Teste: 500 Multiair flex


20/07/2013 15:14
Fiat 500
Fiat 500
Fiat 500
Fiat 500

Embora não seja mais novidade no mercado, o simpático Fiat 500 ainda chama muita atenção por onde quer que passe. Seu visual descontraído, aliado ao tamanho diminuto (para os padrões nacionais) atrai olhares e provoca sorrisos.
Não é à toa que a Fiat considera o modelo um de seus “xodós”. De setembro de 2011, quando ele começou a ser comercializado no país, até maio deste ano, foram vendidas mais de 23.500 unidades do carrinho, de acordo com a própria Fiat.

Levando-se em conta que ele é um carro de nicho, não há como negar que se trata de um sucesso. Mesmo assim, contrariando a antiga máxima que diz “em time que está ganhando não se mexe”, a fabricante descobriu uma forma de tornar o subcompacto ainda mais atraente, e desenvolveu um motor flex para ele. Com isso, agora toda a família 500 passa a contar com motores capazes de trabalhar com gasolina e etanol, uma vez que as versões de entrada (Cult) já contavam com motorização flex.

Outra alteração na gama diz respeito ao fim da versão Lounge, e assim, a versão topo de linha passa a ser a Cabrio. A família 500, então, agora é composta pelas versões Cult 1.4, Cult 1.4 Dualogic, Sport Air 1.4 16V, Sport Air 1.4 16V Automático e Cabrio Automático. Todos flex e produzidos no México.

De acordo com a fabricante, a alteração para o funcionamento com etanol exigiu diversas alterações no motor MuiltiAir. Pistões com baixo atrito, bronzinas e junta do cabeçote são novos, assim como os injetores e as velas.

O sistema de partida a frio, porém, é o mesmo dos demais motores 1.4 da linha, ou seja, com gasolina. E é exatamente por ser o sistema já usado em outros motores da marca que ele foi mantido, em vez de ser substituído por um mais moderno.

Na prática, é difícil perceber as diferenças proporcionadas pelo etanol, já que a potência passou para 107 cv e o torque para 13,8 mkgf. Com gasolina, os valores são os mesmos (105 cv e 13,6 mkgf, respectivamente).

Mas o melhor, para o consumidor, é que apesar do novo motor, os novos Fiat 500 Flex não terão seus preços reajustados. Então, se você é fã do charmoso subcompacto produzido no México, pode comemorar. Você ganhou mais um argumento para adquiri-lo.

Conclusão: 7,0

Para a utilização urbana, o Fiat 500 é uma opção praticamente imbatível. Pequeno, ágil, bem equipado e dono de um incrível carisma, o carrinho é feito sob encomenda para quem não teme ser alvo de olhares nas ruas. -- Wilson Toume

Versões Relacionadas