Lamborghini Centenario é forte e arisco na pista

JENS DRALLE
Da Auto Motor und Sport, na Alemanha
04/09/2016 16:00

Para celebrar o centenário do seu fundador, Ferruccio Lamborghini, a tradicional fabricante de Sant’Agata Bolognese lançou o Centenario, modelo especialíssimo, com produção limitada a 40 unidades (20 cupês e 20 conversíveis) e que já foram todas vendidas pela "bagatela" de US$ 1,9 milhão cada.

Lamborghini Centenario, homenagem ao fundador da grife
Criado a partir do Aventador, o Centenario foi apresentado no Salão de Genebra deste ano, mas só recentemente tivemos a oportunidade de acelerar o modelo "com vontade". A experiência ocorreu na pista de testes de Nardò, no sul da Itália, e foi inesquecível.

São 20 unidades do cupê e mais 20 do roadster -- todas já vendidas
Logo no primeiro contato, fiz questão de acelerar fundo. A 8.500 rpm, o V12 "grita", e a cada toque na borboleta do lado direito do volante sinto o corpo grudar no banco como se estivesse levando um golpe no estômago. Então, ouço pelo rádio: "Diminua, última volta, resfrie o motor!" O quê? Como? Já? Ninguém responde. Contrariado, retorno com todo cuidado.

Base do modelo é o Lambo Aventador Super Veloce
Depois, com a cabeça fria, penso que foi melhor assim. Afinal, com a adrenalina lá no alto, acabei dedicando pouca atenção aos detalhes desse carro fantástico. Só que, mesmo passado algum tempo, algumas continuam incompreensíveis no Centenario. Começando por aquilo que os donos desejam. "Naturalmente, se dependesse só do desejo deles, poderíamos oferecer a opção de elevar a potência para 800 cv que eles pagariam sem problema", conta Maurizio Reggiani, chefe de desenvolvimento da fabricante italiana.

Carro é o Lambo mais potente já construído, com 770 cv
Diante da minha surpresa, o responsável pela eletrônica Thomas Richter, acrescenta: "Além disso, eles desejam programas de acréscimo de potência para melhorar o desempenho de seus carros, para o caso de participarem de competições, como track days". Uau!

Mesmo assim, tem dono que queria o Centenario ainda mais potente!
E olha que, originalmente, os 40 afortunados proprietários desse touro raro já têm um carro e tanto. Construído a partir do Aventador Super Veloce, o Centenario é 5 kg mais leve e seu motor possui 20 cv extras. Além da estrutura e do capô, ele conta com todas as partes da carroceria feitas de plástico reforçado com fibra de carbono.

Com a condução no modo para pista, Centenario é arisco
O alívio de peso só não é maior por conta de um sistema eletro-hidráulico que comanda o grande aerofólio traseiro. Os clientes também pediram isso? Provavelmente não, mas o apêndice é necessário para ajudar a manter a estabilidade da máquina em altas velocidades.

Para ficar mais leve, carroceria mistura plástico e fibra de carbono
Quão altas? Mais de 350 km/h, certamente. Mas, por total infortúnio, não conseguiremos aferir isso. Logo após o meu primeiro contato com o carro, a pista de alta velocidade passou a ser castigada por fortes ventos que prejudicariam o teste. Para compensar, pudemos acelerar à vontade em um traçado misto de 6,2 km no complexo italiano.

Lanterna traseira segue o padrão dos farós, em Y deitado
No circuito travado, foi possível perceber a eficiência do sistema de rodas traseiras direcional, que esterçam as rodas de trás no mesmo sentido das dianteiras em velocidades acima de 70 km/h, proporcionando mais estabilidade e reduzindo as saídas de traseira nas curvas.

Rodas dianteiras têm aro 20, e as traseiras (foto), 21
Vou ganhando confiança à medida em que o tempo passa, mas continua um pouco difícil encontrar o ponto correto do acelerador. Muito sensível, ele ajuda a fazer com que as rodas patinem com facilidade nas saídas de curva (com o modo de condução na posição Race). Não é fácil se habituar com esse comportamento arisco. Terceira marcha, quarta, mais um soco no estômago e o V12 parece gritar: "Esqueça os turbos e acelere!". É hora de frear forte – o que, para variar, também requer adaptação.

Motor V12 tem posicionamento central-traseiro
Tudo o que faço está sendo registrado por um sistema de coleta de dados integrado à central multimídia do carro. Há sensores no motor,  nos freios e em partes da carroceria, além de duas câmeras, uma que grava as reações do piloto e outra a pista à frente. O sistema adota os parâmetros da melhor volta como referência automaticamente. Um brinquedo e tanto para poucos (e endinheirados).

Aerofólio traseiro é fundamental para a estabilidade
Sigo pelo circuito desfrutando de tudo o que consigo extrair desse Lamborghini. O câmbio robotizado de dupla embreagem e sete marchas trabalha de forma rápida e suave, mesmo com as pancadas que levo a cada troca. Não paro de pensar: "800 cv? Possibilidade de aumento de potência?

Painel digital do Lambo Centenario destaca o conta-giros
Antes disso, é melhor aprender a lidar com o Centenario de "apenas" 770 cv.

Console exibe gráficos de desempenho (aqui, "delete" é "elimina")
Edição de Wilson Toume, da Motorpress, em São Paulo (SP)