Cuidados com o visual do veículo parecem simples, mas é preciso tomar uma série de precauções

É sempre bom receber um elogio inesperado. Não, não estou falando de cantadas baratas, mas sim quando você para no semáforo e ouve um “parabéns, seu carro é/está lindo”. Para quem é apaixonado pelo seu carro isso vale muito, mas poucos sabem que deixar a pintura “zerada” é uma arte para especialistas. A exposição frequente às intempéries, além das famosas ‘batidinhas de porta’ em estacionamentos, são alguns exemplos de situações comuns que levam a deterioração precoce da pintura do seu veículo.

Mais que um banho

Nem todo produto é indicado no processo de lavagem do carro, assim como nem todo pano deve ser usado para secá-lo. Um erro comum é utilizar detergente neutro de lavar louças para dar o banho de sábado no possante, e secá-lo com aquela camiseta velha das eleições de 1994. Os detergentes aceleram a degradação da pintura e o pano de algodão gera os famosos riscos em círculo (que é o formato que intuitivamente fazemos no processo de secagem). Por isso, dê preferência para xampus automotivos, pois tem pH (potencial hidrogeniônico) balanceado e, além de limpar, oferecem proteção a tinta automotiva. “É recomendado sempre utilizar dois baldes, um com xampu e o outro com água. Assim, com uma luva de lavagem (em microfibra) ensaboe a carroceria com o xampu e, antes de molhá-la novamente na solução, limpe-a no balde com água. Esse cuidado permite que os contaminantes presentes na luva não sejam transferidos ao produto e, por consequência, esfregados novamente contra a pintura”, recomenda Felipe Tolin, proprietário da Tolin Estética Automotiva.

Descontaminação é importante

Ao contrário do que estamos acostumados a entender, lavagem e limpeza são processos diferentes. Após ter o veículo lavado, a limpeza deve ser entendida como um processo para remover sujeiras mais difíceis que aderiram à pintura. Também conhecida como descontaminação, é feita por uma espécie de massa abrasiva de argila (conhecida como Clay Bar). “Ela consegue aderir as impurezas mais profundas e removê-las da superfície”, acrescenta Tolin.

É bom polir, mas…

Ver a pintura brilhar e se tornar tão lisa quanto um espelho talvez seja o ápice da beleza de um carro, mas deve ser feita com cuidado. Segundo Tolin, embora o polimento seja um processo indicado para isso, a mesma abrasão que nivela a superfície da pintura e a deixa mais lisa, se feita em excesso, pode desgastá-la em demasia. “Neste caso, consulte sempre um especialista para que ele lhe recomende o procedimento mais indicado”.

 Opte pelo enceramento

O enceramento, basicamente, consiste em criar uma película protetora para a pintura frente aos contaminantes externos, o que a mantém por mais tempo “viva”. Você pode aplicá-la manualmente ou através de politriz, e a durabilidade da camada de proteção varia do ambiente em que o carro trafega e ao tipo de contaminante em que ele é exposto. “Hoje em dia existem produtos muito práticos que você faz todo o processo em poucos minutos. Não é mais necessário perder o sábado ou o domingo inteiro para deixar o seu carro bonito como um 0 km”, finaliza o especialista.

Agradecimento:

Tolin Estética Automotiva

facebook.com/tolinesteticaautomotiva

Tel.: 11-98107-6335

Newsletter

Newsletter

Quer ficar por dentro das noticias da Revista Carro em primeira mão?

Receba grátis!

Obrigado!

Pin It on Pinterest

Share This