Peugeot 2008 Crossway: R$ 3.000 pela aparência

CAIO BEDNARSKI
Da Motorpress, em Campos do Jordão (SP)
11/10/2016 13:56

Geralmente, versões especiais agregam mudanças estéticas e itens de série a um determinado modelo -- porém, no caso do Peugeot 2008 Crossway as mudanças são apenas visuais. Os equipamentos são exatamente os mesmos da versão Griffe, mas a Peugeot pede R$ 3.000 a mais (R$ 83.690). São apenas 500 unidades.

Entre outros itens, a versão oferece airbags laterais e de cortina, faróis com luz diurna (DRL) com LED, acendimento automático das luzes de emergência após frenagem brusca, sensores de luz e chuva, sensores de estacionamento dianteiros e traseiros, trocas de marcha sequencias atrás do volante, ar-condicionado automático digital de duas zonas,, teto solar panorâmico, bancos e volante revestidos em couro e tecido, painel de instrumentos tipo i-cockpit (posição elevada), porta-luvas refrigerado e central multimídia com tela tátil colorida de 7 polegadas com navegação por GPS.

O adesivo lateral é uma das principais mudanças no Crossway

O diferencial da versão Crossway é o exterior do carro, que ganhou adesivos nas laterais, moldura preta nas caixas de roda, emblema da versão na traseira e rodas com acabamento preto, deixando o visual até mais bonito que a versão original. Internamente, a unica diferença é o emblema da versão nos bancos.

O comportamento do 2008 Crossway é exatamente igual ao da versão Griffe. Equipado com motor flex 1.6 de 122 cv (etanol) e câmbio automático de quatro marchas, o segredo na condução é ter paciência e acelerar progressivamente: assim, o conjunto mecânico até que vai bem, embora ofereça trocas de marchas com leves trancos.

O test-drive do modelo aconteceu entre São Paulo e Campos do Jordão (SP), e nas curvas da serra próxima à cidade do interior ficou provada sua estabilidade mesmo em curvas mais fechadas. A direção elétrica é precisa e ajuda nas manobras.

Na traseira, destaque para o emblema da versão

Porém, nas saídas e retomadas, o câmbio estica muito as (poucas) marchas, fazendo com que a cabine seja afetada pelo barulho do motor. Nessa situação, as trocas ocorrem com trancos maiores e em rotações altas, o que prejudica o consumo (além do conforto). 

Na cidade, com os limites baixos de velocidade, o 2008 Crossway vai bem, mas o segredo é o mesmo: acelere progressivamente para não ser incomodado pelo ruído do motor e para que as trocas sejam mais suaves, otimizando também o consumo.

Por mais que o nome Crossway sugira um aventureiro urbano, a suspensão desse 2008 não passou por nenhuma alteração, mantendo a mesma distância do solo -- por isso, se for brincar de off-road (afinal, o 2008 tem essa proposta também) é bom ficar apenas em estradinhas de terra mais amistosas.

Itens de série seguem os da versão Griff; bancos têm emblema
Talvez a maior atração da versão Crossway seja sistema de financiamento com garantia de recompra que a Peugeot lançou junto com ela. O comprador financia o carro direto com a concessionária, com parcelas de valor crescente ao longo do tempo. Após dois anos, tem a opção de vender o Peugeot 2008 Crossway por 85% do valor da Tabela Fipe, quitar o financiamento (que deixa as parcelas mais caras para o fim) e dar entrada em outro carro da marca.

Viagem a convite da Peugeot do Brasil