Texto: Gustavo de Sá

Fabricado no Brasil, Caoa Chery Tiggo 5X é o segundo de quatro utilitários esportivos prometidos pela marca até o fim deste ano

O Tiggo 2 foi o primeiro modelo lançado após a parceria entre Caoa e Chery ser oficializada. Porém, apesar de ser considerado um SUV, ele deriva do antigo hatch Celer e traz motor 1.5 aspirado que não empolga em desempenho. Dessa forma, a verdadeira ofensiva de utilitários esportivos da fabricante começa com o lançamento do Tiggo 5X, com plataforma inédita, motor turbo e porte de Honda HR-V – em 2019, a marca irá comercializar ainda o Tiggo 7 e Tiggo 8.

É impossível não admitir que o visual do 5X é original. Ele traz faróis com formato irregular e para-choques com nichos de faróis de neblina destacados. Na traseira, as lanternas horizontais invadem a tampa do porta-malas e são interligadas por um friso cromado. O Tiggo 5X mede 4.338 mm de comprimento, 1.830 mm de largura e 1.645 mm de altura. A distância entre eixos é de 2.630 mm.

Na cabine, o acabamento é correto e mistura materiais de diferentes texturas, inclusive com o excesso de cromado tradicional nas marcas de origem chinesa. O quadro de instrumentos traz velocímetro e conta-giros analógicos nas extremidades, com uma tela digital no centro para informações do computador de bordo. O porta-malas possui 340 litros de capacidade.

O ar-condicionado possui comandos manuais, mas pode ser ajustado por meio da central multimídia. Por falar nela, o visor de 9 polegadas é compatível com os sistemas de espelhamento Apple CarPlay e Android Auto. São duas versões: T (R$ 86.990) e TXS (R$ 96.990).

Desde a de entrada, o Tiggo 5X vem de série com controles de estabilidade e tração, assistente de saída em rampas, faróis com luzes de rodagem diurna em LED, retrovisores rebatíveis eletricamente, rodas de 17 polegadas, luz traseira de neblina, central multimídia com tela tátil de 9 polegadas, chave presencial, botão de partida, câmera de ré, sensores de estacionamento, monitoramento da pressão e temperatura dos pneus.

A topo de linha acrescenta airbags laterais e de cortina, teto panorâmico (fixo), rodas de 18 polegadas, bancos em couro com ajustes elétricos para o motorista, faróis de neblina e luzes de cortesia na base das portas que iluminam o chão ao entrar.

Motor turbo

O Tiggo 5X traz o mesmo motor 1.5 turbo flex do Arrizo 5, mas com ligeiro ganho em torque máximo, de 21,4 kgfm entre 1.750 e 4.000 rpm (ante 19,4 kgfm no sedã). A potência é a mesma: 150 cv a 5.500 rpm. O câmbio é automatizado de dupla embreagem e seis marchas.

No console central, uma tecla permite alternar entre os modos de condução E (econômico) e S (esportivo). Nossa experiência ao volante do Tiggo 5X ficou restrita às dependências da fábrica onde o SUV é fabricado, em Anápolis (GO), em um percurso inferior a três quilômetros. Na rápida avaliação, o câmbio de dupla embreagem mostrou agilidade nas mudanças. Porém, há certo retardo nas respostas do motor ao pressionar o acelerador até o fim, efeito causado não somente pelo turbo lag, mas por uma aparente calibração conservadora do pedal direito.

Com a linha de SUVs (Tiggo 2, 5X, 7 e 8) e sedã (Arrizo 5) completa até o final de 2019, a expectativa da Caoa Chery é fechar o ano com 38 mil carros vendidos – quase quatro vezes o volume de 2018.

Pin It on Pinterest

Share This