Produção cai 18,4%, e Anfavea aposta em Temer

CAIO BEDNARSKI
Da Motorpress, em São Paulo (SP)
06/09/2016 14:24

A Anfavea, entidade que reúne as fabricantes de veículos, realizou nesta terça-feira (6) a primeira coletiva após a deposição da ex-presidenta Dilma Rousseff. Após anunciar uma queda de 18,4% na produção de automóveis neste ano, o presidente do órgão representativo, Antonio Megale, crê que "agora é hora de andar para frente" e espera melhora no cenário econômico, ainda que não haja um novo planejamento específico de medidas para o setor automotivo.

"As reformas que serão feitas e o ajuste fiscal são totalmente necessários e aceitáveis para que seja possível colocar a economia no caminho certo, retomar a confiança do consumidor, trazer novos investimentos para o mercado e fazer com que a indústria geral volte a crescer. A contenção de gastos é extremamente necessária", comentou o executivo que defende até a reforma da previdência para colocar o Brasil no caminho do crescimento.

Megale acredita que novo governo retomará o crescimento do país

Mesmo com toda a confiaça no governo de Michel Temer, Megale não anunciou nenhum plano específico que poderá ser voltado para a industria automotiva, tampouco falou se haverá alguma mudança ou aprofundamento do programa Inovar-Auto, iniciado em 2012 sob o governo Dilma, que concede benefícios fiscais às empresas que fabricam carros no Brasil, além de oferecer deduções de impostos para quem atender exigências de eficiência energética. 

Com relação ao desempenho da indústria atualmente, foram vendidas 183.890 unidades de veículos no mês de agosto, contra 181.408 unidades em julho, gerando ligeiro aumento de 1,4%. Este volume é o mesmo que a industria vendia em 2006. Se compararmos com o mesmo período do ano passado, quando foram emplacadas 207.250 carros, houve queda de 11,3%. No acumulado do ano foram emplacados 1.348.834, contra 1.753.816 carros de janeiro a agosto de 2015, resultando em uma queda de 23,1%. A previsão da Anfavea para o encerramento do ano é de queda de 19%.

No caso da produção, houve queda de 6,4% entre julho e agosto deste ano (foram produzidas 189.907 unidades em julho ante a 177.726 em agosto). Com relação a agosto do ano passado, a queda é de 18,4%, quando produzimos 217.769 carros. De janeiro a julho deste ano a produção atingiu a marca de 1.383.136 unidades, enquanto foram produzidas 1.731.780 carros no mesmo período do ano passado, gerando queda de 20,1%.

A notícia boa para o mercado vem das exportações. que mesmo caindo 11,8% em relação ao mês passado (45.552), já que exportamos 40.191 veículos em agosto, crescimento de 16,7% em relação ao mesmo período do ano passado, quando foram vendidas 34.431 unidades para outros mercados. No acumulado do ano o crescimento é ainda maior, 19,6%, já que exportamos 312.396 veículos, contra 261.182 unidades de janeiro a agosto de 2015. A previsão é que as exportações cresçam 20% este ano.