Levamos a Volkswagen Amarok V6 para a pista de testes e comprovamos: com 225 cv, ela é a picape média mais rápida do segmento

VW Amarok V6
Ela apareceu pela primeira vez no Brasil de maneira discreta, longe dos holofotes, em um canto do estande da Volkswagen durante o Salão do Automóvel de São Paulo de 2016. Cerca de um ano e meio depois, a Amarok V6 finalmente estreia nas concessionárias brasileiras, em versão única e com o título de picape média mais potente do País. Mostramos na última edição as impressões ao dirigir durante expedição com a nova versão da picape na Argentina e, agora, trazemos o teste completo na pista de testes com a configuração brasileira, Highline, vendida a R$ 184.990. Em três palavras: ela anda muito!

A cereja do bolo da nova versão de topo da picape fica por conta, é claro, do motor 3.0 TDI V6. Ele pertence à família EA897 e também é aplicado no Audi Q7, com calibração específica. Na picape, são 225 cv de potência entre 3.000 rpm e 4.500 rpm e 56,1 kgfm de torque na faixa de 1.500 a 2.500 rpm.

VW Amarok V6
O novo motor faz a Amarok parecer um esportivo em acelerações em linha reta. E os números comprovam a impressão: foram apenas 8s1 para a picape atingir os 100 km/h a partir da imobilidade – exatos 4s a menos que a versão com motor 2.0 quatro-cilindros. É, de longe, o número mais baixo entre as médias testadas pela CARRO. A Toyota Hilux SRX (R$ 193.270), com 177 cv, por exemplo, fez a mesma prova em 13s5.

As retomadas de velocidade também são consistentes, com as passagens de 40-100/60-120/80-120 km/h sempre abaixo da casa dos 8s. Mérito da função overboost, que disponibiliza 20 cv e entre 3 a 4 kgfm extras em condições que exigem mais potência, como ultrapassagens e retomadas. O recurso é acionado quando se acelera entre 70% e o fim do curso do pedal, e tem duração máxima de 10 segundos – para obter novamente a reserva de força, são necessários ao menos 5 segundos de intervalo.

VW Amarok V6
A Amarok V6 não só é rápida, como também veloz. Foi a única das picapes médias a ultrapassar os 180 km/h na longa reta do campo de provas da ZF, em Limeira (SP), antes do ponto de frenagem para a tomada de curva. Na hora de parar, os discos nas quatro rodas (recurso exclusivo no segmento) garantiram espaço de frenagem na média da categoria. Na prova de 100 a 0 km/h, ela estancou 3,7 metros depois da extinta versão Highline Extreme com motor 2.0. Explicação para o fato pode estar na ficha técnica: com motor V6, a Amarok acusa 149 kg extras na balança. Mesmo com desempenho superior, a novidade consumiu menos combustível na média PECO (cidade/estrada) – 9,8 km/l ante 9,4 km/l da configuração 2.0.

VW Amarok V6
No interior, destaque para a facilidade de uso da central multimídia com tela sensível ao toque de 6,3 polegadas, bastante completa em recursos de conectividade. Ela conta com leitor de CD, duas entradas para cartões SD, entrada P2 auxiliar e USB. É possível ainda parear dois celulares simultaneamente via Bluetooth, tanto para streaming de áudio quanto para telefonemas. O equipamento traz ainda navegador GPS integrado, com funções úteis no off-road, como bússola, ângulo de direção das rodas e altímetro.

Assim como no Golf GTI, os ponteiros varrem o velocímetro e o conta-giros no momento da partida. Apesar disso, faz falta a iluminação permanente do quadro de instrumentos, que escurece de acordo com a incidência da luz do sol. Ao menos há sensor crepuscular, que acende os faróis e a iluminação interna de forma automática ao anoitecer ou transpor túneis.

Visualmente, a única diferença da Amarok V6 para a Highline de quatro cilindros são os emblemas na grade frontal e na tampa da caçamba e pintura em preto brilhante nas capas dos retrovisores. As rodas de 19 polegadas fazem parte do único pacote opcional disponível, por R$ 2.720 (de série, vem com aro 18).

VW Amarok V6
As quatro opções de cores (branco sólido, prata e cinza metálicos e preto perolizado) não são cobradas à parte. Mas separe ao menos R$ 1.247 e R$ 1.278 extras na hora de assinar o cheque. Esses são os preços sugeridos para a instalação do protetor de caçamba e da capota marítima, respectivamente, itens oferecidos somente como acessórios originais em concessionária. São faltas importantes, mas que não tiram o brilho da picape mais ágil do segmento.

VW Amarok V6VW Amarok V6

 

 

 

 

 

Conclusão

Por Gustavo de Sá 

A Amarok V6 foi mostrada no Brasil no Salão de São Paulo de 2016. Mesmo com a estreia nas concessionárias acontecendo somente agora, um ano e meio depois, a concorrência não movimentou-se para lançar um produto na mesma faixa de potência entre as médias. Resultado: a picape da Volkswagen chega com o novo motor na versão Highline por R$ 11 mil extras em relação à 2.0 e na mesma faixa de preço das rivais topo de linha. Por R$ 184.990, ela nivela-se em conteúdo na comparação com Chevrolet S10 High Country (R$ 185.990), Ford Ranger Limited (R$ 190.990) e Toyota Hilux SRX (R$ 193.270). Além do preço menor de compra, supera as citadas por larga margem em desempenho.

*Texto publicado originalmente na edição 294 (abril/2018) da Revista CARRO

Clique aqui para conferir a tabela completa com os números de teste em pista

Newsletter

Newsletter

Quer ficar por dentro das noticias da Revista Carro em primeira mão?

Receba grátis!

Obrigado!

Pin It on Pinterest

Share This