pneuOs pneus são essenciais na dirigibilidade e estabilidade do veículo, assegurando o contato e a aderência com o solo. Se estiverem em mau estado, aumentam a distância de frenagem e podem causar derrapagens, levando a acidentes graves. Por isso, a Revista Carro lista algumas dicas, criadas em conjunto com a ANIP (Associação Nacional da Indústria de Pneumáticos).

1. Como saber se está na hora de trocar os pneus?

Os pneus contam com uma marca na banda de rodagem, chamada TWI (Tread Wear Indicators, em Inglês). É uma saliência medindo 1,6 mm de altura, localizada no sulco do pneu. Para facilitar que o condutor a encontre, as fabricantes costumam utilizar algum símbolo na lateral, como um triângulo, a sigla TWI ou um logo. Assim que vir esse símbolo, siga em linha reta até a banda de rodagem e você encontrará o marcador TWI entre os sulcos. Se a borracha do pneu estiver tão desgastada que esteja próxima da altura do marcador, é sinal de que está na hora de trocar o pneu.

2. Qual a multa por rodar com os pneus carecas?

Se o motorista for autuado com os pneus desgastados, a infração é grave, conforme estipula a resolução nº 558 do Contran (Conselho Nacional de Trânsito). Para isso, os pneus não precisam estar totalmente lisos, se estiverem abaixo de 1,6 mm, já são considerados irregulares. Além da multa no valor de R$ 195,23, mais os cinco pontos na CNH, o veículo é apreendido por não estar em condições de rodagem.

3. Quando devo calibrar os pneus?

A recomendação é calibrar os pneus toda semana ou, no máximo, a cada 15 dias. O processo deve ser feito sempre a frio, ou seja, assim que sair de casa – não rode mais do que 5 km para calibrar os pneus. À medida que a temperatura aumenta, o ar dentro do pneu se expande, tornando a leitura da pressão incorreta. Além disso, utilize a pressão seguindo as orientações no manual do veículo de acordo com o uso, se o carro está cheio ou vazio, considerando o peso a ser transportado. E nunca se esqueça de calibrar o estepe também. Se você não calibra o estepe toda semana, pode adotar duas ou três libras de pressão a mais.

4. O que acontece se eu não calibrar os pneus regularmente?

Se o pneu estiver com pressão mais baixa, a direção ficará mais pesada, aumentando o consumo de combustível e o desgaste dos pneus, além de deixá-los mais susceptíveis a danos e rompimentos em caso de impacto em buracos ou guias. Murchos, eles desgastam primeiro as bordas e o ombro. Por outro lado, se a pressão estiver a mais, o desgaste será mais acentuado no centro da banda de rodagem, resultando na perda de estabilidade em curvas.

5. Por que devo fazer o rodízio de pneus?

O rodízio serve para manter o equilíbrio no desgaste entre os pneus dianteiros e traseiros, aumentando sua vida útil. O processo consiste em alterar a posição deles entre os eixos, o que deve ser feito seguindo sempre a recomendação no manual do proprietário. Dependendo do caso e do tipo de pneu, o prazo pode variar entre 5.000 e 8.000 quilômetros.

6. Como fazer o rodízio de pneus?

Nos veículos com tração dianteira, coloque os pneus dianteiros no eixo traseiro no mesmo lado em que se encontram. Ou seja, o pneu dianteiro direito irá para a traseira à direita e o dianteiro esquerdo para a traseira à esquerda. Já os pneus traseiros irão para a dianteira cruzados: o traseiro direito vai para a dianteira à esquerda e o traseiro esquerda para a dianteira à direita. Já nos modelos com tração traseira, o processo é invertido, cruzando os lados dos pneus dianteiros e os de trás vão para o eixo da frente em linha reta. Por fim, em carros 4×4, a recomendação e fazer o rodízio em “x”, cruzando todos os pneus.

De qualquer forma, consulte sempre o manual para verificar a forma correta de fazer o rodízio no seu carro. Isso porque alguns pneus possuem somente um sentido de rodagem, indicado por um desenho na lateral. Nesses casos, a troca entre os eixos deve ser feita sempre em linha reta, sem cruzar os lados. Após fazer o rodízio, sempre faça novamente o alinhamento e o balanceamento.

7. Por que e quando fazer o alinhamento?

O alinhamento evita o desgaste irregular e prematuro dos pneus, por isso, deve ser feito sempre que o motorista notar que o veículo está puxando para um lado ou a cada 10.000 km rodados.

8. Por que e quando fazer o balanceamento?

O balanceamento também é importante para garantir a vida útil dos pneus, além de interferir na estabilidade. Ele deve ser feito a cada 10.000 km rodados ou se o condutor perceber vibrações no volante. Também é necessário realizar o balanceamento ao fazer o rodízio dos pneus ou quando trocá-los.

9. Como limpar os pneus? 

Tenha o cuidado de nunca empregar produtos derivados de petróleo, que atacam a borracha. Em geral, recomenda-se utilizar somente água e sabão neutro na limpeza. Por esse motivo, evite também estacionar sobre poças de óleo.

10. Qual é a garantia do pneu?

Sim, sendo que o prazo de garantia costuma ser de cinco anos, contados a partir da data da compra. Porém, a garantia cobre apenas defeitos de fabricação, não falhas provenientes de mau uso como bolhas ou furos devido a raspagem ou impactos.

11. Pneu tem prazo de validade?

Sim, sendo que a validade costuma ser de cinco anos, contados a partir da data de fabricação. A data de fabricação está sempre descrita na lateral do pneu, composta por quatro algarismos: os dois primeiros informam a semana e os dois últimos o ano em que o pneu foi produzido. Fique atento ao prazo de validade, especialmente, do estepe, que pode ficar sem anos sem uso, comprometendo a integridade da borracha.

12. É possível reparar um pneu furado?

Sim, mas somente em alguns casos. Primeiro, não rode com o pneu furado, o que pode tornar seu reparo impossível. Além disso, o conserto só é possível em furos ou danos localizados na faixa de rodagem com até 6,5 mm. Caso o dano ocorra na lateral do pneu, será necessário trocá-lo.

13. Como escolher o pneu certo?

Na hora de trocar o pneu, verifique sempre as medidas indicadas no manual do veículo. Estarão as principais orientações, como tamanho e os limites de carga e velocidade para que possa escolher o pneu certo.

14. Posso trocar só um pneu?

A recomendação é sempre substituir, ao menos, os dois pneus do mesmo eixo. Se tiver somente dois pneus novos, as fabricantes orientam a utilizá-los sempre no eixo traseiro, independente do tipo de tração, para não comprometer a estabilidade.

15. O modo de dirigir também aumenta o desgaste dos pneus?

Sim, ações como frear ou arrancar bruscamente, fazer curvas em alta velocidade, subir ou descer desníveis como guias ou raspar o pneu no meio-fio são algumas atitudes que reduzem a vida útil do pneu.

16. O que pneus runflat?

Os pneus runflat contam com uma tecnologia que permitem que eles sigam rodando, mesmo que estejam furados e totalmente vazios. Porém, há um limite de distância e velocidade que eles podem rodar nessa situação, descritos no manual do proprietário. Esse tipo de pneu é usado em modelos premium, que dispensam o estepe tradicional, ou em blindados.

17. O que são pneus verdes?

Também chamados de pneus com baixa resistência ao rolamento, eles utilizam sílica misturada à borracha, o que eleva sua dureza e ajuda a diminuir o consumo de combustível em cerca de 5%.

18. Quais as diferenças entre pneus recauchutados e remold?

Os pneus remold são aqueles em que toda a sua estrutura foi raspada, de talão a talão, para serem reaproveitados. Nos caso dos pneus recauchutados, somente a banda de rodagem foi raspada para refazer os sulcos.

 

Aprenda como ler as informações na lateral do pneu

Pneu furou? Testamos o reparador de pneu Wurth

 

Share This