VW Golf "barato" tem motor de Fox e câmbio de Gol

RODRIGO RIBEIRO
Da Motorpress, em São Paulo (SP)
14/09/2016 18:58
VOLKSWAGEN GOLF 1.6
VOLKSWAGEN GOLF 1.6
VOLKSWAGEN GOLF 1.6
VOLKSWAGEN GOLF 1.6
VOLKSWAGEN GOLF 1.6
VOLKSWAGEN GOLF 1.6
VOLKSWAGEN GOLF 1.6
VOLKSWAGEN GOLF 1.6
VOLKSWAGEN GOLF 1.6
VOLKSWAGEN GOLF 1.6
VOLKSWAGEN GOLF 1.6
VOLKSWAGEN GOLF 1.6
VOLKSWAGEN GOLF 1.6
VOLKSWAGEN GOLF 1.6
VOLKSWAGEN GOLF 1.6

O problema do Volkswagen Golf 1.6 nunca foi exclusivamente o seu desempenho, especialmente na versão com câmbio manual. Além de ser quase 2s mais rápida que a automática, ela é mais barata – ou menos cara, dependendo do ponto de vista.

Pelo Golf Comfortline 1.6, a Volkswagen pede R$ 78.130, sem incluir os opcionais que, somados, custam mais R$ 10.000. Menos mal que a fabricante compensa isso oferecendo um pacote de itens de série generoso, que inclui controle eletrônico de estabilidade, sete airbags e  uma moderna central multimídia. Mas não se pode esquecer que existem rivais tão equipados quanto ele, por preços mais atraentes.

Visual do Golf mais barato não muda em relação aos demais

Até mesmo "dentro de casa" esse Golf sofre com a concorrência, pois seu motor 1.6 capaz de entregar 120 cv é o mesmo do Fox Highline, que é mais ágil, barato e dotado de um câmbio manual de seis marchas – este item, inexplicavelmente, acabou ficando de fora no Golf.

OPÇÃO DE LONGO PRAZO
O custo-benefício ruim levou à rejeição do mercado: segundo a consultoria Jato Dynamics, a versão 1.6 manual representou menos de 3% das vendas do Golf nacional neste ano. E isso acaba trazendo um problema a tiracolo a seu proprietário, com a liquidez menor do modelo em um mercado de seminovos repleto de versões automáticas e/ou com motor 1.4 turbo.

E, segundo o site Autos Segredos, a versão 1.0 TSI chegará em breve com potência superior ao 1.6 e consumo de combustível menor.

Reestilização do modelo da Volkswagen está próxima

Com mais contras do que prós, fica difícil "defender" esse Golf, o que é uma pena. O hatch fabricado em São José dos Pinhais (PR), tem uma dirigibilidade ímpar e muito próxima à da versão importada, mesmo com a suspensão traseira de eixo de torção, mais simples que a multibraço.

O acabamento de qualidade tem a sobriedade e a montagem benfeitas típicas dos modelos mais caros da Volkswagen. A onda de conectividade trouxe ao hatch duas opções de sistemas multimídia, ambas com possibilidade de espelhamento para celulares Apple e Android. E ainda nem falamos do desempenho.

Motor MSI, o mesmo do Fox, oferece 120 cavalos de potência

O Golf 1.6 está longe de empolgar, especialmente em retomadas e subidas. Mas ele se mantém entre os poucos carros com câmbio manual que dão gosto de dirigir, oferecendo engates precisos, direção com boa pegada e suspensão firme na medida certa, além de apresentar consumo satisfatório para o segmento.

A embreagem poderia ser mais leve, mas com tantos desafios para resolver, esse é o menor dos problemas do mais raro dos VW Golf atuais.