Levamos para a pista de testes o Stinger GT, modelo mais potente já feito pela Kia e que tem estreia marcada para o segundo semestre

Você possivelmente deve ter ouvido falar ou até mesmo cantarolado o refrão de Gangnam Style. A música, interpretada pelo sul-coreano Psy, estourou no mundo inteiro alguns anos atrás. O divertido clipe, que contabiliza nada menos que três bilhões de visualizações no YouTube, faz uma crítica social ao estilo de vida dos moradores do bairro de classe alta de Gangnam, em Seul, na Coreia do Sul.

Para-choque com grandes entradas de ar dá personalidade ao Stinger

Basicamente, os habitantes de lá são divididos em duas categorias: os que têm posses e vivem com muito luxo, e aqueles que tentam passar essa impressão. No clipe, um dos carros utilizados para demonstrar riqueza é um Mercedes-Benz. “Essa música tira um barato daquelas pessoas que tentam muito serem algo que não são”, declarou o próprio Psy à época do lançamento da canção, em 2012.

Traseira tem lanternas interligadas e quatro saídas de escapamento

Os moradores de Gangnam, agora, não precisarão mais recorrer a modelos de origem europeia para impressionar os vizinhos. No mesmo ano em que o cantor Psy estourou na internet, a Kia iniciava o desenvolvimento do Stinger GT, cupê de quatro portas feito sob medida para brigar com os alemães Audi A5 Sportback e BMW Série 4 Gran Coupé. O visual foi desenvolvido pelo centro de estilo da Kia na Alemanha, justamente para agradar quem aprecia estilo, digamos, mais ocidental.

Cabine traz bom acabamento, saídas de ar circulares e volante de base achatada

Três grandes entradas de ar compõem o para-choque, que integra a tradicional grade nariz de tigre dos Kia. A lateral revela a traseira curta e um friso estende-se dos retrovisores até o final do vidro. O ponto mais marcante do Stinger é o conjunto de lanternas interligadas, além do vidro integrado à tampa e das quatro saídas de escapamento.

Com tração integral, Stinger GT tem túnel central elevado

As ponteiras não estão ali somente por estética: elas dão vazão aos gases de exaustão gerados pelo motor 3.3 V6 biturbo de 370 cv de potência e 52,0 kgfm de torque. A força é gerenciada por uma caixa automática de oito marchas e distribuída para o sistema de tração integral (AWD).

Motor 3.3 V6 biturbo gera 370 cv de potência

Resultado? Aceleração de 0 a 100 km/h em 5s5 e retomada de 40 a 100 km/h em 3s9. Apesar dos freios Brembo, os números de frenagem não impressionaram para um modelo dessa faixa de potência. Nosso contato com o Stinger ficou restrito ao campo de provas da ZF, em Limeira (SP), local onde são realizados os testes de desempenho da CARRO. Em razão disso, não foi possível apurar o consumo de combustível nos ciclos urbano e rodoviário.

Freios do Kia são fornecidos pela Brembo

A ostentação do visual externo é replicada na cabine, que traz acabamento de ótima qualidade e lista farta de equipamentos de comodidade, como ajustes elétricos de altura e profundidade do volante, bancos com regulagens elétricas e três níveis de aquecimento e ventilação, sistema de som H. Kardon e carregamento de celular por indução.

Vidro traseiro abre junto à tampa do porta-malas

O Stinger será vendido no Brasil no segundo semestre deste ano, com duas opções de motorização – além do V6 testado, terá um 2.0 turbo de 258 cv nas configurações de entrada. A Kia ainda não definiu os preços. Pelo posicionamento do modelo no exterior, podemos estimar valores entre R$ 240 mil para o 2.0 e R$ 320 mil para o GT testado. Será o preço a ser pago para aderir ao estilo Gangnam no Brasil.

> Confira os números do teste em pista do Kia Stinger GT:

Newsletter

Newsletter

Quer ficar por dentro das noticias da Revista Carro em primeira mão?

Receba grátis!

Obrigado!

Pin It on Pinterest

Share This