Etios muda motor, câmbio e painel, mas segue igual

RODRIGO RIBEIRO
Da CARRO, em São Paulo (SP)
19/04/2016 15:30

Visual do Etios 2017 é igual ao modelo anterior
A Toyota apresentou nesta terça-feira (19) a linha 2017 do Etios com uma longa lista de novidades, incluindo leves melhorias em alguns defeitos do compacto. Os motores 1.3 e 1.5 passaram a ser feitos no Brasil e ficaram mais potentes, econômicos e podem ser associados aos novos câmbio manual de seis marchas ou automático de quatro.

O painel de instrumentos agora é totalmente digital e tem duas telas de LCD com 4,2 polegadas cada. As novidades estão presentes em todas as versões, que também tiveram seu preço reajustado.

Versão XLS Automática do Etios Sedan é a mais cara da gama
A versão de entrada X agora custa R$ 43.990, ante os R$ 41.890 cobrados pelo modelo anterior. O câmbio automático, exceto no Etios hatch X, adiciona R$ 3.500 ao preço e o topo de linha Platinum foi descontinuado. A tabela da linha 2017 ficou da seguinte maneira:

Hatchback
Etios X 1.3 Manual: R$ 43.990
Etios X 1.3 Automático: R$ 47.990
Etios XS 1.5 Manual: R$ 48.995
Etios XS 1.5 Automático: R$ 52.495
Etios XLS 1.5 Manual: R$ 53.895
Etios XLS 1.5 Automático: R$ 57.395
Etios Cross 1.5 Manual: R$ 57.395
Etios Cross 1.5 Automático: R$ 60.895

Sedan
Etios X 1.5 Manual: R$ 48.495
Etios X 1.5 Automático: R$ 51.995
Etios XS 1.5 Manual: R$ 51.695
Etios XS 1.5 Automático: R$ 55.195
Etios XLS 1.5 Manual: R$ 56.795
Etios XLS 1.5 Automático: R$ 60.295

Painel digital fica no mesmo lugar do cluster analógico antigo
GANHO E PERDA
Tanto o bloco 1.3 quanto o 1.5 agora são fundidos, usinados e montados na nova fábrica de motores da Toyota em Porto Feliz (SP). Os dois conjuntos receberam diversas melhorias, como a adoção de um sistema de pré-aquecimento do etanol, troca da correia dentada por corrente, tuchos hidráulicos com rolamentos e comando de válvulas com fase variável para admissão e escape. A taxa de compressão subiu de 12,1:1 para 13:1, o que melhora o aproveitamento da combustão.

Todas as melhorias deram, com etanol, 8 cv a mais no motor 1.3 e 11 cv extras no 1.5. O torque também melhorou, indo de 12,8 kgfm para 13,1 kgfm (1.3) e 13,9 kgfm para 14,7 kgfm (1.5). A rotação onde ocorre o pico de torque e potência, porém, também subiu. A Toyota afirma ter obtido uma melhora de 9% no consumo no Etios Sedan 1.5 com câmbio manual e obteve a letra A no programa de etiquetagem do Inmetro.

Computador de bordo mostra o gasto em reais do combustível gasto
A marca promoveu uma recalibração na assistência elétrica da direção, no acionamento da embreagem (que agora é hidráulico) e na suspensão, que recebeu batentes hidráulicos e amortecedores traseiros com maior carga na distensão. O isolamento acústico foi aprimorado com a adoção de novos protetores nos para-lamas dianteiros e mantas acústicas mais grossas no assoalho.

MELHORA ONDE NÃO PRECISAVA 
CARRO ONLINE avaliou a nova versão topo de linha do Etios Sedan, que no pacote XLS com câmbio automático é o primeiro modelo da família a passar a barreira dos R$ 60.000. Apesar do pacote de mudanças mecânicas ser longo, por fora ele segue idêntico ao modelo atual, e o interior tem como maior novidade o painel digital. As versões X e XS também receberam bancos levemente redesenhados.

Motor de alumínio não usa mais o tanquinho de gasolina
Ou seja: o painel central continua lá, distante do motorista. É verdade que a leitura dos instrumentos melhorou um pouco, mas não espere a excelência encontrada nos instrumentos digitais do Audi TT e VW Tiguan. A Toyota não usou a experiência que obteve com o superesportivo LF-A (que também tinha painel digital) e optou por um display mais simples no Etios. Em uma das telas, que simula o ponteiro do conta-giros, a simulação não está muito distante dos pioneiros Chevrolet Omega e Monza com instrumentos eletrônicos.

A carroceria com visual sem apelo e o aspecto geral simplório da cabine também continuam. O acabamento é de qualidade, mas a marca abusa de plásticos e soluções baratas, como a alavanca para abrir o capô (que lembra o puxador do afogador dos Volkswagen da década de 1980) e o ar-condicionado analógico mesmo nas versões mais caras.

Fixação Isofix, encosto e cinto de três pontos para todos os ocupantes também são novidade
Certos detalhes irritantes também continuam, como o alarme que aciona a buzina a cada vez que o carro é trancado ou aberto (e acorda todos os seus vizinhos) e a ausência de um simples acionamento automático das travas elétricas com o carro em movimento. Para quem está acostumado com um recurso que até mesmo o Palio Fire tem, ou você aciona o pouco prático botão do lado esquerdo do volante para travar o carro, ou se lembrará que ele está aberto quando um criminoso roubar sua mochila no banco traseiro.

SÓ RAZÃO
Miguel Fonseca, vice-presidente executivo da Toyota, afirmou que o braço brasileiro do grupo ganhou autonomia para atualizar o Etios. Ele afirmou à CARRO ONLINE que o Brasil será o primeiro mercado a receber melhorias no motor e câmbio. Não será dessa vez, porém, que o compacto ganhará uma reestilização visual e novo interior. "Mas iremos apresentar novidades nesse sentido em breve", esquivou Fonseca.

Do jeito que está, a Toyota melhorou o que já agradava no Etios, sem corrigir seus maiores defeitos. A potência extra quase não surtiu efeito em nossas medições, pois a marca optou por alongar as quatro relações de marcha do câmbio automático. A contrapartida se dá em uma rotação aceitável a 120 km/h (cerca de 2.300 rpm) e uma sensível melhora no consumo, com média de 10,4 km/l com etanol no circuito misto PECO.

A mudança na assistência elétrica é imperceptível, e a direção continua com uma boa leveza em baixas velocidades e firmeza adequada na estrada. Os novos amortecedores reduziram as leves "quicadas" que a traseira dava em ondulações, e buracos são enfrentados com menos batidas secas.

Caixa de quatro marchas de origem Aisin é derivada da usada pelo antigo Corolla
Por mais que tenha duas marchas a menos que a média do mercado, o câmbio automático herdado do antigo Corolla foi bem calibrado para o motor 1.5. Ele realiza trocas de marcha rápidas e responde razoavelmente bem à maior pressão do acelerador sem que o pedal seja acionado até o final. Faltou um comando para trocas sequenciais, mas é possível realizar algumas mudanças pela alavanca, usando as posições L (Low), 2 e D3.

A marca espera que o câmbio automático responda por 40% das vendas do Etios esse ano. A expectativa da Toyota é chegar a 8% de participação no segmento, com 68.000 unidades produzidas. Atualmente a linha Etios é fabricada na nova unidade de Sorocaba (SP), em dois turnos de produção.