Quarta geração da perua Audi RS 4 Avant retorna às origens com novo motor V6 biturbo de torque 40% maior em relação ao V8 da antecessora

Lucas Di Grassi talvez jamais imaginasse in­terpretar papel análogo ao do personagem Marty McFly, da trilogia “De Volta Para o Fu­turo”. Mas foi quase isso que o piloto de Fór­mula E fez na campanha “Time Machine”, um vídeo que mostra a travessia da Ponte Alen­castro, na divisa dos estados de Mato Grosso do Sul e Minas Gerais, a bordo da nova geração da Audi RS 4 Avant. Para não dar mais spoilers, recomendo que você descubra o resultado assis­tindo à íntegra da campanha, que está disponível no YouTube.

A viagem ao passado da quarta geração da perua RS 4 Avant começa na volta da adoção de motor V6, como na primeira linhagem – em subs­tituição aos V8 aspirados dos dois antecessores. Sob o capô do modelo 2019 está um 2.9 biturbo capaz de produzir 450 cv de potência e 61,1 kgfm – um aumento de 40% no torque!

A força é transmitida às rodas por um câm­bio automático de oito marchas e brilhantemente distribuída entre os eixos pela tração integral per­manente quattro (com divisão padrão 40/60 entre dianteira e traseira). Ela foi essencial para manter o controle na pista molhada devido à chuva in­tensa no autódromo Velo Città, em Mogi Guaçu (SP), local escolhido pela Audi para o lançamento do modelo.

Ao assumir o volante, a primeira característica que surpreende é a ergonomia (herdada da atual família A4), com destaque para os comandos pró­ximos à mão do motorista e o perfeito alinhamento entre volante e banco. Por falar nele, o formato con­cha, com abas laterais bem pronunciadas, ampliam a sensação de que o carro veste quem o dirige.

O quadro de instrumentos digital, com tela de 12,3 polegadas, possui grafismos exclusivos da linha RS, com informações sobre força G e por­centagem de uso em tempo real de potência e tor­que. Com abertura e fechamento sem o uso das mãos (basta passar o pé sob o para-choque), o porta-malas possui 505 litros de capacidade. Com os bancos traseiros rebatidos, pode ser ampliado para 1.510 litros.

A sinfonia dos dois turbos enchendo deixa a brincadeira ainda mais divertida nas retas. Se­gundo a fábrica, a perua vai de zero a 100 km/h em apenas 4s1 e pode chegar à máxima de 280 km/h. O câmbio epicíclico faz trocas de marcha de forma muito rápida, com agilidade equiparável ao robotizado de dupla embreagem (S tronic) da A4 Avant 2.0 TFSI. Nas curvas, foi difícil acreditar estar a bordo de um carro com 4.781 mm de compri­mento e 1.715 kg. Para segurar todo esse peso ao final da reta, o modelo conta opcionalmente com discos carbocerâmicos.

A lista de itens de série contempla projeção de informações no para-brisa, central multimídia com tela de 8,3 polegadas, ar-condicionado com três zonas de temperatura e som Bang & Olufsen com 19 alto-falantes. Como opcionais, a perua pode trazer ainda pacote com sistemas semiautônomos de condução, como controle de cruzeiro adapta­tivo e assistente de engarrafamentos, que atua na aceleração, frenagem e direção a até 65 km/h.

Ainda que não tenha asas de gaivota como o DeLorean DMC-12 que ficou famoso no cinema, a Audi RS 4 Avant permite ao motorista voar bai­xo e fazer uma bela viagem ao passado. O bilhete para embarcar nessa divertida máquina do tem­po custa R$ 546.990.

Pin It on Pinterest

Share This