Peugeot 408 Allure automático

Alvo de críticas há algum tempo, o câmbio automático de 4 marchas que equipava os Peugeot 408 foi devidamente aposentado com a adoção da caixa de 6 marchas — bem mais moderna — que era usada antes apenas na versão turbo. Isso ocorreu na carona do lançamento do Citroën C4 Lounge, “primo mais novo” do 408 e que traz apenas o câmbio de 6 marchas nas versões mais sofisticadas. 

Independentemente do motivo, o sedã médio da Peugeot ganhou uma importante atualização para a versão 2014, já que o câmbio mais moderno proporciona um pouco mais de agilidade ao modelo, sem prejudicar o conforto. Vale lembrar que, apesar da nova caixa, o motor segue o mesmo 2.0 flex de 4 cilindros, com 151 cv/143 cv e 22 mkgf/20 mkgf de torque abastecido com etanol e gasolina, respectivamente.

Peugeot 408 Allure automático

Internamente, não há mudanças perceptíveis, já que a alavanca tem o mesmo visual da anterior. Aliás, é bom recordar que como na versão antiga, o câmbio permite trocas de marcha manuais, bastando deslocar a alavanca para a posição M.

No restante, o 408 segue exibindo bom nível de conforto para quatro ocupantes. O carro traz de série ar-condicionado digital automático dual zone com saídas exclusivas para os bancos traseiros, controlador de velocidade de cruzeiro, sistema de áudio com entrada auxiliar, conexão Bluetooth e comandos satélites junto ao volante, computador de bordo, entre outros equipamentos. Duplo airbag, freios com ABS, AFU (auxílio em frenagens de emergência) e REF (sistema que distribui a carga da frenagem), rodas de liga leve de 16” são outros itens presentes no três-volumes.

Peugeot 408 Allure automático

Em nossos testes, o sedã da Peugeot equipado com o novo câmbio obteve resultados ligeiramente melhores em relação à versão anterior. Na aceleração de 0 a 100 km/h, por exemplo, o modelo 2014 precisou de 11s2 para cumprir a prova, contra 11s7 da versão com caixa de 4 marchas. Já na retomada de 40 km/h a 100 km/h o novo modelo foi melhor, marcando 8s7 contra 10s. Mas na prova de 60 km/h a 120 km/h — utilizada como referência — os resultados foram idênticos: 11s2 nos dois veículos.

Peugeot 408 Allure automático

Outro aspecto no qual se esperava uma melhora significativa e que acabou não ocorrendo foi no consumo. Enquanto o 408 com câmbio de 4 marchas possuía média PECO de 7 km/litro de etanol, o novo alcançou apenas 7,3 km/litro. Melhorou, mas pouco. 

Até o término desta edição, a Peugeot ainda não havia confirmado o preço da nova versão, mas a tendência é que o modelo não fique (muito) mais caro. O que não deixa de ser uma boa notícia para quem busca conforto acima de tudo.

Média: 6,7

Mesmo longe de estar defasado, o visual do 408 já não arranca suspiros. Em compensação, o carro oferece bom nível de conforto e é agradável de dirigir. Mas se a sua prioridade é um carro econômico, o 408 não é para você. – Wilson Toume

Nossas medições

Aceleração 0-100 km/h: 11s2
Retomada 60-120 km/h em Drive: 11s2
Frenagem 80 a 0 km/h (m): 25,6
Consumo cidade (km/l): 5,4
Consumo estrada (km/l): 9,7
Ruído a 120 km/h em 5ª (dB): 66,7 

Seu Bolso 

Preço (estimado): R$ 65 000
Desvalorização (1 ano): n/a 
Garantia: 3 anos 
Financiamento (taxa mensal): n/a 
parcela (50% de entrada + saldo em 36x): n/a 
IPVA (4%, estimado): R$ 2 600 
Seguro (estimado): R$ 2 349 
1ª revisão: n/a 
Versão básica (estimado): R$ 65 000 

Dados da fabricante

Motor 4 cilindros, dianteiro, transversal, flex; Cilindrada 1 997 cm3; Potência 151 cv a 6 000 rpm (E); Torque 22 mkgf a 4 000 rpm; Câmbio automático, 6 marchas; Tração dianteira; Comprimento 4,69 m; Largura 1,81 m; Altura 1,52 m; Entre-eixos 2,71 m; Porta-malas 526 l; Peso 1 494 kg

Newsletter

Newsletter

Quer ficar por dentro das noticias da Revista Carro em primeira mão?

Receba grátis!

Obrigado!

Pin It on Pinterest

Share This