Teste: Renault Sandero R.S. Racing Spirit

GUSTAVO DE SÁ
de São Paulo (SP)
20/11/2017 13:22

O Renault Sandero R.S. é um modelo que cativou os fãs de esportivos nacionais. Com modificações extensas em motor, câmbio, freios e suspensão, essa é uma versão que honra o título de hot hatch. Para conquistar quem busca mais exclusividade, a fabricante apostou em uma série especial do R.S., chamada de Racing Spirit, que terá produção limitada a 2 mil unidades – divididas entre Brasil e Argentina.

Racing Spirit traz adereços visuais na cor vermelha

As principais novidades do Racing Spirit são visuais. O modelo traz pintura vermelha no contorno inferior do para-choque dianteiro, capas dos espelhos retrovisores e difusor traseiro, além de uma nova faixa lateral com o nome da série limitada.

Pneus Michelin Pilot Sport 4 são a novidade da série especial

As rodas pretas, de 17 polegadas, são montadas com pneus Michelin Pilot Sport 4, de medidas 205/45R17. O composto, segundo a fabricante, tem melhor desempenho em frenagens. As pinças de freio e centro das rodas também vêm na cor vermelha.

Assim como no R.S. 'convencional', escapamento tem saída dupla

O interior é ligeiramente diferente do R.S. comum. O revestimento do teto é escurecido e a cor vermelha também aparece nas saídas de ar laterais, no contorno do velocímetro e nas faixas dos bancos. Uma placa decorativa, posicionada abaixo da alavanca do freio de estacionamento, identifica o número de série da edição Racing Spirit. O adereço traz a reprodução do circuito de Brno, na República Checa, que é utilizado no desenvolvimento dos modelos da Renault Sport.

Bancos e volante esportivos são pontos fortes da cabine do R.S.

O motor 2.0 aspirado entrega 150 cv de potência e 20,9 kgfm de torque com etanol e é associado a um câmbio manual de 6 marchas com relações próximas e sexta curta. Em nossa pista de testes, o Racing Spirit apresentou desempenho parelho em relação à versão convencional. A série limitada acelerou de 0 a 100 km/h em 8s87, ante 8s71 do Sandero R.S. testado à época do lançamento, em 2015 – uma diferença muito pequena.

Placa numerada traz reprodução do circuito de Brno, na República Checa

Já na hora de parar, os novos pneus da série limitada confirmaram a promessa da Renault de melhorar o comportamento do hatch nas frenagens. Vindo a 100 km/h, o modelo estancou em bons 34,5 metros, distância 4,2 metros menor em relação ao R.S. equipado com os pneus Continental 205/45R17. Também contribuem para o resultado os freios a disco nas quatro rodas.

Motor 2.0 aspirado entrega 150 cv de potência e 20,9 kgfm de torque com etanol

Além dos adereços e novos pneus, o Racing Spirit continua com os bons atributos da linha R.S., como os bancos com excelente apoio lateral e o volante de diâmetro reduzido e revestimento em couro. Outra sacada é o botão R.S. Drive, que possibilita selecionar três modos de condução, com a opção de desligamento total dos controles de estabilidade e tração.

A central multimídia tem boa interface e quantidade de recursos. Porém, a tela de 7 polegadas poderia ter melhores resolução e luminosidade (sob sol forte, é difícil enxergar as informações). Por R$ 66.800, o Racing Spirit custa R$ 2 mil a mais que o R.S. convencional. Um preço justo para ter um modelo exclusivo e com o espírito de corrida da Renault Sport.

>  Confira os números do teste do Renault Sandero R.S. Racing Spirit