Com certeza você já ouviu este nome difícil de soletrar: Affalterbach. Nessa bucólica cidade nos arredores de Stuttgart, Alemanha, está instalada uma das fábricas mais sonhadas pelos mortais que amam automóveis. A terra de AMG, a divisão esportiva da Mercedes-Benz! Em uma manhã chuvosa, depois de gastar os sapatos no Salão de Frankfurt, foi possível rodar com um dos compactos mais esportivos do mundo: o CLA 45 AMG, uma das estrelas do evento.

No Brasil, ele só deve estar à venda  no segundo semestre de 2014. Segundo a Mercedes-Benz, trata-se do motor de quatro cilindros de série mais potente do mundo. Estamos falando de uma potência máxima de 360 cv: um motor turbo altamente eficiente, que cumpre as normas de emissões EU6.

Não sei se o consumidor desse tipo de carro está preocupado com o consumo, mas a marca destaca um resultado combinado cidade-estrada de 14,5 km/l. Junte à motorização uma tração integral AMG 4MATIC, para que o CLA 45 AMG se torne uma máquina de acelerar e de se manter na pista, tudo ao mesmo tempo!

O clima, por sinal, estava bem ruim, e o circuito misturava trechos de estradas rurais com as famosas Autobahnen (autoestradas) alemãs. Digamos que esse irmão menor foi olhado com um certo descaso (pasme!), pois eu tinha acabado de dirigir o superesportivo E 63 AMG, também à nossa disposição. Chato, né? Tirando as “estranhezas” iniciais, foi fantástico dirigir o CLA 45 AMG, digno representante dessa marca esportiva.

Com o CLA 45 AMG, a Mercedes-AMG dá origem a um segmento completamente novo, como ocorreu anteriormente com o CLS 63 AMG Shooting Brake (2012) e o CLS 55 AMG (2004).  Quando foram lançados, nenhum desses modelos tinha competidores diretos, mas acabaram inspirando outros fabricantes de automóveis. Motor turbo, tração integral e o câmbio esportivo Speedshift DCT de 7 marchas, o CLA 45 AMG traz o mesmo sistema propulsor que já equipa o A 45 AMG, mantendo o  mesmo desempenho altamente eficiente. Ou seja, fé em Deus e pé na tábua!

O motor ronca forte e chama atenção a esportividade também no interior do carro, com desenhos modernos e um acabamento de couro impecável. Até o simples fato de sentar no banco, já transmite uma sensação de estar em um carro de corrida, pois ele se ajusta ao corpo, preparado para segurar o “piloto” na curva mais acentuada. Por sinal, o cinto de segurança primeiro puxa você com toda a força. Depois, vai afrouxando e se moldando ao seu corpo. Incrível!

E lá vamos nós. Primeira, segunda, terceira, quarta, até chegar à setima marcha. O sistema de borboletas no volante é perfeito. Caso você se esqueça de trocar de marcha, don’t worry: ele volta automaticamente para o… automático! O carro faz de 0 a 100 km/h em 4s6, e a velocidade máxima é de 250 km/h (limitada eletronicamente). Vamos combinar que ainda é muito bom escutar o ronco do motor!

No dia anterior, em uma entrevista para um restrito grupo de jornalistas, o então CEO da Mercedes-AMG GmbH, Ola Källenius (ele agora assume um alto cargo na diretoria da Mercedes-Benz), falou sobre como a tecnologia dos carros híbridos e elétricos chegará também aos esportivos, como é o caso da marca. Quando perguntei sobre o ronco do motor, ele respondeu: “Para as novas gerações, o som não fará mais diferença. Todos se acostumarão aos carros que não poluem, não têm cheiro de combustível e não emitem sons. Essa será a vida real em alguns anos.”

Por enquanto, vamos falar da boa vida atual. Como um motor de alto desempenho, membro da família BlueDirect, o AMG 2.0 de 4 cilindros e turbo possui injeção direta de gasolina controlada por meio de injetores piezoelétricos posicionados no centro das quatro câmaras de combustão. A combinação da injeção múltipla de combustível e ignição por múltiplas faíscas otimiza a utilização da gasolina e aumenta substancialmente a eficiência termodinâmica, levando a menores emissões de escapamento.

Outros destaques são o cárter fundido por gravidade em molde de areia, totalmente de alumínio, a montagem do virabrequim de aço forjado com distribuição de pesos otimizada e pistões forjados com anéis de atrito reduzido. E lá vão mais informações: a parede dos cilindros usa tecnologia Nanoslide e o arrefecimento do ar de admissão é por meio de água e ar.

Deu para sentir como funciona bem o sistema da função ECO start/stop. Ao parar em semáforos ou nas faixas de pedestre, o motor desliga, mas volta a funcionar assim que se tira o pé do pedal do freio. Tudo com muita suavidade e, principalmente, agilidade. Em alguns modelos, confesso que esse sistema é um tanto irritante.

Com tanta tecnologia, só faltou conferir qual foi o funcionário que assinou o motor do “meu” CLA 45 AMG. Depois da avaliação, fizemos uma visita à fábrica de motores e vi que cada montador é responsável pela produção de uma unidade, do começo ao fim. Como faço ao assinar esta reportagem, o mecânico da AMG assinou também o seu motor!

Mercedes-Benz CLA 45 AMG

Motor 4 cilindros, turbo, dianteiro, transversal, gasolina; Cilindrada 1 991 cm3; Cabeçote 4 válvulas por cilindro; Potência 360 cv; Torque 45,9 mkgf; Câmbio robotizado, dupla embreagem, 7 marchas; Freios discos ventilados; Tração integral; Rodas liga leve, 18”; Comprimento 4,63 m; Largura 1,78 m; Altura 1,43 m; Entre-eixos 2,70 m; Suspensão dianteira independente; Suspensão traseira independente, multibraço; Porta-malas 470 l; Peso 1 545 kg.

Newsletter

Newsletter

Quer ficar por dentro das noticias da Revista Carro em primeira mão?

Receba grátis!

Obrigado!

Pin It on Pinterest

Share This