Texto: André Schaun

Início na aviação, quase falência, lucro de bilhões e futuro eletrificado

Há 103 anos surgia uma das maiores e mais conceituadas marcas do mundo automobilístico atualmente, a Fábrica de Motores da Baviera (Bayerische Motoren Werke) ou simplesmente BMW. Mas quando foi fundada, seu nome era outro, assim como seu segmento. Até 2022, a marca se chamava Fábrica Bávara de Aviões (Bayerische Flugzeugwerke) e como o nome já diz, ela era fabricante de motores de avião e pouco tempo depois entrou no mundo das motocicletas.

A BMW como conhecemos hoje, começou só em 22 de março de 1929, com o lançamento de seu primeiro carro, o BMW 3/15 OS, que saiu de linha de montagem da fábrica de Berlim- Johannisthal. Hoje, o BMW Group possui quatro marcas: BMW, MINI, Rolls-Royce e BMW Motorrad, operando com 30 instalações de produção e montagem em 14 países e possui uma rede global de vendas em mais de 140 países.

BMW M1

Em 2018, o BMW Group vendeu cerca de 2.490.000 milhões de automóveis e 165.000 motocicletas em todo o mundo, um recorde em sua história. O lucro antes de impostos em 2017 foi de aproximadamente 10,65 bilhões de euros em receitas de 98,678 bilhões de euros.

BMW 700

Mas nem sempre a marca alemã viveu esses dias de glória e com números que dizem por si só o sucesso global da marca. Durante a década de 1950 a BMW não andava bem das pernas em suas vendas e quase declarou falência, quando sua maior rival, a Daimler-Benz AG. Com as exigências crescentes que os clientes criaram por ter um carro pequeno, um grupo de associacionistas decidiu apostar na marca, e tiveram uma ideia que mudou a história da fabricante bávara. O designer automotivo e ex-piloto de corridas Wolfgang Denzel apresentou ao Conselho de Administração da BMW o projeto de um carro de duas portas, criado pelo designer italiano Giovanni Michelotti.

O protótipo originou a plataforma para o BMW 700, apresentado pela primeira vez em 9 de junho de 1959. Em 1965, mais de 190 mil unidades do veículo haviam sido vendidas, e a BMW virou uma sensação de vez do mundo. A partir de então, diversos modelos que cravaram o nome da marca na história da indústria automobilística. Como exemplo o M1, desenvolvido nas pistas, mas que entrou no mercado no final dos anos 1970 – e ajudou a moldar a BMW M, a divisão de modelos esportivos do BMW Group – e o primeiro SUV da marca, lançado em 1999, o X5, que foi um dos responsáveis por essa febre de utilitários esportivos no mundo – Em 2018, 37,3% das vendas totais da marca foram geradas pelos modelos BMW.

BMW X5

A tendência da BMW para o futuro, com investimentos bilionários, é em eletrificação e direção autônoma. Mas não estamos falando em um futuro muito distante, e sim em um fenômeno que cada vez mais presente, já que a marca projeta ter pelo menos 12 carros elétricos em circulação até 2020.

Pin It on Pinterest

Share This