texto e Fotos: André Schaun

Visitamos uma oficina especializada em restauração de Gol GTi, modelo icônico que completa 30 anos, ele foi o primeiro a ter injeção eletrônica

Quase 330 expositores, 17 fabricantes de veículos e 200 de autopeças, 600 mil visitantes e uma estrela que revolucionou o mercado brasileiro. Estamos falando da 15ª edição do Salão do Automóvel de São Paulo — que na época se chamava Salão do Automóvel e Autopeças —, realizado entre 13 e 23 de outubro de 1988 no Centro de Exposições do Anhembi. E a estrela em questão é o Volkswagen Gol GTi. Sim! É isso mesmo, pode ser estranho pensar isso hoje em dia, mas o Gol foi o grande destaque daquele Salão.

O modelo esportivo foi o primeiro carro nacional a sair de fábrica trocando o carburador pela injeção eletrônica de gasolina, que era coisa de carro importado para aquela época. Portanto, foi um grande marco para a indústria automobilística brasileira.

O Gol GTI foi equipado com um motor AP 2000 injetado, rebatizado 2000i, capaz de entregar 114 cv de potência e 17,6 kgfm de torque (números líquidos, como todos hoje) realizando o 0 a 100 km/h em 8,8 segundos e atingindo velocidade máxima de 190 km/h.

Seu lançamento oficial no mercado foi em 1989 e em pouco tempo virou o sonho de consumo de uma geração. Seu valor na época era de Cz$ 22.535, hoje o cruzado parece grego e talvez muita gente não tenha noção do quanto esse valor represente em 2019, mas custaria incríveis R$ 190 mil. Você não leu errado, é isso mesmo, cento e noventa mil reais. Para se ter noção, um Golf GTi zero-quilômetro hoje sai de fábrica por R$ 143.790, podendo chegar a R$ 165.890 com todos os opcionais.

Um dos segredos da cobiça pelo icônico esportivo, que completa 30 anos de seu lançamento no mercado em 2019, estava no torque máximo a 3200 rpm, que lhe rendia arrancadas e retomadas incríveis para aqueles tempos, muito por conta de seu peso de 980 kg, alcançando o status de carro mais rápido do Brasil naquele tempo.

Além do truculento motor para a época, o esportivo contava com um desenho único, com a exclusiva cor azul Mônaco, faróis de longo alcance sobre o para-choque, apliques plásticos prata nas laterais, aerofólio na traseira, exclusivas rodas diamantadas aro 14 com design de gota, interior com bancos Recaro, painel com grafia vermelha e teclas satélite.

Depois de 30 anos o Gol GTi voltou para o Salão do Automóvel, totalmente restaurado, parecendo ter saído da fábrica direto para o São Paulo Expo; foi a primeira vez na história do Salão do Automóvel que uma fabricante colocou um carro restaurado dentro de seu estande. A missão de trazer a originalidade de 1988 para 2018 foi do Studio By Deni, que fica em Indaiatuba, no interior de São Paulo. E nossa equipe foi até lá, ver de perto, a oficina referência no Brasil em Gol GTi. “Falou em Gol GTi, falou em Studio Deni”.

“Nós fazemos de tudo aqui: mecânica, funilaria, pintura e tapeçaria. Nós desmontamos o carro por completo mesmo, pensado em cada detalhe. Trabalhamos com carros antigos, principalmente dos anos 80 e 90, e o que vier, se tivermos condições, nós fazemos. Mas nosso carro-chefe, e nossa fama, é por causa do Gol GTi. Vêm modelos de Norte a Sul do país, tem até carro feito aqui rodando em Dallas, no Texas”, comenta Denílson Santos, o Deni, dono do Studio.

Proprietário de Gol GTi há mais de 15 anos, Deni comenta que o futuro da ofi cina está focado em modelos clássicos da Porsche, que é uma tendência e um mercado que está crescendo. “Mas se eu vou parar de mexer em modelos “quadrados” e Gol GTi? Jamais! Eu quero ter pelo menos metade da oficina ocupada por Gol, porque essa é minha verdadeira paixão e o que me motivou e me fez chegar até onde estou hoje”, exalta Deni, que têm modelos de Gol GTi agendados para restauração até setembro desse ano. “A crise não passou nem na avenida ali”, fala em tom de brincadeira.

Deni trabalhou na General Motors durante 17 anos – dez deles como piloto de teste –, entre 1996 a 2013, e quando saiu, decidiu montar sua própria oficina naquele mesmo ano, em um espaço bem menor do que o atual. Ali naquele galpão ele está desde setembro de 2016, com 14 funcionários, que vão desde motorista até supervisor de área.

“Em meados dos anos 90 tive um Gol GTi. Eu era apaixonado pela cor e pelos detalhes do carro. Mas acabei vendendo para comprar um Kadett GSi. Sempre tive paixão por carros antigos, e com o passar do tempo, a memória do Gol GTi só aumentava, foi então que decidi comprar este modelo e quis restaurá-lo”, conta Marcos Freire, proprietário do Gol GTi que nos serviu de modelo.

“Foi amor à primeira vista”, conta o proprietário do carro dando risada sobre o momento que conheceu Deni. “Quando levei o carro para ele, fizemos tudo do zero e ele deixou meu GTi zerado, com a perfeição que ele tem no trabalho. Eu adoro esse GTi, ele é um ícone dos anos 90 e um modelo cheio de história que ficou marcado como o primeiro carro nacional a sair de fábrica com injeção eletrônica”, diz Marcos cheio de orgulho de seu carro.

Deni nos indicou aquele modelo para a reportagem, especificamente, porque foi 100% restaurado e hoje está no padrão original, atendendo exatamente essa originalidade do modelo que completa 30 anos em 2019.

Deni é tão obcecado e apaixonado pelo Gol GTi que garante: “Se tirar todas as peças e colocar no chão, eu sei uma por uma”. Ele diz que lá no começo era muito difícil o processo para conseguir as cores do carro para fi car o mais original possível, e com trabalho muito duro e pensado em cada milímetro as coisas mudaram, tanto que hoje ele tem um catálogo de tinta dentro da Volkswagen chamado ‘By Deni’ com as cores.

Em relação a transporte de carros de outros estados para a ofi cina, Deni conta que trabalha em parceria com duas plataformas, mas tem que ter um cuidado gigante, principalmente na volta. “Para vir, tem que ser com muito cuidado, porque a responsabilidade é nossa, agora, para voltar, depois de passar por uma restauração, o cuidado é triplicado, já que qualquer risco ou batida é muito fácil de acontecer durante o transporte”, explica.

Na época em que foi lançado, o Gol GTi, além das inovações da injeção eletrônica, era o carro mais rápido a venda no Brasil, criando uma legião de fãs que sonhavam em tê-lo na garagem. A oficina do Deni traz um pouco aquele sonho dos anos 90 para o presente, e para os amantes do Gol GTi, aquele galpão pode ser chamado de ‘Galpão dos Sonhos’. No dia que realizamos a matéria, a oficina tinha mais de 15 modelos de Gol GTi lá dentro.

Serviço: By Deni Studio: (19) 99911-0876

Newsletter

Newsletter

Quer ficar por dentro das noticias da Revista Carro em primeira mão?

Receba grátis!

Obrigado!

Pin It on Pinterest

Share This