A Ford confirmou nesta terça-feira (3) uma série de modelos que serão “eletrificados” (ou seja, terão motorização híbrida ou puramente elétrica) nos próximos cinco anos. Entre eles, uma surpresa: o Mustang. As informações são do site Carscoops.

Ford terá versão híbrida do Mustang em 2020

Apesar de não ter informado nenhum detalhe sobre o desempenho do Mustang híbrido, a Ford confirmou que ele usará o motor V8 e terá “mais potência e torque”. Sua data de lançamento é o ano de 2020 e as vendas se limitarão à América do Norte.

Os outros modelos da lista são a picape F-150, que também deve ser lançada em 2020, a van Transit, que terá uma versão híbrida plug-in para ser vendida na Europa em 2019, e um SUV inédito, totalmente inédito. O utilitário será fabricado em Flat Rock, Michigan (Estados Unidos) e será vendido globalmente. A expectativa é que ele entregue autonomia de 482 km. 

Picape F-150 também será eletrificada

EFEITO TRUMP?
A Ford também aproveitou o dia para anunciar o cancelamento de seus planos de levantar uma nova fábrica da companhia no México, cujo investimento seria de US$ 1,6 bilhões. O local seria dedicado à fabricação do Ford Focus. Em vez do México, a Ford decidiu investir US$ 700 milhões na já citada fábrica de Flat Rock para expandi-la em favor do modelo.

Oficialmente, a empresa nega ter fechado um acordo com o presidente eleito Donald Trump, que advogava abertamente contra a construção da fábrica da Ford no México (ameaçando sobretaxar os produtos originados lá à venda nos EUA quando assumisse o governo). O CEO da companhia, Mark Fields, se limitou a dizer à CNN que eles tomaram essa decisão [de cancelamento] “por nossos negócios”. 

Curiosamente, no mesmo dia em que a Ford anuncia a mudança de planos da fábrica, Trump usou sua conta no Twitter para ameaçar a General Motors. Em seu post, ele diz: “General Motors está mandando o modelo Chevrolet Cruze para os Estados Unidos. Carro livre de impostos cruzando a fronteira. Faça nos EUA ou pague grande imposto de fronteira!”. O imposto poderia ser de 35% (similar ao que o Brasil cobra de modelos importados de marcas sem fábrica por aqui), segundo Trump, mas isso não é confirmado. 

Em resposta, a GM explicou que apenas a versão hatch do Cruze é feita no México, enquanto a todos os Cruze sedã vendidos nos EUA são feitos no próprio país de origem da companhia. 

Newsletter

Newsletter

Quer ficar por dentro das noticias da Revista Carro em primeira mão?

Receba grátis!

Obrigado!

Pin It on Pinterest

Share This