Neste salão com poucas novidades, a Ford promoveu a maior das apresentações para a imprensa em um auditório imenso. A estrela foi o novo Ford Fusion, uma das estreias mais aguardadas do Salão de Detroit. Em um verdadeiro talk show, o CEO mundial da Ford, Mark Field, e o Bill Ford, bisneto de Henry Ford, falaram sobre a sua visão do futuro, que vai bem além do automóvel e passa por muitas soluções de mobilidade. 

O novo Fusion mudou o seu visual dos faróis e lanternas, além do parachoque frontal, com uma nova moldura e formato para os faróis de milha. O resultado final o deixou mais audacioso. Ganhou, também, em tecnologia, um pacote de novidades para tornar o Fusion ainda mais cobiçado por seus consumidores. Esse modelo já é líder disparado do seu segmento, pois tem a melhor relação custo-benefício, com preços a partir de R$ 125.000.

Nova versão Platinum, topo de linha, é novidade no Fusion

Neste salão pudemos ver as seguintes versões: duas híbridas; o novo Fusion V6 Sport; a já conhecida Titanium; e o estreante Platinum. Todas só chegam ao mercado norte-americano a partir de abril. No Brasil, contudo, deverão vir as versões Platinum, Premium e Hybrid por aqui até setembro de 2016 (descartando, para infelicidade dos aficionados, a opção V6 biturbo). 

A VOLTA DO V6
Mais uma vez a Ford oferece um motor V6 para o Fusion. Desta vez a versão Sport é impulsionada pelo bloco 2.7 V6 biturbo (Ecoboost), com potência de 329 cv e 48,4 kgfm de torque. O seu sistema “all-wheel-drive” tem um torque adicional de cerca de 13,8 kgfm e o bloco gera 50 cv a mais de potência que os motores V6 de 3.5 litros do Toyota Camry e do Honda Accord, segundo a Ford. 

Ford Fusion Sport terá motor V6 biturbo

A marca também ressalta a nova suspensão com ajuste continuamente controlado dos amortecedores, em tempo real, para se adaptar às condições da pista. O sistema conta com uma tecnologia de detecção de buracos que ajusta os amortecedores para reduzir significativamente a força do impacto transmitida aos ocupantes. Seu visual é marcado por elementos mais ousados, com entradas de ar maiores, grade preta brilhante tipo colmeia, rodas de 19 polegadas, aerofólio traseiro e saídas duplas de escape.

O Fusion Platinum é o top de linha, projetado para quem procura maior refinamento no acabamento. Utiliza motor EcoBoost 2.0 e possui tração integral. Externamente, tem uma grade com acabamento exclusivo em pintura Magnetic e as rodas são polidas, de 19 polegadas.

O Fusion Hybrid e o Fusion Energi (híbrido plug-in) mostram um avançado sistema EcoGuide que orienta o motorista em tempo real a obter a melhor economia de combustível. Com uma bateria de íon-lítio de 7,6 quilowatt-hora, o Fusion Energi tem autonomia estimada de cerca de 30 km usando apenas energia elétrica. O carro muda automaticamente para o motor 2.0 a gasolina quando a bateria está descarregada, o que garante uma autonomia de mais de 800 km.

A Ford continua evoluindo as baterias de íon-lítio, que economizam peso e espaço comparado às baterias de hidreto de níquel-metal, encontradas nos concorrentes (que também não têm versões plug-in). A recarga do Fusion Energi pode ser feita no período noturno, em apenas 2 horas e meia. Seu sistema inteligente só inicia operação nos horários em que o preço da eletricidade é mais baixo (a energia nos EUA tem tabelas diferenciadas por horário). Ele pode também pré-aquecer ou pré-refrigerar a cabine antes da partida, ajudando a economizar combustível.

Ford Fusion Sport

Entre outros destaques tecnológicos do Fusion está o sistema de detecção de pedestres e estacionamento automático em vagas paralelas e perpendiculares. Seu novo sistema de mudança de marchas, com a alavanca de câmbio redonda, melhora o aproveitamento de espaço e facilita o manuseio de objetos a bordo.

O carro também tem assistência de manutenção na faixa, o que auxilia o motorista a se manter na pista. O sistema de alerta de pontos cegos e tráfego cruzado é oferecido como opcional, inclui sensores nos painéis traseiros do carro para detectar o tráfego onde a visão do motorista não alcança, gerando alertas sonoros e visuais. Ele também avisa o motorista quando há tráfego em sentido contrário na saída de uma vaga de estacionamento com visão obstruída. Junto com a câmera de ré, item de série, ele garante confiança nas manobras de estacionamento.

A linha também conta com a terceira geração do sistema multimídia SYNC da Ford, que tem funcionamento mais rápido, sistema de reconhecimento de voz aprimorado, tela sensível ao toque mais intuitiva, semelhante aos smartphones, e uma interface gráfica mais simples. O SYNC Connect, opcional no SYNC 3, permite ligar o motor remotamente, agendar a partida e travar e destravar o carro pelo smartphone.

Se Henry Ford tinha em mente a produção em escala do Ford T, a Ford de agora visa a interação entre o homem e a máquina, facilitando a mobilidade e os serviços.

Viagem a convite da Ford do Brasil

Newsletter

Newsletter

Quer ficar por dentro das noticias da Revista Carro em primeira mão?

Receba grátis!

Obrigado!

Pin It on Pinterest

Share This