Série especial traz visual que sugere esportividade, mas picape tem desempenho apenas mediano

A culinária mexicana é conhecida pelo sabor apimentado das receitas. Para aliviar o gosto picante depois de apreciar um burrito com bastante chilli, nada como recorrer a um copo d’água. A Volkswagen apimentou o visual da Saveiro com a linha Pepper, que traz adereços que sugerem desempenho esportivo, mas tratou de separar um balde (e não um copo) de água fria para acompanhar a ‘pimenta’ feita em São Bernardo do Campo: o motor é o mesmo das versões mais simples, sem nenhuma pitada de esportividade.

As mudanças no desenho da Saveiro Pepper são sutis, mas de bom gosto. A grade frontal traz um friso vermelho, enquanto os retrovisores podem vir na mesma cor ou pintados de preto (a depender do tom da carroceria). A pintura do teto na cor preta é paga à parte, por R$ 1.400.

Na traseira, a única mudança é um adesivo percorrendo toda a tampa da caçamba. Visualmente, as rodas de 15 polegadas parecem pequenas para a Saveiro, especialmente depois que a picape ganhou dianteira mais alta e com visual diferente em relação ao Gol. Pelo apelo esportivo, a Pepper merecia um conjunto de 16 polegadas.

A pimenta da Saveiro Pepper fica restrita ao nome e visual. O motor é o mesmo 1.6 8V da família EA111 que vem nas versões Robust e Trendline. Com 104 cv de potência máxima e 15,6 kgfm de torque com etanol, a Saveiro chegou aos 100 km/h em 11s8 – 1 segundo mais lenta em relação à versão Cross, única da linha dotada do motor 1.6 16V da família EA211 de 120 cv com o combustível de origem vegetal.

Apesar disso, o 1.6 8V deixa a picape ágil no trânsito urbano, graças à boa potência disponível já em baixa rotação, resultado do torque máximo a apenas 2.500 rpm. O problema é a falta de potência em rotações e velocidades maiores. A versão Pepper ficou para trás da Cross em todos os ensaios de retomadas, com diferença de tempo de até 4s4 na passagem de 60 a 120 km/h.

O interior tem adereços sutis e de bom gosto, como os contornos em vermelho nas saídas de ar-condicionado e costuras de bancos, volante e coifa da alavanca de câmbio na mesma cor. A caçamba tem capacidade para 734 litros de carga.

Um detalhe que chama a atenção é a gradação confusa do velocímetro. A escala vai de 10 em 10 km/h até os 60 km/h. Daí até 200 km/h, o intervalo passa a ser de 20 km/h (e volta aos 10 km/h até os 240 km/h). Assim, fica mais difícil visualizar rapidamente as velocidades de 70 km/h, 90 km/h ou 110 km/h. Ao menos o velocímetro digital na tela do computador de bordo ameniza essa falha.

Se você quiser apreciar pratos da culinária mexicana a bordo da Volkswagen Saveiro Pepper, ao menos não irá faltar espaço para a garrafa de água: são três porta-copos na versão com cabine estendida, que é vendida por R$ 67.810. A central multimídia Discover Media é opcional e custa R$ 2.690.

> Confira os números do teste da VW Saveiro Pepper:

 

 

Newsletter

Newsletter

Quer ficar por dentro das noticias da Revista Carro em primeira mão?

Receba grátis!

Obrigado!

Pin It on Pinterest

Share This