Volkswagen Taigun

A porta de um caminhão se abre, dele sai um SUV azul metálico com cerca quatro metros de comprimento sobre rodas de 17 polegadas. Bem-vindo a apresentação, ainda que restrita, do novo Volkswagen Taigun!

Taigun, já? Não, as coisas não acontecem tão rápido assim com o pessoal da marca espera. A resposta estática da VW apresentada em 2012 no Salão de São Paulo ao baby boomer do segmento englobando Renault Captur, Peugeot 2008, Opel Mokka/Chevrolet Tracker e companhia, hoje é apenas um show car. “A confirmação final continua pendente”, segundo a VW.

Mas com as qualidades que o irmão mais novo do Tiguan apresenta, o pessoal da VW não deverá ter muita dificuldade em conseguir sua aprovação. 

O SUV compacto é derivado do Up

Em vez de um automóvel esculpido à mão, eis que encontramos um Taigun quase de série. Muito claro, o Taigun assume a parte SUV da família Up – com proporções típicas, mas independentes, com uma distância entre-eixos de 2,47 metros (alongada em cinco centímetros na comparação com o hatch vendido na Europa), 1,73 metros de largura e 1,57 metros de altura.

Os clientes querem entrar com facilidade e acompanhar descontraídos os acontecimentos de cima. Isso se aplica aos países da América do Sul, como o Brasil e Argentina, assim como à Europa, e talvez até mesmo no Japão, onde um pequeno e prático utilitário esportivo elegante é necessário.

Nem tudo será produzido

Como no Up, dominam também no Taigun linhas horizontais e claras, aumentadas pelo designer com algumas ideias engraçadas. Por exemplo: garrafas combinando com a cor do carro, suporte de borracha colorido para documentos e reguladores de temperatura com visor integrado montados nas aberturas de ar – que até funcionam. No entanto, provavelmente algumas dessas soluções não entrarão em produção, como o suporte para smartphone, que pode ser encaixado no painel de instrumentos como interface de infoentretenimento.

Relativamente firme parece a enorme alça de segurança do passageiro acima do porta-luvas. Os passageiros podem precisar dela quando o novo motor turbo de três cilindros é forçado ao máximo e o Taigun animado dobra a esquina.

No Brasil o Up vai rivalizar com Ford EcoSport, Chevrolet Tracker e Peugeot 2008

Com 110 cv e 175 Nm de torque o 1.0 TSI arredonda para cima a escala do motor de três cilindros de um litro com injeção direta (EA 211) que, em breve, também irá acelerar o GT Up na Europa. No Taigun ele poderia ser suficiente para uma aceleração de 0 a 100 km/h em 9s2 segundos e levá-lo até a velocidade máxima de 186 km/h. Segundo a Volkswagen diz, pode-se colocar o consumo médio na casa de 21,2 km/l com gasolina. 

O protótipo, que foi apresentado no Salão de São Paulo em 2012, tem capacidade para 4 passageiros, mas a versão final levará 5 ocupantes

Empurrar com agilidade o pequeno propulsor turbo já sabe. Naturalmente, até a produção o barulho irregular será corrigido, o maravilhoso assobio do sopro deve desaparecer, no entanto, a partida forte e a transmissão precisa de seis velocidades devem permanecer. Quem considera 100 cv um exagero para um carro de uma tonelada pode recorrer aos motores naturalmente aspirados de 60 e 75 cv. Possíveis também a versão a diesel, bem como paralelamente ao Eco-Up, a versão a gás extremamente econômica. Para a América do Sul pode ser acrescentado motorização flex e uma tração integral adequada à distância livre do solo ligeiramente elevada. Tudo isso é bastante plausível. 

A embalagem convence

O espaço disponível para os passageiros já convence. A Volkswagen sabe fazer embalagens e alia no Taigun linhas externas compactas com um interior espaçoso. Os bancos dianteiros familiares do Up proporcionam muito espaço para a cabeça e os ombros. O console na porta não encosta na parte inferior da perna, os passageiros atrás – no estudo seriam dois, na produção três – desfrutam em seus bancos estreitos de espaço suficiente para as pernas. Atrás deles há um porta-malas com piso duplo (estepe acomodado abaixo do nível do compartimento) e capacidade para 280 litros de bagagem. Com o banco traseiro rebatido, a área sobe para 987 litros. Adicionalmente, o elemento inferior da porta da bagageira dupla serve como assento, se necessário.

Porta-malas tem capacidade para 280 litros

Se o estudo convence e o local de produção apropriado selecionado, A VW poderia no final de 2015 receber as boas-vindas para a apresentação da versão definitiva do Taigun e, no início de 2016, colocá-lo nas concessionárias europeias a preços acima de 16.000 Euros. No Brasil, ele deve chegar por volta dessa data, tendo como concorrentes Ford EcoSport, Chevrolet Tracker e Peugeot 2008. 

Newsletter

Newsletter

Quer ficar por dentro das noticias da Revista Carro em primeira mão?

Receba grátis!

Obrigado!

Pin It on Pinterest

Share This