BMW M2 é o melhor esportivo da marca no Brasil

RODRIGO RIBEIRO
Da Motorpress, em São Paulo (SP)
07/09/2016 14:00
BMW M2
BMW M2
BMW M2
BMW M2
BMW M2
BMW M2
BMW M2
BMW M2
BMW M2
BMW M2
BMW M2
BMW M2
BMW M2
BMW M2
BMW M2
BMW M2
BMW M2

Os alemães não inventaram o cupê esportivo, mas sabem criar referências nesse segmento como ninguém. A BMW que o diga, com o mítico M3 (agora rebatizado de M4), que conquistou gerações de entusiastas que tinham dinheiro para investir e não se preocupavam com a bagagem.

Mas esse segmento não escapou da "dieta de engorda" provocada por consumidores mais exigentes e regras de segurança mais rigorosas. Daí veio o 1M Coupé, que chegou ao Brasil em 2011 com um pouco menos de potência, mas carroceria mais leve e compacta.

O BMW M2 chega ao mercado por R$ 379.950

Com um histórico desses, não dá para esperar menos do que o melhor para o BMW M2. Sucessor espiritual do 1M, ele usa a base do Série 2 Coupé com peças (incluindo partes do motor) do M4. Anote os ingredientes: 370 cv, 47,4 mkgf, câmbio robotizado de dupla embreagem com sete marchas e 1.495 kg. Cozinhe nos 4s7 que ele levou para chegar aos 100 km/h e você terá um prato à altura dos melhores restaurantes.

NA MEDIDA CERTA
Se bem que, por R$ 379.950, o M2 está mais para o cardápio de uma boa cantina do que o de um restaurante gourmet. Ele é exorbitantemente caro para os padrões brasileiros, mas é consideravelmente mais barato que outros rivais (até dentro da própria marca). O M4, por exemplo, não sai por menos de R$ 459.950.

O interior segue o padrão de refinamento da linha M

A vantagem de um prato menor é que você pode degustá-lo melhor. A massa reduzida torna o M2 muito ágil nas curvas e em mudanças bruscas de direção. Os diversos assistentes eletrônicos tornam a condução divertida, mas ainda segura. Mas rodar com os assistentes desligados, ou até mesmo nos modos mais permissivos, é tarefa para especialistas na arte de apreciar essa iguaria dos esportivos compactos. Mesmo com bitolas maiores, freios e suspensão do M4 e controle ativo do diferencial traseiro, o M2 é arisco como seu antecessor 1M.

Todo esse fôlego vem acompanhado da sempre agradável trilha sonora do seis-cilindros em linha turbo, que fica ainda mais ruidoso nos modos mais fortes Sport e Sport+. Ainda há o modo Comfort para tornar essa pimenta alemã mais palatável no uso urbano, mas a suspensão dura e as enormes rodas de 19” não combinam com o cenário esburacado brasileiro.

O melhor a se fazer com o M2 é ir para uma boa estrada sinuosa, ligar o limitador na velocidade máxima da via e se divertir em cada frenagem e retomada do menor “M” do mercado. É a vantagem de ter uma ótima comida em um prato menor: dá para comer em qualquer lugar. 

NOSSAS MEDIÇÕES

Aceleração em segundos
0-60 km/h (m) 2,64 (20,82)
0-80 km/h (m) 3,56 (38,79
0-100 km/h (m) 4,75 (68,67)
0-120 km/h (m) 6,18 (112,28)
0-140 km/h (m) 7,98 (177,37)
0-160 km/h (m) 10,12 (266,80)
Retomada
40-100 km/h em Drive 3,37
60-120 km/h em Drive 3,85
80-120 km/h em Drive 2,93
Frenagem em metros
60-0 km/h 13,75
80-0 km/h 23,98
100-0 km/h 36,81
120-0 km/h 52,96