Você já deve estar cansado de saber que, nessa onda de downsizing, a cilindrada dos motores perdeu parte da relevância. Então, não causa surpresa que, em nossos testes, o novo Volkswagen Golf 1.0 TSI tenha sido 1s28 mais rápido e 29% mais econômico que o modelo com motor 1.6 MSI, certo?

E se eu lhe disser que, além disso, a nova versão mantém os mesmos equipamentos da configuração sem turbo e ficou mais barata? Num mercado onde reajustes e preços altos se tornaram comuns, os R$ 74.990 pedidos pela novidade soam extremamente competitivos.

Motor 1.0 do up! foi recalibrado para gerar 125 cv e 20,4 kgfm no Golf

Justiça seja feita, porém: a fabricante reduziu, “promocionalmente”, o preço da versão 1.6, que caiu de R$ 78.130 para R$ 73.130. A empresa não divulgou até quando vale esse preço menor, mas temos um palpite: enquanto durarem os estoques do Golf com motor MSI.

E, mesmo mais barato, é impossível justificar racionalmente a compra do Golf 1.6. Apesar de moderno, o motor 16V de 120 cv e 16,8 kgfm parece antiquado diante dos 125 cv e 20,4 kgfm do motor turbo derivado do up! TSI. Ah, e no Golf TSI o câmbio – sempre manual – é de seis marchas (uma a mais em relação ao MSI).

Sigla TSI vai ajudar a identificar a versão

Para aumentar a potência e adequar o 1.0 12V ao Golf, a Volkswagen promoveu muito mais do que uma “troca de motores”. No hatch médio, o motor feito em São Carlos (SP) usa um novo mapeamento de injeção, maior pressão do turbo (que recebeu uma nova liga metálica), válvulas de sódio e junta do cabeçote reforçada.

Essa receita é velha conhecida dos preparadores e caiu como uma luva no equilibrado conjunto da sétima geração do Golf, que continua prazeroso de dirigir, mesmo com a suspensão por eixo de torção na traseira da versão nacional.

Por enquanto, Golf 1.0 TSI terá apenas câmbio manual de seis marchas

E, como a VW só oferece a versão 1.4 com o caro pacote Highline de R$ 95.670, a opção com motor tricilíndrico ficou ainda mais atraente. Além de ser só 1s23 mais lenta, ela não deixa nada a desejar em relação ao Golf de 150 cv. Acelerações e retomadas são feitas sem sustos, e só em situações mais extremas você pode sentir falta de um motor maior.

Versão 1.0 TSI pode aposentar Golf 1.6 16V aspirado

A Volkswagen nega que o Golf 1.6 vá sair de linha, mas a única vantagem do modelo agora é oferecer câmbio automático, já que a caixa feita pela Aisin não estará disponível para o motor 1.0. Para quem não faz questão do Golf com dois pedais, porém, só há um detalhe que pode ser um problema da versão 1.0 TSI: o seguro.

Muitas empresas ainda associam turbo com esportividade (e maior risco de acidentes), o que aumenta o preço da apólice. Como a nova versão ainda não havia chegado às lojas até o término desta edição, não conseguimos obter uma cotação para o modelo.

Medições realizadas no campo de provas da ZF-TRW, em Limeira (SP)

Nossa espectativa é que o valor seja condizente com o Golf, mas o histórico desse motor não é bom. No up! o turbo sob o capô fez o preço da apólice disparar 85%. Será que agora as seguradoras mudarão de conceito? 

Ficha técnica do Volkswagen Golf 1.0 TSI

MOTOR 1.6 COM DIAS CONTADOS
Tive duas gratas surpresas ao avaliar o Golf 1.0 TSI. A primeira foi ao guiá-lo, pois seu desempenho é muito próximo da ótima versão 1.4, com um consumo de combustível admirável para o segmento. O preço foi revelado alguns dias depois, oficialmente abaixo da versão 1.6. A redução temporária do valor do Golf resolveu o problema de seu preço mais alto, mas não deve evitar a canibalização pelo ótimo irmão turbo. Agora é torcer para que a marca não promova nenhum reajuste pós-lançamento no Golf 1.0 TSI.

Golf Variant passará a ter o motor 1.4 TSI flex feito em São Carlos (SP)

VARIANT GANHA POTÊNCIA; TIGUAN, NOVA VERSÃO
Junto do Golf 1.0, a Volkswagen apresentou os novos Golf Variant e Tiguan 2017. A station, que segue importada do México, recebeu o mesmo (e polêmico) pacote do Golf, com suspensão traseira por eixo de torção e câmbio automático convencional de seis marchas. Agora o modelo passa a usar o mesmo motor nacional 1.4 de 150 cv do hatch, que é produzido em São Carlos (SP) e enviado ao México para equipar a perua.

Apesar dos componentes, em teoria, mais baratos, a Golf Variant ficou mais cara. Pela versão Comfortline a VW sugere o preço de R$ 101.880, subindo para R$ 113.290 pela Highline (os valores antigos eram de R$ 96.750 e R$ 107.450, respectivamente). 

Atual geração do Tiguan (que já mudou na Europa) terá motor 1.4 TSI no Brasil

Já o SUV Tiguan, que só muda de geração em 2017, ganhou uma versão 1.4, também com 150 cv, mas movida a gasolina, com tração dianteira e câmbio robotizado de dupla embreagem a óleo e seis marchas. Curiosamente a caixa de marchas mais avançada só equipará o Tiguan mais fraco, restando ao 2.0 o mesmo câmbio automático convencional de seis marchas atual.

O preço pedido pelo modelo é de R$ 125.990.

Sobre o novo Tiguan, a Volkswagen afirma que o Brasil receberá o modelo mexicano, que será diferente do Europeu. Mais longo, ele deve seguir a tendência da versão chinesa e terá opção para uma terceira fileira de bancos. Sua plataforma será a modular MQB do Golf, abrindo caminho para uma eventual motorização 1.4 flex. O novo Tiguan deve chegar ao Brasil entre o final de 2017 e início de 2018.

Newsletter

Newsletter

Quer ficar por dentro das noticias da Revista Carro em primeira mão?

Receba grátis!

Obrigado!

Pin It on Pinterest

Share This