Toyota Hilux chega modernizada à oitava geração

WILSON TOUME e LEONARDO BARBOZA
Da CARRO, em São Paulo (SP)
29/12/2015 15:33
Toyota Hilux 2016
Toyota Hilux 2016
Toyota Hilux 2016
Toyota Hilux 2016
Toyota Hilux 2016
Toyota Hilux 2016
Toyota Hilux 2016
Toyota Hilux 2016
Toyota Hilux 2016
Toyota Hilux 2016
Toyota Hilux 2016
Toyota Hilux 2016
Toyota Hilux 2016

Embora conte com um número relativamente pequeno de modelos, o segmento das picapes médias no mercado nacional é bastante disputado. E para se manter competitiva, a Toyota lançou, em meados de novembro, a oitava geração da sua representante na categoria, a Hilux.

Dianteira da Hilux ficou mais parecida com a de um sedã
Já conhecido há tempos pelos brasileiros, o modelo conta com ótima reputação de robustez e confiabilidade. Assim, não é à toa que se mantém como uma das picapes mais vendidas do país. Reestilizar um carro com esse histórico não é fácil, mas os projetistas da fabricante japonesa foram felizes na tarefa e o resultado é uma picape com visual moderno, que transmite impressão de força na medida certa. As mudanças, porém, não se limitam à estética.

Versão das fotos é a SRX, topo de gama
A cabine ficou 70 mm maior no comprimento, 20 mm mais larga e 45 mm mais baixa em relação à anterior. De acordo com a empresa, essas mudanças atendem aos desejos dos consumidores e proporcionam mais conforto para os ocupantes e melhor desempenho dinâmico.

Falando em desempenho, outra novidade na Hilux é o motor 2.8 turbodiesel, integrante da linha global de propulsores da marca. Com quatro cilindros, turbo de geometria variável (TGV) e intercooler, ele é capaz de gerar 177 cv e 45,9 kgfm na versão automática.

Painel de instrumentos ficou mais moderno e agradável
O câmbio de seis marchas, aliás, também é novo, e proporciona bom desempenho com economia de combustível, de acordo com a Toyota. Em nossos testes, contudo, não registramos melhoras. A aceleração de 0 a 100 km/h foi realizada em 13s5 — marca satisfatória para um utilitário com motor a diesel.

Motor turbodiesel de 2,8 litros é um dos destaques da Hilux

Detalhe: a nova Hilux também oferece as opções de condução Power, em que as respostas do acelerador são mais rápidas (indicadas para situações de ultrapassagem em estradas ou quando a picape está carregada) e Eco, mais econômica. Infelizmente, não pudemos aferir o consumo, mas, segundo a fabricante, o urbano médio é de 9 km/l, e o rodoviário, de 10,5 km/l.

Números fornecidos pela Toyota
Cheia de tecnologia, com direito a controles eletrônicos de estabilidade e de tração, assistentes de partida em rampa, de descida e de reboque, ar-condicionado eletrônico etc., a nova Hilux não é um veículo barato. Por ora oferecida apenas com motorização diesel (a flex segue como a de ano-modelo 2015) e com uma única versão em cabine simples, a nova geração da Hilux tem os seguintes preços:

Hilux CD STD: R$ 130.960
Hilux CD SR A/T: R$ 162.320
Hilux CD SRV A/T: R$ 177.000
Hilux CD SRX A/T: R$ 188.120
Hilux CS: R$ 118.690
Hilux Cabine e chassi: R$ 114.860