Fiat Cronos 1.3 Flex GSR com o câmbio automatizado consome menos combustível que o de câmbio manual

Lançado em fevereiro, o Fiat Cronos está no mercado nacional para disputar o segmento dos sedãs compactos premium. Para um veículo deste porte as medidas são compatíveis. Tem comprimento de 4.364 mm e na distância entre-eixos mede 2.521 mm. Estas dimensões proporcionam bom espaço interno aos ocupantes dos bancos dianteiros e traseiros, também entrega 525 litros de capacidade volumétrica no porta-malas.

A fabricante oferece o sedã com preço inicial de R$ 62.490 na versão Drive 1.3 Flex GSR. Nesta configuração tem o motor Firefly de 1.332 cm³, com etanol sua potência é de 109 cv a 6.250 rpm e torque de 14,2 kgfm a 3.500 rpm. O câmbio é automatizado de cinco marchas, o que vale uma explicação: câmbio automatizado é um câmbio construído para ter as trocas manuais. O pedal da embreagem é substituído por uma embreagem automática. Uma central eletrônica “conversa” com o motor e identifica o momento de fazer a troca conforme o motorista usa o acelerador. Até para dar uma impressão de veículo futurista, a Fiat retirou a alavanca de mudanças e deixou só os botões de comando.

Este sistema exige que o motorista se adapte, mude a maneira de dirigir. É necessário sentir o carro. Ao utilizar o modo automático é preciso prestar atenção e tirar o pé do acelerador ao sentir que ele vai realizar a troca, isso evita hesitações. Ao enfrentar uma subida, o ideal é utilizar a troca manual, pois se ela for muito íngreme, vai exigir mais força no acelerador e o sistema entende que precisa mudar a marcha para cima.

Câmbio automatizado como o GSR é indicado para quem utiliza o carro na maior parte do tempo em rodovia, onde a velocidade é constante e as trocas de marchas não. Até no que diz respeito a consumo ele é mais eficiente. Os testes feitos pela Carro mostram que, abastecido com etanol, ele consome 11,6 km/l na estrada, enquanto que na cidade chega a 8,9 km/l, o que confere a média PECO (cidade/rodovia) de 10,1 km/l.

O mesmo carro com o câmbio manual consome 8,5 km/l (ciclo urbano)/11,0 km/l (ciclo rodoviário) e 9,6 km/l (média PECO), respectivamente. A diferença de consumo entre um e outro é pequena, mas somada ao longo de um ano, vai render uns bons reais. Com um conjunto de suspensão bem ajustado, direção macia, ambiente interno agradável é uma boa opção de veículo, principalmente para quem tem necessidade de um estradeiro para trabalhar.

Pin It on Pinterest

Share This