Dirigimos a versão de topo do Cronos, sedã que marca término da fase de renovação de portfólio da Fiat no Brasil

O Cronos chega para fechar um ciclo de renovação do portfólio da Fiat iniciado em 2016 com a Toro. Para produzi-lo, a fábrica da FCA em Córdoba, na Argentina, recebeu mais de US$ 500 milhões em modernização da linha de produção para abastecer os mercados da América Latina.

O sedã divide com o Argo apenas 30% dos componentes estruturais. Entre os itens compartilhados estão faróis, para-brisa, para-lamas e portas dianteiras. Segundo a Fiat, o Cronos foi pensado desde o início do projeto para ser um sedã de porte compacto. Da coluna B para trás, tudo é novo.

O para-choque frontal traz desenho exclusivo – os faróis de neblina foram deslocados para as extremidades da carroceria, com o objetivo de aumentar a sensação de largura. A grade dianteira tem um friso único ligando o emblema da Fiat aos faróis principais.

Na traseira, as lanternas horizontais têm iluminação em LED e desenho que invade a tampa do porta-malas – a placa de identificação fica no centro. A lateral revela o teto com queda suave e a traseira curta. O resultado final é um sedã com proporções bastante equilibradas entre as partes frontal e posterior.

O sedã tem 4,36 metros de comprimento, 37 cm a mais em relação ao Argo. Altura (1,50 m), largura (1,72 m) e entre-eixos (2,52 m) são os mesmos. As bitolas (distância entre os centros das rodas de um mesmo eixo) estão 2 mm maiores na frente e 4 mm atrás.

Mesmo mais comprido, a diferença de peso em relação ao hatch é inferior a 10 kg. Apesar da distância entre-eixos de Argo, o Cronos não deixa a desejar em espaço para as pernas no banco traseiro. Com 525 litros, o porta-malas está entre os maiores do segmento. Ampla, a “boca” do compartimento facilita a acomodação de objetos volumosos.

O painel mantém a mesma estrutura e volante do compacto feito em Betim (MG). Mudam apenas alguns detalhes, como a posição do botão de acendimento dos faróis de neblina e a cor do friso central. Uma falha do hatch que foi corrigida no Cronos é a iluminação interna. No sedã, há um ponto extra de luzes na cabine, no centro do teto, voltado ao banco traseiro.

A avaliação do Cronos foi realizada em Córdoba, em percurso que envolveu cidade, estrada e pista fechada. Andamos em unidades pré-série para o mercado local, com motor somente a gasolina. Por lá, o 1.8 gera 130 cv de potência e 18,6 kgfm. Aqui, ele usará o 1.8 E.torQ VIS flex do Argo, com 139/135 cv e 19,3/18,8 kgfm com etanol e gasolina, respectivamente.

Impressiona a qualidade de rodagem e silêncio a bordo sobre pisos irregulares. Exclusivo do sedã, o acerto das suspensões (McPherson na dianteira e eixo de torção na traseira) garante o conforto dos ocupantes sem comprometer o bom comportamento em curvas de maior velocidade.

A versão avaliada trazia rodas de 17 polegadas, opcionais, com pneus de perfil mais baixo em relação ao mesmo diâmetro usado no Argo HGT (205/45 R17 ante 205/50 R17 do hatch).

Versões e equipamentos

Nas configurações de entrada, o Cronos deverá disputar mercado com Chevrolet Prisma 1.4, Toyota Etios sedã 1.5 e Hyundai HB20S 1.6. A versão de topo, por sua vez, irá brigar com Chevrolet Cobalt, Honda City e Volkswagen Virtus, além do futuro Toyota Yaris sedã.

A Fiat não havia revelado os preços até o fechamento desta edição, mas informou que a estimativa é de valores R$ 4.000 maiores em relação à versão equivalente do Argo. Com isso, podemos estimar a configuração Drive 1.3 MT por R$ 58.990, Drive 1.3 GSR a R$ 63.990, Precision 1.8 MT a R$ 66.290 e Precision 1.8 AT a R$ 72.290.

Desde a básica, o modelo é equipado com ar-condicionado, direção com assistência elétrica, vidros elétricos dianteiros, central multimídia UConnect e sensor de monitoramento da pressão dos pneus. Estranhamente, não há start-stop nesta versão (enquanto o Argo vem de série com o item desde a configuração mais básica).

A Drive 1.3 GSR acrescenta câmbio automatizado de cinco marchas, controles de tração e estabilidade, assistente de saída em rampas, retrovisores e vidros elétricos traseiros, start-stop e controle de cruzeiro.

Em seguida, a Precision manual traz rodas de liga leve de 16 polegadas, faróis com luzes-guia em LED, sensor de estacionamento traseiro e faróis de neblina. A Precision AT adiciona câmbio automático de seis marchas, aletas para mudança de marcha atrás do volante, controle de  cruzeiro e volante em couro. A estreia nas lojas brasileiras está prevista para o fim deste mês.

Newsletter

Newsletter

Quer ficar por dentro das noticias da Revista Carro em primeira mão?

Receba grátis!

Obrigado!

Pin It on Pinterest

Share This