No Yaris X-Way a Toyota incluiu acessórios para deixar o modelo com visual esportivo, mas manteve, câmbio e ajustes das outras versões

Com objetivo de agradar compradores va­riados, as fabricantes de veículos colocam no mercado versões diferentes de um mesmo carro. Na maioria das vezes, estas opções têm acabamento diferente, adesi­vos que remetem à esportividade ou à aptidão para o fora-de-estrada. Geralmente estes mode­los não recebem alterações no motor, câmbio ou suspensão. A preocupação mesmo é em variar o visual do mesmo carro.

A Toyota é uma das que segue esta estratégia. Entre as opções de acabamento do hatch compacto premium Yaris, ela oferece a X-Way, lançada no final de janeiro. O carro tem como principal mudança os acessórios esportivos.

Para diferenciar das outras opções, a fabrican­te japonesa colocou no X-Way rodas de liga leve com acabamento na cor preta, rack no teto, apli­ques de para-choque e para-lamas, frisos nas la­terais e logotipo alusivo à versão na parte traseira.

No interior, o nome aparece estampado no so­bretapete do motorista e passageiro dianteiro. Os bancos são em padrão couro, o painel tem o com­putador de bordo tela de 4.2 polegadas colorida e sistema multimídia com a câmera de ré integrada.

O modelo esportivo segue com os itens ofer­tados nas versões XS e XLS, como o ar-condicio­nado digital, retrovisores externos de rebatimento elétrico e partida sem chave.

A direção utiliza assistência elétrica regressiva incluem distribuição eletrônica das forças de fre­nagem e assistência a frenagem de emergência. sistema de assistência e distribuição eletrônica da força de frenagem. São só dois airbags dian­teiros frontais (motorista/passageiro) e na XLS há adicionalmente os airbags laterais, de cortina e de joelhos para o motorista.

Conta ainda com o controle de estabilidade, tra­ção e assistente de subida em rampa, faróis com regulagem elétrica de altura, acendimento automá­tico e luzes de neblina na dianteira e traseira.

Seu interior é confortável, não há dificuldade para o motorista ajustar altura, encosto do banco e volante para se posicionar-se corretamente.

São várias as informações disponíveis no pai­nel de instrumentos, as quais são acessadas ao apertar o botão no volante. Outros dispositivos como o sistema de som, celular e controle de cru­zeiro também são acionados com os polegares.

Para espelhar o smartphone, a Toyota não utiliza Android Auto e Apple CarPlay, mas oferece sistema próprio, o qual mostra poucos aplicativos, se comparado ao sistema do Google e da Apple.

Não foram feitos ajustes específicos no siste­ma de suspensão (dianteira McPherson/traseira eixo de torção), elas mantêm a configuração e calibração da linha Yaris. Os pneus verdes são 185/60R15.

O X-Way tem motor 1.5 16v com 110/105 cv (E/G) disponíveis a 5.600 rpm e 14,9/14,3 kgfm obti­dos a 4.000 rpm, independentemente do combustí­vel. Ele trabalha com o câmbio automático CVT que simula 7 marchas. As trocas também podem ser feitas nas borboletas ao lado do volante.

Com 4.145 mm de comprimento, 2.550 mm entre eixos e 1.730 mm de largura, o hatch Yaris X-Way é confortável, e o porta-malas é compatível com a proposta do modelo, sua capacidade volu­métrica é de 310 litros, igual à das outras versões.

Nos testes realizados na pista da ZF em Limei­ra (SP), o X-Way mostrou-se esperto, gastou 11s41 para sair da velocidade zero e chegar a 100 km/h. Já no teste de fading dos freios, os números pode­riam ser melhores. Carregado com 200 kg na 10ª passagem, percorreu 49,77 m até estancar. Este número é acima do alcançado pelo Yaris topo de linha XLS que, nas mesmas condições percorreu 48,04 m. Na primeira passagem, o X-Way utilizou 40,23 m, para não ter o problema de fadiga ele deveria parar no máximo em 44 m.

Isto significa que o motorista ao descer uma serra, por exemplo, com o carro carregado, não deve abusar do pedal do freio, o ideal e prudente é controlar a velocidade no freio motor para evitar superaquecimento dos discos.

Em consumo de combustível, o esportivo abastecido com etanol roda 8,0 km/l na cidade e 11,6 km/l na rodovia (média PECO 9,6 km/l). Com o tanque de 45 litros, sua autonomia rodoviária com etanol é de 522 km. O Yaris XLS oferece consumo quase que idêntico: cidade 7,5 km/l, ro­dovia 11,9 km/l e média PECO 9,5 km/l.

Ao utilizá-lo no dia a dia, o esportivo mostra­-se ágil na cidade, com bom arranque, câmbio de trocas precisas, sem trancos, e bom isolamento acústico. As suspensões são bem calibradas pa­ra absorver as imperfeições do terreno e oferecer segurança em curvas tomadas mais rapidamen­te. Na rodovia não causa susto ao ultrapassar veí­culos mais lentos e é fácil de mantê-lo a 120 km/h com a rotação do motor em 1.800 rpm.

Com preço sugerido de R$ 80.290, o Yaris X­-Way oferece condições de dirigibilidade, confor­to e consumo semelhantes às oferecidas pelo Ya­ris XLS, o qual tem preço sugerido de R$ 83.390, porém além do visual mais sóbrio o topo de linha tem o teto solar e os airbags laterais, de cortina, e de joelhos além dos obrigatórios frontais.

Fotos: Renan Senra

Veja a tabela de teste com os números de pista do Toyota Yaris X-Way:

Pin It on Pinterest

Share This