MB C300 Estate é uma espécie em extinção

FERNANDO NACCARI
De São Paulo (SP)
28/02/2018 11:12

Mercedes-Benz C 300 Estate tem todas as qualidades que uma station pode ter, mas ainda é exceção no mercado

É difícil para todo apaixonado pelas wagons admitir, mas o segmento “respira por aparelhos”. Antes opção número 1 entre as famílias por oferecerem conforto e espaço interno, tornou-se exceção no mercado, onde poucos modelos ainda resistem, como os Fiat Weekend e VW SpaceFox, ou no concorrente mais próximo, o Audi A4 Avant.

Como uma das exceções à regra (regra é fabricar e vender SUVs), o Mercedes-Benz C 300 Estate é uma opção da fabricante alemã para o Brasil, que chegou para preencher a lacuna deixada pela C 180 Estate, que teve suas vendas encerradas no ano passado.

Conforto inigualável

Ter a oportunidade de dirigir a C 300 Estate Avantgarde é uma experiência única e te faz pensar por que (e principalmente, como) tem gente que não gosta de peruas. O Mercedão consegue mesclar com maestria a excelente posição ao volante com um conforto raro.

As suspensões são independentes, dianteira por braços sobrepostos e na traseira, uma sofisticada multibraço. Esse conjunto filtra com destreza as imperfeições da pista, que passam praticamente inertes, e, ao mesmo tempo, conseguem o posicionamento ideal das rodas em relação ao solo em qualquer condição, garantia de segurança em curvas mesmo em velocidades elevadas. É o melhor carro que já dirigi nesse aspecto, pois combina muito bem as duas características.

Bons números

Exceto pela altura (1.462 mm x 1.457 mm), todas as outras medidas são idênticas as da C 180 Estate, com comprimento de 4.702 mm, largura de 1.810 mm, entre-eixos de 2.840 mm e tanque de combustível com os mesmos 66 litros de capacidade. O porta-malas de 490 litros pode ainda ter sua capacidade ampliada para até 1.510 litros com o rebatimento total dos bancos traseiros.

Mas os “300” depois do “C” fazem uma diferença importante na perua alemã. Enquanto a Estate antiga utilizava um motor 1.6 turbo de injeção direta, 156 cv e 25,5 kgfm, a station 2018 traz o bem acertado 2.0 de mesma configuração, 256 cv e 37,7 kgfm, e sistema desliga/liga. Vale lembrar que quem rege essa orquestra alemã é o eficientíssimo câmbio automático 9G-TRONIC de nove marchas, suave e ágil nas trocas quando exigido.

Lista farta

Os equipamentos de série são generosos, com destaques para o ar-condicionado Thermatic de duas zonas, banco do motorista com ajustes elétricos de altura, profundidade e regulagem milimétrica da região lombar, assistente de estacionamento Parktronic com sensores dianteiros e traseiros, rodas de 17 polegadas com pneus ‘run fl at’, teto solar panorâmico, assistente de partida em rampas, sistema Keyless-Go, sistema Attention Assist que alerta ao motorista em caso de perda de atenção e/ou sonolência, controles de estabilidade e tração e monitoramento da pressão dos pneus.

Tabela de Testes