A Mini anunciou nesta terça-feira (28) em evento em São Paulo (SP) os preços da segunda geração do SUV Countryman no Brasil. O modelo, que virá importado da Europa, começa a ser vendido no dia 19 de abril nas 25 lojas da marca pelo país, com preços partindo de R$ 144.950 até R$ 189.950.

Faróis totalmente em LEDs são de série em todas as versões
Conforme já abordamos em outras oportunidades aqui na CARRO, a nova geração do Countryman resolveu assumir de vez seu papel no segmento dos utilitários esportivos compactos. O SUV cresceu 20 cm em comprimento, três em largura e 7,5 cm em distância entre-eixos. Com as novas dimensões (4,30 m de comprimento e 2,66 m entre-eixos) o novo Countryman se equivale em porte com modelos como o Audi Q3, Mercedes-Benz GLA e BMW X1, concorrentes do Mini citados pelos executivos da marca.
As características (e grandes) lanternas foram mantidas na nova geração

A apresentação estática do modelo nesta terça apenas serviu para que a imprensa brasileira tivesse seu primeiro contato com a novidade, mas ainda não tivemos oportunidade de guiar o novo Countryman. Contudo, a CARRO pôde atestar que, de fato, o conforto da cabine do SUV melhorou exponencialmente, oferecendo espaço generoso para pernas e cabeça aos ocupantes da fileira de trás (mesmo quando os bancos da frente são ocupados por pessoas mais altas). Outro ganho relevante desta geração foi o da capacidade volumétrica do bagageiro: agora é de 450 litros.

Pacote de equipamentos pode incluir sistema de som premium e HUD

Em termos visuais, a Mini decidiu atribuir um aspecto mais convencional de SUV ao modelo. Sua silhueta condiz mais com um veículo deste segmento e o design ganhou ângulos mais pontiagudos, abandonando o semblante amigável arredondado de antes em virtude de um visual mais maduro. Internamente, o Countryman segue o padrão adotado nos outros modelos da Mini, bem parecido com a geração anterior, repleto de botões por todos os lados e uma central multimídia de 8” ao centro, cercada por uma iluminação de LED.
O bom espaço interno no banco traseiro é o principal diferencial do Countryman

O Mini Countryman será comercializado em três versões no Brasil: Cooper, Cooper S e Cooper S All4. A opção de entrada é a única equipada com o motor 1.5 tricilíndrio turbo de 136 cv de potência e 22,4 kgfm de torque, acoplado à transmissão composta pelo câmbio automático de seis marchas e tração dianteira. As outras duas são impulsionadas pelo propulsor 2.0 turbo de 192 cv e 30,6 kgfm de torque, trabalhando com um câmbio automático de oito marchas e tração dianteira, no caso do S, e integral, no All4.

Versão ALL4 será a topo de linha do modelo no Brasil

Veja os preços e principais equipamentos de cada versão:

  • Mini Cooper Countryman: R$ 144.950 – Seis airbags, faróis full LED direcionais, bancos de couro sintético com ajustes elétricos e duas opções de memória, ar-condicionado digital de duas zonas, central multimídia com tela de 6,5” e rodas aro 17”;
  • Mini Cooper S Countryman: R$ 164.950 – Rodas aro 18”, teto solar e bancos de couro legítimo;
  • Mini Cooper S All4 Countryman: R$ 189.950 – Três modos de condução, suspensão adaptativa, central multimídia com tela de 8,8” touchscreen com HD externo de 20 GB e navegador, sistema de som de 420 Watts, bancos traseiros ajustáveis, head-up display e rodas aro 19”.

    A BMW confirmou estudos para nacionalizar a nova geração do Countryman

META É CRESCER
O Countryman representa cerca de 25% das vendas globais da Mini. Esta participação no portfólio da marca deve aumentar com esta nova geração, inclusive no Brasil. A companhia pouco menos de 350 unidades do SUV no ano passado e a expectativa é de que este número cresça em 2017, conforme afirmou Rodrigo Novello, gerente sênior de produto e preço da Mini no Brasil, sem relevar a meta.

Além da evolução do produto, a Mini conta com um novo serviço de manutenção que promete tornar a condição de pós-venda do SUV mais atraente. Trata-se do Mini Service Inclusive, que oferece serviços de manutenção preventiva gratuitos para as primeiras 150 unidades vendidas do Countryman. Os serviços são agendados de acordo com o diagnóstico da tecnologia CBS embarcada de série em todos os Countryman, que utiliza uma ECU que monitora o perfil de condução e uso do proprietário para avaliar que tipo de manutenção deve ser feita no carro (não há mais um pacote padronizado de manutenção programada para o Countryman). 

VAI NACIONALIZAR? E O HÍBRIDO?
Uma das principais novidades da segunda geração do Mini Countryman é a inédita versão híbrida do modelo, possibilitada graças à plataforma UKL2 do Grupo BMW (que dá origem ao novo BMW X1 também, por exemplo). Segundo Novello, a marca pensa em importar o Countryman híbrido até meados do ano que vem, mas antes disso é preciso “certificar de que a versão vai se encaixar na classificação fiscal” que incentiva a importação deste tipo de veículo com isenção do imposto. “Depois, o segundo passo é avaliar se o benefício compensa os custos de produção dessa versão, que são mais caros, e de manutenção do modelo aqui.”

Já em relação à nacionalização do novo Countryman, uma vez que a geração anterior era montada em Araquari (SC), o gerente de produto disse apenas que, neste momento, o SUV será importado, mas futuramente a companhia poderá retomar a produção nacional. Tudo depende da demanda do mercado brasileiro. 

Newsletter

Newsletter

Quer ficar por dentro das noticias da Revista Carro em primeira mão?

Receba grátis!

Obrigado!

Pin It on Pinterest

Share This