Classe C flex ficou ágil, mas motor bebe mais

HECTOR VIEIRA
Da Motorpress, em São Paulo (SP)
24/09/2016 10:00

Mercedes-Benz Classe C 180 Avantgarde parte de R$ 162.900

Embora esteja à venda desde abril, o Classe C 180 flex da Mercedes-Benz só começou a sair da linha de produção da nova fábrica da marca em Iracemápolis, SP, em julho. A versão nacional do sedã parte de R$ 148.900 e é equipada com o motor 1.6 16V.

Segundo a fabricante, diversas alterações no motor M274 (importado da Alemanha) foram necessárias para adaptar o C 180 ao combustível de origem vegetal. Começando pela bomba de combustível, linha e bicos injetores de maior vazão e proteção contra corrosão e novos sensor de combustível, cabeçote e calibração. Por possuir injeção direta, o motor também dispensa o uso de gasolina nas partidas a frio. A adaptação não resultou em aumento de potência e torque, que continuam 156 cv e 25,5 mkgf.

Versão flex não possui nenhuma identificação. O visual é o mesmo do anterior

De acordo com o programa de etiquetagem veicular (Conpet) do Inmetro, o Classe C 180 é capaz de rodar 7 km/l na cidade e 9,2 km/ na estrada, abastecido com etanol. Nos nossos testes, contudo, o resultado foi sutilmente menor em percurso urbano (6,8 km/l) e um pouco melhor em rodovias (10,5 km/l), atribuindo uma média ponderada de 8,4 km/l com o combustível derivado da cana-de-açúcar. Considerando os 66 litros de capacidade do tanque, o sedã é capaz de percorrer até 554 km. 

EVOLUÇÃO NA PISTA
A diferença de consumo entre o C 180 flex (com etanol) e a sua variante a gasolina é de 46%. Em compensação, a nova versão do sedã se mostrou mais rápida na pista de testes. 

Interior segue com o padrão refinado do Classe C atual

Na prova de aceleração de 0 a 100 km/h, por exemplo, o C 180 flex precisou de 8s57 para cumprir a prova, enquanto a versão a gasolina demorou 9s25. A vantagem do flex se mantém nas retomadas, sendo que o resultado na retomada de 80 km/h a 120 km/h foi a mais distinta, com 1s11 de vantagem para o flex.

A versão do C 180 testada pela CARRO foi a Avantgarde, que parte de R$ 162.900. Ela adiciona ao modelo de entrada as rodas de liga leve de 17’’, sistema de navegação incorporado à central multimídia (com comando por touchpad), faróis de LED e partida sem chave. É de se estranhar, porém, a ausência de câmera de ré ou ao menos de sensores de estacionamento traseiro, itens esperados em um carro desse nível.

Motor 2.0 turbo não sofreu modificações de potência e torque

Se no ano passado conseguiu driblar a crise, neste o segmento premium já começa a sentir a desaceleração do mercado. O Classe C, modelo mais vendido da Mercedes-Benz, foi emplacado 7.525 vezes em 2015. Contudo, com uma média de 303 unidades vendidas por mês em 2016, o resultado do final do ano pode render uma queda de até 50% nas vendas do sedã. Para os executivos da companhia isso não deve ocorrer, já que, tradicionalmente, o segundo semestre costuma ser melhor nas vendas.    

Ficha técnica e medições do Classe C 180 Avantgarde flex