Fiat mexe em motor velho para Toro flex ficar mais ágil

RODRIGO RIBEIRO
Da CARRO, em São Paulo (SP)
17/02/2016 16:00

Sem um motor flex novo há quase seis anos, a Fiat usou a tecnologia para tentar afastar da Toro Freedom, bicombustível, o fantasma da lentidão que assola o Jeep Renegade 1.8 com o mesmo propulsor. A primeira coisa a fazer foi adotar um inédito coletor de admissão variável. A peça plástica usa dutos de comprimentos diferentes para, junto com uma nova calibração da injeção, dar até 7 cv extras ao conjunto 1.8 (que, aliás, está mais para 1,75 litro).

Toro Freedom Opening Edition: motor flex anabolizado
Mas o que acaba impactando mais no uso urbano -- cenário onde a Toro 1.8 rodará a maior parte do tempo, segundo a Fiat -- é o torque, que subiu meros 0,2 kgfm. E aí é que entra outro "truque".

Mais sobre a picape:
Toro parte de R$ 76.500; veja todos os preços
Veja como anda a Toro diesel, topo de gama
GALERIA: fotos exclusivas da Toro Volcano


Ao contrário do que ocorre na versão diesel, o acelerador eletrônico da Toro 1.8 recebeu uma calibração mais sensível. Na prática, você não precisa pressionar o pedal quase até o fim para que o carro entregue o máximo de desempenho.
A artimanha só funciona porque, inicialmente, a Toro flex virá apenas com câmbio automático de seis marchas (a versão manual chega até julho).

Fiat espera que Toro flex responda por 35% das vendas
Isso faz com que, no uso urbano, a Toro dê a sensação de que oferece mais desempenho do que realmente tem: como você pressiona pouco o acelerador, fica a impressão de que há muita reserva de potência. Mas basta empurrar o pedal até o fim que o fantasma do Renegade volta a aparecer. Com 187 kg a mais, não são 7 cv que farão a Toro sobrepujar o irmão preguiçoso. Como no Jeep, retomadas e ladeiras devem ser encaradas com parcimônia e paciência pelo motorista.

RECHEIO
Se falta desempenho, sobram equipamentos desde a versão de entrada. A Toro Freedom 1.8 automática chega por R$ 76.500 com trio e direção elétricos, ar-condicionado, controlador e limitador de velocidade, sensor de ré e controle de estabilidade com assistente de partida em rampa. (Dirigimos um exemplar com o pacote Opening Edition, como o das fotos, que faz o preço subir a R$ 84.400 e inclui itens como câmera da ré e ar dual zone).

Mesmo não sendo top, a versão Freedom tem cabine recheada
O valor é R$ 4.100 acima da Renault Oroch 2.0, que, por enquanto só tem câmbio manual de seis marchas e não oferece ESC (controle de estabilidade). Só que a rival pioneira oferece mais desempenho por um preço menor -- e sem usar "truques" eletrônicos.

Motor flex ganhou melhorias e ficou 7 cv mais potente


FICHA TÉCNICA: TORO FREEDOM 1.8 FLEX (6 MARCHAS)

Motor: 1.8 E.torq EVO VIS Flex AT6
Posição: transversal, dianteiro
Cilindros: 4 em linha
Cilindrada: 1.747 cm³
Taxa de compressão: 12,5:1
Potência: 135/139 cv a 5.750 rpm (g/e)
Torque: 18,8/19,3 kgfm a 3.750 rpm
Válvulas: 16 no cabeçote
Alimentação: aspirado
Combustível: gasolina/etanol
Câmbio: automático, 6 marchas à frente e uma à ré
Tração: dianteira, com juntas homocinéticas e bloqueio eletrônico do conversor de torque
Freios: ABS, ESP, ASR e Hill Holder; dianteiro a disco ventilado e traseiro a tambor
Suspensão dianteira: McPherson com rodas independentes, braços oscilantes em aço estampado fixados ao subchassis e barra estabilizadora; amortecedores hidráulicos, telescópicos de duplo efeito; mola helicoidal
Suspensão traseira: Multilink com rodas independentes, links transversais e longitudinais, barra estabilizadora, amortecedores Hidráulicos, telescópicos de duplo efeito; mola helicoidal progressiva à carga
Direção: elétrica
Diâmetro mínimo de curva: 12,2 metros
Rodas e pneus: aço, aro 16, 215/65 
Peso: 1.619 kg
Capacidade de carga: 650 kg
Dimensões: comprimento 4.915 mm, largura 1.844 mm, altura 1.735 mm, entre-eixos 2.990 mm, altura mínima do solo 206 mm
Porta-malas (caçamba): 820 litros
Tanque: 60 litros
Velocidade máxima: 172/175 km/h (g/e) 
Aceleração 0 a 100 km/h: 12s8/12s2 (g/e)