Fim do mistério: Honda revela interior do WR-V

Motorpress
Da Redação, em São Paulo (SP)
01/02/2017 12:14

Depois de mostrar o Honda WR-V fechado e trancado no Salão do Automóvel de 2016, a fabricante abriu o novo carro para a imprensa nesta terça-feira (31). E, confirmando as especulações, o interior do futuro modelo é extremamente parecido com o do Fit. Não houve test-drive.

Dianteira do WR-V tenta passar ideia de robustez

O acabamento de painel, kit multimídia, volante e quadro de instrumentos é similar ao do Fit. Os bancos trazem a mesma tecnologia de rebatimento, que permite ampliar o espaço traseiro para bagagens. Apenas o revestimento é exclusivo do WR-V.

Por trás o modelo lembra mais o Fit; lanternas são estranhas
Sob o capô, o WR-V também compartilha o conjunto mecânico do Fit, ou seja, motor 1.5 i-VTEC  de 116 cv e câmbio CVT continuamente variável. A Honda não divulgou se haverá outras motorizações ou câmbios disponíveis, nem quais serão. 
 

O interior é praticamente igual ao do Fit

Visualmente, as diferenças entre WR-V e Fit estão em para-choques, conjunto óptico, tampa do porta-malas, para-lama frontal e capô, que têm aparência mais robustos na novidade. As principais alterações do WR-V (que é considerado um SUV urbano pela fabricante) estão na parte inferior: a suspensão foi toda adaptada para trabalhar com maior altura em relação ao solo, mas sem prejudicar a segurança ao dirigir, nem o conforto. Assim, amortecedores, barra esdtabilizadora, buchas dianteiras e travessa foram reforçadas e recalibradas. Na traseira, o conjunto foi baseado no do crossover HR-V.

Tem mais: a caixa de direção (com assistência elétrica) foi desenvolvida especificamente para o novo modelo, assim como as rodas de 16" e os pneus 195/60. De acordo com a Honda, o WR-V recebeu tratamento acústico especial, com isoladores instalados em diversos pontos, a fim de ampliar o conforto a bordo. 

O lançamento do WR-V está merecendo tratamento especial por parte da Honda do Brasil, já que se trata do primeiro modelo desenvolvido pelo departamento de pesquisa e desenvolvimento da filial brasileira e, caso seja bem-sucedido, o modelo pode permitir que outros veículos sejam projetados no país no futuro. 

Os preços não foram revelados, mas o modelo será posicionado acima do Fit e abaixo do HR-V -- já se sabe que haverá uma sobreposição de preços, sendo provável que o WR-V topo de linha seja mais caro que o HR-V de entrada.

Apenas os bancos têm revestimento exclusivo para o modelo

O carro começará a ser vendido no Brasil em março; o lançamento definitivo, com preços, versões e experimentação dinâmica, deve ocorrer um pouco antes. A fabricação será em Sumaré, SP, na mesma linha de montagem de Fit, City, Civic e HR-V. A partir dali, o WR-V será exportado para países da América Latina. Outro mercado importante será a Índia, provavelmente com produção local.