Um salão com apenas 13 montadoras apresentando seus modelos, numa cidade distante e gelada (9 graus negativos no momento em que esta reportagem é escrita), num país à beira de um ataque de nervos pela proximidade da posse de um presidente instável e que já arrumou briga com três megaempresas do setor. Além disso, as vendas de veículos, que vêm crescendo ano após ano, devem estagnar em 2017.

Assim será o Salão de Detroit (conhecido aqui como Naias, North American Auto Show) de 2017, que abre às portas à imprensa nesta segunda-feira (8) e ao público em geral no sábado (15) com uma previsão de temperatura baixa também no interior do Cobo Center, o pavilhão à beira do lago Michigan em que acontece anualmente.

Cobo Center, já preparado para receber o salão

MAIS SOBRE DETROIT
Traverse é estrela da Chevrolet em Detroit
Tiguan de 7 lugares estreia nos EUA; já guiamos
Mercedes GLA muda e versão AMG tem 380 cv
GM aposta em SUVs com Equinox e novo Tracker
Stinger é inédito Gran Turismo de 370 cv da Kia
Audi revela conceito Q8, futuro rival do BMW X6
Mercedes lança GT C em Detroit, com 557 cv

Farão apresentações especiais, por ordem cronológica: Chevrolet, Audi, Lexus, Ford, Mercedes-Benz, Volkswagen, BMW, Nissan, Honda, Toyota, Volvo, Kia, Infiniti e GAC (China). Uma explicação para o aparente desinteresse de marcas importantes (como a Hyundai) é a concorrência de outros salões americanos, que crescem em prestígio e atraem estreias globais: Los Angeles, Nova York e Chicago.

O clima político nos Estados Unidos não ajuda. O presidente eleito Donald Trump já atacou três fabricantes — Ford, GM e Toyota — pelo Twitter (e teve conversas ao pé do ouvido com pelo menos uma delas, a Ford), criticando-as por planejar novas fábricas no México, país vizinho que tem um acordo de livre comércio com os EUA desde 1994.

Quanto ao mercado de novos, 2016 registrou cerca de 17,5 milhões de novos emplacamentos, menos de 100 mil a mais que em 2015. A tendência é de andar para o lado em 2017 — a rigor, a pequena margem no ano passado já representa uma estagnação.

O QUE VAI TER
A agenda de estreias de Detroit (algumas delas apenas locais) inclui modelos de produção como Audi A5/S5 Cabriolet e Q8, Bentley Continental GT Supersports, BMW Série 5, Chevrolet Traverse (SUV grande, maior que o Equinox), Ford F-150 (reestilização do modelo mais vendido nos EUA), Honda Odyssey, Kia Stinger (versão de produção do GT Concept), Lexus LS, Mercedes-Benz Classe E Coupé e Classe S Coupé Night Edition, Nissan Qashqai, Toyota Camry, Volkswagen Atlas R-Line e Volvo V90.

Preparativos para o Salão de Detroit, que abre nesta segunda à imprensa
O Salão de Detroit também vai abrigar uma espécie de evento paralelo, o AutoMobili-D, voltado a jornalistas e executivos da indústria e com temas como condução autônoma, tecnologias de conexão entre carros, serviços de mobilidade e mobilidade urbana, entre outros.

A Motorpress está em Detroit e vai acompanhar o Naias aqui em CARRO ONLINE, no Facebook, no Instagram e no Twitter. No alto desta reportagem você encontra fotos da edição 2016 do salão; confira também a cobertura completa daquele ano.

Viagem a convite da General Motors

Newsletter

Newsletter

Quer ficar por dentro das noticias da Revista Carro em primeira mão?

Receba grátis!

Obrigado!

Pin It on Pinterest

Share This