Mercedes Classe E dirige sozinho até os 200 km/h

Motorpress
Da Redação, em São Paulo (SP)
11/01/2016 11:35
Mercedes-Benz Classe E 2017
Mercedes-Benz Classe E 2017
Mercedes-Benz Classe E 2017
Mercedes-Benz Classe E 2017
Mercedes-Benz Classe E 2017
Mercedes-Benz Classe E 2017
Mercedes-Benz Classe E 2017
Mercedes-Benz Classe E 2017
Mercedes-Benz Classe E 2017
Mercedes-Benz Classe E 2017
Mercedes-Benz Classe E 2017
Mercedes-Benz Classe E 2017
Mercedes-Benz Classe E 2017
Mercedes-Benz Classe E 2017
Mercedes-Benz Classe E 2017
Mercedes-Benz Classe E 2017
Mercedes-Benz Classe E 2017
Mercedes-Benz Classe E 2017
Mercedes-Benz Classe E 2017
Mercedes-Benz Classe E 2017
Mercedes-Benz Classe E 2017
Mercedes-Benz Classe E 2017
Mercedes-Benz Classe E 2017
Mercedes-Benz Classe E 2017
Mercedes-Benz Classe E 2017
Mercedes-Benz Classe E 2017
Mercedes-Benz Classe E 2017
Mercedes-Benz Classe E 2017

A Mercedes-Benz apresentou oficialmente a décima geração do Classe E, em evento prévio à abertura do Salão de Detroit, nos Estados Unidos, que começa nesta segunda-feira (11). O modelo executivo de luxo chega para ser o sedã "mais inteligente do segmento", segundo a companhia, exaltando os novos recursos de condução autônoma, como a possibilidade de seguir o trafego à frente em velocidades até os 210 km/h. O novo Classe E chega às lojas nos EUA a partir de julho deste ano.

Mercedes-Benz Classe E foi apresentado antes da abertura do salão

Embora a companhia destaque o apelo luxuoso do carro, próximo ao que é oferecido no Classe S, CARRO ONLINE já havia mostrado que os alemães pouco ousaram no design da novidade, deixando-o como uma espécie de Classe C maior. Contudo, em relação ao predecessor, o novo Classe E ficou 4,3 cm mais longo, o que resultou em um bom ganho de 6,6 cm na distância entre-eixos do modelo. 

Por dentro, a Mercedes apostou em uma mistura de elegância e tecnologia. O acabamento do carro é revestido por couro em duas tonalidades, complementado por peças de plástico liso pretas no painel, portas e console central. Há também apliques de metal para compor detalhes como a moldura das saídas de ar e maçanetas. Opcionalmente ainda pode haver apliques de madeira pela cabine. Há, ainda a opção de personalização das luzes ambientes do Classe E, por meio das 64 opções de cores de LED distribuídas no interior do veículo. 

A tecnologia fica por conta do painel digital integrado à tela de 12,3 polegadas do sistema multimídia do carro. Para controlá-las, o motorista pode usar os comandos sensíveis ao toque do volante (que respondem a movimentos similares ao que utilizamos nos smartphones) ou pelo touchpad no console central, que também reconhece caligrafia para inserir endereços no GPS, por exemplo. 

Recursos de condução autônoma são destaques do modelo

DIRIGINDO SOZINHO
O mote de ser o sedã mais inteligente do segmento também é definido pela tecnologia, mas neste caso, direcionada à condução autônoma. O Classe E agora conta com um sistema denominado Drive Pilot, que de maneira inédita, segundo a Mercedes, permite fazer com que o carro siga o tráfego à sua frente em velocidades até os 210 km/h. Graças às câmeras, sensores e radares que circundam o veículo, o motorista precisa apenas definir a velocidade e distância que quer se manter em relação ao carro da frente. O Classe E assume o resto, sem que o motorista precisa acelerar, frear ou controlar a direção.

O Drive Pilot também estreia outra função autônoma no Classe E com o assistente de mudança de faixa ativo. Uma vez ligado, basta o motorista indicar com a seta a faixa em que quer trafegar (direita ou esquerda) e o veículo realiza a manobra autonomamente, caso haja espaço seguro para isso. Vale ressaltar que este nível de condução autônoma só é possível em estradas com faixas bem sinalizadas, para que o carro possa se localizar precisamente no trânsito.

Porém, mesmo em vias onde a pintura do solo não é boa, como em áreas onde o asfalto está sendo reformado, por exemplo, o Classe E consegue seguir o tráfego e manter a função Drive Pilot ativada. Nestas situações, os radares se baseiam nos outros carros e referências paralelas (muros, calçadas, etc.) para se posicionar na via, em velocidades até os 130 km/h. 

Outros recursos de segurança, como frenagem autônoma de emergência, alerta de tráfego traseiro e de pedestres estão inclusos no pacote de tecnologia do Classe E. Ainda há comunicação entre carro e smartphone para estacionar o veículo remotamente e receber notificação das condições do trânsito e das vias em tempo real.

MOTOR TURBO CHEGA PRIMEIRO
Aguardado para chegar no próximo verão às lojas dos Estados Unidos, a primeira versão do novo Classe E a ser oferecida será a equipada com motor 2.0 turbo de quatro cilindros da companhia. O bloco gera 244 cv de potência e 37,7 kgfm de torque. A transmissão que trabalha com o propulsor é a automática de nove velocidades 9G-TRONIC. 

Quanto a dirigibilidade, a nova geração do Classe E teve todo o seu sistema de suspensão renovado, contando agora com molas de aços e três câmaras de ar na suspensão traseira e duas na frente para controlar os diferentes modos de condução do veículo. Entre conforto e esporte, o carro pode ser enrijecido ou rodar mais macio, dependendo da demanda ou condição da via. Em velocidade de cruzeiro numa estrada, por exemplo, a suspensão rebaixa automaticamente, para diminuir o coeficiente de arrasto do carro, logo, priorizando sua aerodinâmica e eficiência energética. 

A décima geração do Mercedes-Benz Classe E chegará ao Brasil no segundo semestre deste ano.