Tira-dúvidas: troca de óleo, aquaplanagem, consumo

Motorpress
Da Redação, em São Paulo (SP)
23/03/2017 16:20

Todo mês na revista CARRO o consultor técnico Bob Sharp responde às dúvidas dos leitores sobre tudo que cerca o universo do automóvel. Veja abaixo uma seleção delas:

Trocar óleo sintético antes dos 10.000 km é enganação?

Dúvida: Se um óleo sintético é para rodar 10.000 km, por que concessionárias insistem em trocá-lo com 7.500 km, ou seis meses, às vezes com 2.500 km? Se este óleo não aguenta 10.000 km, é propaganda enganosa. Com motores mais simples trocávamos com 1.500 km, enquanto hoje, mesmo com motores sofisticadíssimos, temos que trocar com 2.000 km. E ao rodar menos de 10.000 km por ano, quantos meses o óleo sintético garante suas qualidades/viscosidade?
André Justus Neto (Curitiba, PR)

RESPOSTA: As fabricantes adotaram intervalos muito curtos para troca de óleo, mesmo com os eficientes lubrificantes de hoje. A Volkswagen voltou a um ano, era de seis meses. Há o chamado fator “uso severo”, rodar pouco por ano ou diariamente, ou muito uso em congestionamentos, que leva os fabricantes a reduzir a periodicidade normal à metade, como 5.000 km/6 meses em vez de 10.000 km/1 ano. Em minha opinião, com a injeção de combustível e os rígidos controles de temperatura dos motores atuais, mais a excelência dos óleos de hoje, que permanecem inalterados por longos períodos, esse conceito de “uso severo” pertence ao passado e deveria ser abolido. Mas o proprietário deve seguir as recomendações da fabricante do veículo, ou pode perder a garantia. As companhias de petróleo não informam quilometragem ou tempo de troca, portanto não é propaganda enganosa.

Pneus mais largos são mais suscetíveis à aquaplanagem?

Dúvida: Sempre li e ouvi dizer que, quanto mais largos os pneus, maior é a tendência à aquaplanagem. No entanto, vê-se pneus cada vez mais largos nos carros. Por quê?
Eduardo Motta (São Paulo, SP) 

RESPOSTA: Realmente, quanto mais larga a banda de rodagem, mais facilidade o carro tem de aquaplanar para uma mesma velocidade. O que se nota é o marketing de fabricantes e importadores atender o gosto do consumidor brasileiro, oferecendo pneus (e rodas) os mais largos possíveis, por questão de estilo. Por exemplo, o VW Golf Variant 1.4 TSI na Europa sai com a medida 205/55R16, mas aqui é 225/45R17. A aquaplanagem é um dos eventos mais perigosos, pois o pneu perde contato com o solo.

Consumo do Golf 1.4 turbo assustou consumidor

Dúvida: Tenho um VW Golf Highline 1.4 turbo e gostaria de melhorar o rendimento do combustível. Entendia que, ao usar o modo econômico auxiliado pelo start/stop, poderia atingir um consumo baixo. Abasteci com gasolina premium da Shell, rodei 220 km e o medidor de combustível indica meio tanque. O carro, adquirido há uma semana, rodou 270 km, mas o consumo me assustou. Há algo que eu possa fazer, como trocar os pneus originais de perfil baixo por outros ou usar o teto solar aberto para não ligar o ar-condicionado?
Amauri Oliveira (São Paulo, SP)

RESPOSTA: Embora o medidor de combustível não sirva para essa finalidade, o consumo foi de 9,8 km/l, melhor que o dado de fábrica dessa versão, 9,5 km/l. Para isso, é melhor usar o computador de bordo. É desaconselhável trocar os pneus originais, eles oferecem o melhor compromisso de estabilidade e consumo. Este não é prejudicado pelas janelas e teto solar abertos até 80 km/h. 

Dúvida: O etanol é mais barato que a gasolina, mas em compensação o carro gasta mais com etanol. Há maneira prática de saber o que é mais vantajoso, gasolina ou etanol, para gastar menos reais numa dada distância?
Márcia Assumpção (Osasco, SP)

RESPOSTA: Como o poder calorífico do etanol é 70% do da gasolina, resulta que a diferença de consumo é tal que o carro roda 70% dos quilômetros com um litro quando abastecido com etanol. Como o preço do etanol varia muito e sua participação na mistura é significativa (veja a coluna “Opinião” na página ao lado), faça uma conta simples usando a calculadora. Divida o preço do litro do etanol pelo da gasolina. Se der 0,70, tanto faz um ou outro combustível. Se der mais que 0,70 use gasolina; se der menos, prefira etanol.