SUV fica mais rápido e econômico com câmbio automático de seis marchas dos ‘irmãos’ maiores

A Peugeot vive um momento de correção de rota no Brasil. Para isso, está apostando na renovação do portfólio e no aprimoramento dos serviços de pós-venda. Com isso, a arrumação começa dentro de casa. E é para Porto Real (RJ), de onde saem os modelos nacionais da PSA, que as coordenadas geográficas nos adesivos de bússola da carroceria do 2008 Crossway apontam.

Ela deixa de ser uma série especial e passa a integrar a linha de versões do SUV. As laterais da carroceria trazem exclusivas molduras em plástico preto nas caixas de roda, que conferem um ar mais aventureiro. O recurso já é utilizado nas versões regulares do 2008 europeu, que foi reestilizado no ano passado e ganhou grade dianteira inspirada nos lançamentos mais recentes da marca.

Por R$ 87.190, o Crossway vem de série com ar-condicionado digital de duas zonas, seis airbags, teto panorâmico de vidro, controle de velocidade de cruzeiro, acendimento automático dos faróis, rodas de 16 polegadas, sensores de estacionamento dianteiros e traseiros, sensor de chuva e luzes diurnas em LED. Apesar do pacote recheado, faltam os controles de tração e estabilidade, além do assistente de saída em rampas.

O interior ainda surpreende pela posição de dirigir, com o quadro de instrumentos em posição elevada e volante de diâmetro reduzido. Destoa do conjunto a iluminação âmbar do trilho na alavanca de câmbio, diferente do restante da cabine.

A direção com assistência elétrica é bastante leve em manobras e obediente nas mudanças de faixa em alta velocidade. A central multimídia é nova e possui comandos intuitivos, com ícones que remetem ao irmão 3008. Porém, ela perdeu o GPS integrado – agora, somente é possível usar app de navegação por meio do Android Auto. Outra mudança negativa é a posição da entrada USB, que saiu do nicho em frente ao câmbio e agora fica direto na tela, deixando o cabo passar em frente às saídas e comandos do ar-condicionado.

O modelo ganhou o mesmo câmbio automático de seis marchas do restante da gama, fornecido pela japonesa Aisin. A nova caixa possui modos Sport e Eco, e permite mudanças sequenciais de marcha na alavanca – as aletas para mudanças atrás do volante deixam de existir. O motor é 1.6 flex de 118/115 cv com etanol e gasolina, respectivamente, e 16,1 kgfm com ambos os combustíveis.

Na prova de 0 a 100 km/h, o Crossway registrou 12s7 (o antigo modelo com câmbio de quatro marchas fez a mesma prova em 13s0). Nos ensaios de retomada, também houve discreta melhora. As passagens de 40-100/60-120/80-120 km/h foram feitas, respectivamente, em 9s1/12s9/9s5. O modelo anterior cumpriu as mesmas provas em 9s4/13s1/9s8.

O novo câmbio de seis marchas também garantiu melhores médias de consumo com etanol: foram 7,1 km/l no ciclo urbano e 11,4 km/l no rodoviário (o antigo fez 6,7 km/l e 9,9 km/l nos mesmos regimes).

> Veja os números do teste de pista do Peugeot 2008 Crossway:

 

 

 

Newsletter

Newsletter

Quer ficar por dentro das noticias da Revista Carro em primeira mão?

Receba grátis!

Obrigado!

Pin It on Pinterest

Share This