Agosto tem ligeira alta, mas mercado cai 10,87%

Motorpress
Da Redação, em São Paulo (SP)
02/09/2016 11:28
1º) CHEVROLET ONIX - 92.566
2º) HYUNDAI HB20 - 75.879
3º) FORD KA - 48.755
4º) FIAT PALIO - 44.733
5º) TOYOTA COROLLA - 43.840
6º) CHEVROLET PRISMA - 42.944
7º) VOLKSWAGEN GOL - 40.834
8º) HONDA HR-V - 40.122
9º) RENAULT SANDERO - 38.771
10º) JEEP RENEGADE - 34.917
11º) VOLKSWAGEN FOX/CROSS FOX - 33.798
12º) HYUNDAI HB20S - 30.638
13º) VOLSKWAGEN UP! - 26.707
14º) TOYOTA ETIOS HATCH - 25.142
15º) FIAT UNO - 24.138
16º) FIAT SIENA - 23.585
17º) TOYOTA ETIOS SEDÃ - 19.806
18º) VOLKSWAGEN VOYAGE - 18.752
19º) HONDA FIT - 18.136
20º) FORD ECOSPORT - 17.999

Apesar da ligeira melhora nas vendas em agosto (de 1,9%), o mercado automotivo brasileiro continua amargando quedas este ano. Segundo o relatório da Fenabrave, entidade que reúne as concessionárias, o número de emplacamentos de carros e comerciais leves novos caiu 10,87% mês passado. No acumulado deste ano, a diferença é de 22,80% a menos em relação a janeiro a agosto de 2015.

De acordo com a Fenabrave, foram 178.103 veículos emplacados em agosto deste ano, contra 174.780 do mês anterior. No ano passado, o mês de agosto registrou 199.833 vendas automotivas. Em números absolutos, o acumulado destes oito meses de 2016 atingiu 1.303.987 unidades emplacadas, enquanto em 2015 o período acumulou 1.689.043 emplacamentos.

Os 20 carros e comerciais leves mais vendidos em agosto

Quanto aos modelos mais vendidos de agosto, não há nenhuma surpresa. O Chevrolet Onix continua na liderança, tendo sido emplacado 12.422 vezes no mês. Pela primeira vez, o segundo colocado HB20 conseguiu ultrapassar a barreira dos dez mil emplacamentos, fechando agosto com 10.263 unidades vendidas. O Ford Ka completou o pódio no mês, com 7.043 unidades emplacadas.

No lado dos comerciais leves, a Fiat repetiu sua dobradinha vitoriosa em agosto. Strada (6.009 unidades vendidas) e Toro (4.291) fecharam o mês no topo. A Volkswagen Saveiro ficou em terceiro lugar, com 3.838 unidades vendidas. 

Veja na galeria os 20 carros mais vendidos do Brasil até agora em 2016.

OPORTUNIDADE
Além dos vendedores de carros seminovos e usados, outro segmento do comércio "comemora" o mau resultado das vendas de veículos novos. Trata-se dos prestadores de serviços de conservação automotiva (manutenção, higienização, entre outros). "O brasileiro adiou o plano de comprar o carro zero, e o comportamento imediato é cuidar do que já está na garagem", diz Marcos Mendes, da Acquazero, rede de manutenção que, durante a crise hídrica de 2015, desenvolveu um sistema para lavar carros com apenas 300 ml de água

"O cliente que vinha apenas para deixar o carro limpo hoje recebe a orientação de um consultor especialista na área de conservação", conta. Segundo Mendes, no primeiro semestre o faturamento aumentou 20%. O gasto médio do cliente subiu de R$ 120 para R$ 180 (50%).

Outras empresas também viram seus negócios prosperarem. A WTC Car Service registrou aumento de 15% na procura por serviços. "Quem tem carros mais novos demora para fazer, mas com carros mais usados não tem como ficar sem dar um jeito", diz o proprietário, Paulo Bergamin. Já na 
Doutor Lubrifica o número de clientes mensais subiu de 6.000 para 8.000 nas 60 lojas da franquia, de acordo com o diretor Carlos Diego.