Segundo a Peugeot, a grade dianteira do tipo flutuante transmite refinamento e poder

Geralmente mais espaçosos e versáteis em relação aos hatches dos quais derivam (veja, por exemplo, o Ford New Fiesta e o EcoSport), não é difícil explicar o sucesso que os SUVs/crossovers compactos obtém em diversos mercados.

O Peugeot 2008 é um ótimo exemplo. Ele foi lançado há um ano na Europa e já atingiu a marca considerável de 100.000 unidades produzidas, o que obrigou a fábrica de Mulhouse, na França, a duplicar o volume previsto inicialmente.

No Brasil, a fábrica da PSA em Porto Real, RJ, começará a fabricar o 2008 no fim deste ano, sendo que o lançamento está previsto para o primeiro semestre de 2015. É um modelo que vem bem a calhar no atual portfólio da Peugeot no país, ainda mais considerando a investida das concorrentes no segmento.

O modelo aposta na boa dirigibilidade e conta com rodas de liga leve aro 17”

Em nosso primeiro contato com o 2008, a novidade agradou. Em relação ao hatch, ele ganha 19 cm no comprimento, 3 cm na largura e 10 cm na altura. Mesmo com o aumento nas dimensões, ele mostrou-se tão agradável de dirigir como o hatch, apresentando-se estável e bem equilibrado nas curvas.

Assim como no 208, o crossoover também adota uma concepção de cabine bem original, com o volante pequeno localizado ligeiramente abaixo do painel de instrumentos. O padrão de acabamento, incluindo os materiais, é muito bom.

Assim como no hatch 208, o crossover aposta na cabine inovadora, com volante pequeno e painel de instrumentos elevado

Pelo menos na Europa, o 2008 conta com um interessante sistema para o controle de tração que permite, por meio de um seletor no console central, ajustar a melhor resposta possível do modelo para diferentes tipos de pisos. Chamado Grip Control, resta saber se ele será oferecido no 2008 nacional. Os fãs de aventuras, contudo, poderão sentir falta de uma opção com tração integral. A altura livre do solo, de 16 cm, deverá ser a menor entre os rivais. É bom levar em conta que a Peugeot sempre fez questão de destacar que o 2008 é essencialmente um “crossover urbano”, deixando claro o uso a que ele se destina. As rodas aro 17” e o cuidado com a dirigibilidade que a marca tomou no acerto do carro realçam esse ponto.

Na terra de Napoleão, o crossover conta com duas opções de motores a gasolina, um interessante 1.2 tricilíndrico de 82 cv e outro 1.6 16V de 120 cv.

Por aqui ele compartilhará os conjuntos mecânicos do 208, logo encontraremos sob seu capô o 1.5 8V flex de 93 cv e o 1.6 16V de 122 cv, também flex, que pode trabalhar em conjunto com o câmbio manual de 5 marchas ou com o automático de 4. Por ser maior que o hatch, é mais provável que o 2008 seja oferecido somente com o motor 1.6.

O acabamento segue o bom padrão do hatch, que conta com central multimídia com navegador integrado  e tela sensível ao toque de 7”

Enquanto o Jeep Renegade vai apostar na aptidão para o off-road, o Honda Vezel, na tradição da marca e no interior prático e versátil, o 2008 se valerá de atributos da escola francesa: o design cativante e a cabine bem construída.

Se a Peugeot mantiver sua política de preços podemos esperar um bom custo-benefício. Recursos como a central multimídia com navegador integrado devem ser levados também para o crossover.

Na Europa, onde o 2008 sai de série equipado com controle de estabilidade (ESP), ele se destacou no quesito segurança ao conseguir cinco estrelas no Euro NCAP. Os 6 airbags e a estrutura projetada para otimizar a deformação em caso de impacto também ajudam. Esperamos que essas credenciais sejam mantidas no 2008 que sairá da fábrica carioca. 

Peugeot 2008

Ligeiramente menor em relação ao Renegade e ao Vezel, o 2008 mira quem não quer quer um crossover comedido no tamanho. A conta, porém, vêm no menor porta-malas. Considerando que o primo maior 3008 parte de R$ 89.990, o preço do 2008 de entrada tem tudo para ficar próximo dos concorrentes, portanto na base de R$ 65.000. Vamos ver se consegue repetir por aqui o mesmo sucesso que ele obteve na Europa.

Peugeot 2008 1.6 (Europa)

Motor 4 cilindros, dianteiro, transversal, gasolina; Cilindrada 1.598 cm³ ; Potência 120 cv a 6.000 rpm; Torque 16,3 mkgf a 4.250 rpm; Câmbio manual, 5 marchas; Tração dianteira; Suspensão dianteira independente; Suspensão traseira eixo de torção; Comprimento 4,16 m; Largura 1,74 m; Altura 1,55 m; Entreeixos 2,53 m; Portamalas 350 litros; Peso 1.080 kg.

Newsletter

Newsletter

Quer ficar por dentro das noticias da Revista Carro em primeira mão?

Receba grátis!

Obrigado!

Pin It on Pinterest

Share This