Ford terá Mustang V8 híbrido em 2020

Motorpress
Da Redação, em São Paulo (SP)
03/01/2017 16:24

A Ford confirmou nesta terça-feira (3) uma série de modelos que serão "eletrificados" (ou seja, terão motorização híbrida ou puramente elétrica) nos próximos cinco anos. Entre eles, uma surpresa: o Mustang. As informações são do site Carscoops.

Ford terá versão híbrida do Mustang em 2020

Apesar de não ter informado nenhum detalhe sobre o desempenho do Mustang híbrido, a Ford confirmou que ele usará o motor V8 e terá "mais potência e torque". Sua data de lançamento é o ano de 2020 e as vendas se limitarão à América do Norte.

Os outros modelos da lista são a picape F-150, que também deve ser lançada em 2020, a van Transit, que terá uma versão híbrida plug-in para ser vendida na Europa em 2019, e um SUV inédito, totalmente inédito. O utilitário será fabricado em Flat Rock, Michigan (Estados Unidos) e será vendido globalmente. A expectativa é que ele entregue autonomia de 482 km. 

Picape F-150 também será eletrificada

EFEITO TRUMP?
A Ford também aproveitou o dia para anunciar o cancelamento de seus planos de levantar uma nova fábrica da companhia no México, cujo investimento seria de US$ 1,6 bilhões. O local seria dedicado à fabricação do Ford Focus. Em vez do México, a Ford decidiu investir US$ 700 milhões na já citada fábrica de Flat Rock para expandi-la em favor do modelo.

Oficialmente, a empresa nega ter fechado um acordo com o presidente eleito Donald Trump, que advogava abertamente contra a construção da fábrica da Ford no México (ameaçando sobretaxar os produtos originados lá à venda nos EUA quando assumisse o governo). O CEO da companhia, Mark Fields, se limitou a dizer à CNN que eles tomaram essa decisão [de cancelamento] "por nossos negócios". 

Curiosamente, no mesmo dia em que a Ford anuncia a mudança de planos da fábrica, Trump usou sua conta no Twitter para ameaçar a General Motors. Em seu post, ele diz: "General Motors está mandando o modelo Chevrolet Cruze para os Estados Unidos. Carro livre de impostos cruzando a fronteira. Faça nos EUA ou pague grande imposto de fronteira!". O imposto poderia ser de 35% (similar ao que o Brasil cobra de modelos importados de marcas sem fábrica por aqui), segundo Trump, mas isso não é confirmado. 

Em resposta, a GM explicou que apenas a versão hatch do Cruze é feita no México, enquanto a todos os Cruze sedã vendidos nos EUA são feitos no próprio país de origem da companhia.