Nem bem chegou ao mercado norte-americano, o novo Honda Civic já foi eleito o Carro do Ano aqui nos Estados Unidos. Nas lojas desde novembro do ano passado, o sedã já é o terceiro carro mais vendido do país, atrás de Honda Accord, em segundo, e Toyota Camry, em terceiro. O sucesso da décima geração do Civic pode ligar o alerta para o arquirrival Toyota Corolla, no Brasil, que vai ganhar um oponente mais potente e tecnológico a partir do segundo semestre deste ano.

A versão exposta com destaque no estande da Honda no Salão de Detroit é a top de linha Touring. Esta é a primeira vez que o Civic recebe o “trato” do braço mais luxuoso e refinado da companhia japonesa, a Acura (tal privilégio se restringia apenas ao Accord). Embora não haja confirmação, a configuração mais exclusiva do sedã deve ir, sim, ao Brasil e, quando chegar, certamente colocará o Civic em outro patamar de sofisticação, acabamento e tecnologia. 

Para se ter uma ideia, o Civic Touring traz consigo controle de cruzeiro adaptativo (isto é, que regula a distância do veículo da frente), alerta de mudança de faixa, bancos aquecíveis e faróis full LED. Todos estes equipamentos seriam inéditos no segmento dos sedãs médios (exceto os modelos premium, claro) no Brasil. Como a Honda trabalha para alcançar um público mais jovem e antenado em interatividade, a versão também ofecere painel que faz alusão a uma espécie de tablet, com uma tela digital TFT centralizada para desempenhar as funções do computador de bordo e navegação. 

Honda Civic Touring poderá vir ao Brasil para brigar com modelos premium

A má notícia é que com este nível de equipamentos a ambição da Honda não será somente roubar a liderança do Corolla no segmento dos sedãs médios. Ao que tudo indica, considerando as cifras acima dos R$ 100 mil que a Toyota pede pela versão Altis, top de linha, do Corolla, o Civic deve atingir a casa dos R$ 110 mil na versão Touring, mirando incomodar modelos premium compactos, como o Audi A3 Sedan.

A gama do novo Civic que irá para o Brasil terá dois tipos de motores: o novo 1.5 turbo com 174 cv de potência (que equiparia a versão Touring) e o 2.0 aspirado tradicional com 155 cv (o aspirado de entrada mais potente já instalado sob o capô do Civic). O bloco turbo será apenas gasolina, inicialmente, enquanto o 2.0 permanecerá flex. Ambos estarão no Salão do Automóvel de São Paulo, no último trimestre do ano, já com produção nacional.

A novidade fica por conta do câmbio, que pela primeira vez será do tipo continuamente variável (CVT) na linha do Civic.

John Mendel, vice-presidente da Honda na América do Norte, comentou que “o Civic se tornou um carro bem mais esportivo, no desenho e na performance, apesar de estar ainda mais econômico”. 

Versão será equipada com motor 1.5 turbo

Entre outros pontos destacados pela Honda está o maior espaço interno para os ocupantes. Mesmo com o declínio bastante acentuado da coluna C na traseira, atribuindo uma silhueta mais “cupê” ao sedã, o passageiro de trás não corre o risco de bater a cabeça no teto. O porta-malas, um tanto criticado pelos consumidores do Civic anterior, agora ganhou mais espaço para bagagens. E os ajustes na direção elétrica darão ainda mais precisão e prazer ao dirigir, segundo a marca.

Vamos aguardar, portanto, que a Honda leve também a sofisticada versão Touring ao Brasil, que irá complementar a sua linha de luxo, hoje apenas com o Honda Accord V6.

Viagem a convite da Ford do Brasil

Newsletter

Newsletter

Quer ficar por dentro das noticias da Revista Carro em primeira mão?

Receba grátis!

Obrigado!

Pin It on Pinterest

Share This