba grátis!

Obrigado!

Pin It on Pinterest

Share This