Tesla Model 3

A conectividade vem avançando a passos largos no segmento automotivo. Começamos com a opção de abrir as portas do carro sem utilizar a chave do veículo, assim como abrir e fechar a tampa do porta-malas sem usar as mãos, além de ligar o motor e acionar o ar-condicionado remotamente. Os aplicativos também são grandes aliados dos donos de carros em todo o mundo. Contudo, uma renomada desenvolvedora de games e fã de tecnologia resolveu ir além.

Nascida no Texas, Amie Dansby já possuía um chip RFID (em português, Identificação por Rádio Frequência) implantado em seu braço, o que lhe permitia, por exemplo, abrir portas. Mas ao adquirir um Tesa Model 3, ela entrou em contato com a montadora para saber se poderia usar seu chip como a chave do carro. Em função da complexidade do sistema de segurança da Tesla, não foi possível utilizar o chip que já possuía em seu corpo para esta finalidade. Sendo assim, Dansby decidiu implantar em seu antebraço o chip RFID que vinha instalado de fábrica no carro.

O processo de remover o chip da chave do veículo, contudo, não foi tão simples. Dansby precisou primeiro dissolver a chave de seu Tesla com acetona para ter acesso ao chip, que foi então recoberto com um material adequado – o mesmo usado nos chips de identificação implantados em animais. A texana revela que teve dificuldade em encontrar um médico disposto a fazer o procedimento, até que conseguiu em um estúdio de modificação corporal.

Dansby contou ao site The Verge que o chip funciona para destravar as portas e ligar o motor, embora seu alcance “não seja dos melhores” – seu braço precisa estar a não mais do que três centímetros dos sensores do Tesla. A solução, bastante radical, poderia ter mais adeptos ao redor do mundo, uma vez que você evitaria o problema de esquecer as chaves em casa ou não encontrá-la na mochila. Mas e quando você trocasse seu veículo por um novo modelo?

O vídeo abaixo mostra o processo para remover o chip (áudio em inglês):

Pin It on Pinterest

Share This