Escort XR3 Conversível

Há 35 anos a Ford lançou o Escort no Brasil, o qual ao longo dos anos passou por mudanças estéticas e de motorização. O trintão que tem como marca registrada os faróis retangulares, janelas amplas e traseira curta, quando chegou no país se destacou por causa das linhas arrojadas para a época. Sua versão mais famosa, a esportiva XR3, oferecia a opção conversível, rodas de 14 polegadas no estilo “trevo de quatro folhas” e pneus de perfil baixo.

Escort 1993

Na Europa o Escort já estava na terceira geração quando enfim chegou em 1983 no Brasil. Equipado com motor transversal, tração dianteira, embreagem com ajuste automático de folga e suspensão independente nas quatro rodas, o modelo tinha tamanho compacto (3,97m) e foi produzido por aqui durante 20 anos.

O veículo oferecia opção de duas ou quatro portas e tinha três versões de acabamento: básica, L e GL. A versão Ghia, de luxo, chegou depois com vidros e travas elétricos, além do efeito dourado. Limpador de pára-brisa ajustável, indicadores de desgaste do freio, nível de combustível, óleo e líquido de arrefecimento foram tecnologias que chamavam atenção na época para o hatch. Por dentro, os bancos de veludo e o relógio azul no teto encantavam os jovens dos anos 80.

 

Escort Fórmula

Em 1986 o Escort foi reestilizado, com mudanças em sua frente, aonde escondia um motor 1.6. Com a formação da Autolatina, em 1989 as versões XR3 e Ghia receberam o motor AP 1.8 e a família foi ampliada com um sedã de duas portas, o Verona. No começo dos anos 90 a linha ganhou um sedã de quatro portas, chamado Guarujá, produzido na Argentina, e a série especial Fórmula, com amortecedor eletrônico e bancos Recaro.

Escort 1.8 XR3

Quando o Escort chegou em sua segunda geração a carroceria era maior e o interior já estava atualizado. O XR3 recebeu motor 2.0 com injeção eletrônica e a carroceria antiga continuou a ser produzida na versão Hobby para o segmento de carros populares, com motor 1.6, depois trocado pelo 1.0.

Escort 1997

 

Em 1996, com a criação do Mercosul, o Escort passou a ser produzido na Argentina com nova frente, motor 1.8 Zetec e o fim das versões XR3, Ghia e Hobby. No chamado modelo 1996 e meio, o hatch voltou a ter quatro portas e o nome Verona foi trocado por Escort Sedan. Foram introduzidos também o Escort Station Wagon, chamado de Escort perua e o esportivo hatch RS, com duas portas. Em 2000 o Escort ganhou a opção do motor Zetec Rocam 1.6 nacional, até o encerramento da produção em 2003.

Newsletter

Newsletter

Quer ficar por dentro das noticias da Revista Carro em primeira mão?

Receba grátis!

Obrigado!

Pin It on Pinterest

Share This