Audi Q5 Ambition: Evolução asteca

GUSTAVO DE SÁ
de São Paulo (SP)
20/12/2017 15:55

Produzida no México, segunda geração do Audi Q5 chega ao Brasil maior, mais leve e econômica que a antecessora

O Cinco de Mayo é a data em que é comemorada a vitória do México sobre a França na Batalha de Puebla, em 1862. Mais de um século e meio depois deste dia, os europeus voltaram a adentrar o território mexicano. Desta vez, porém, foram os alemães da Audi que ‘ocuparam’ o espaço, com a construção de uma enorme fábrica em San José Chiapa, no mesmo estado onde foi realizada a batalha histórica. É dessa pacata cidade de menos de 5 mil habitantes que sai a segunda geração do Q5 vendido no Brasil.

O novo Q5 traz desenho de perfil evolutivo em relação ao antecessor. Na dianteira, a grade hexagonal está maior e é ladeada pelos faróis, que estão mais afilados e têm iluminação full LED na configuração de topo testada. A traseira tem traços mais retos, com as saídas de escapamento em formato retangular.

Construído em nova plataforma modular, o SUV perdeu 50 kg, mesmo com o aumento das dimensões externas. Com 4,66 metros de comprimento, ele é 34 mm mais longo que o antecessor. A largura continua a mesma (1,89 m), enquanto a altura cresceu 6 mm (1,66 m).

O Audi possui três versões de acabamento: Attraction (R$ 244.990), Ambiente (R$ 274.990) e Ambition (R$ 292.990). Todas são dotadas de motor 2.0 TFSI de 252 cv de potência e 37,7 kgfm de torque, câmbio automatizado de dupla embreagem S tronic com sete marchas e tração integral quattro.

Graças ao downsizing, ele conseguiu ser mais rápido em retomada de velocidade e consumir menos combustível quando comparado à geração anterior, que trazia motor 3.0 V6 de 275 cv na versão de topo.

Em nossa pista de testes, o Q5 acelerou de 0 a 100 km/h em 6s3 – o modelo antigo cumpriu a mesma prova em 6s2. Na retomada de 40 a 100 km/h, o novo registrou tempo de 4s9, exato meio segundo mais rápido na comparação com o V6. Na hora de frear, o Q5 também mostrou evolução em relação à antiga geração, parando 2,9 metros antes ao estancar vindo a 100 km/h. O sucessor foi mais silencioso em todas as medições de ruído, com redução de até 3,3 decibéis.

O consumo médio entre cidade e estrada passou de 7,7 km/l para bons 10,2 km/l. Assim como o A5, o Q5 traz como opcionais controle de cruzeiro adaptativo e sistema de condução semiautônomo, que pode frear e acelerar o veículo de acordo com o tráfego à frente. O motorista pode, ainda, selecionar seis modos de condução, que alteram o comportamento da suspensão e as respostas do acelerador em busca de melhor desempenho ou menor consumo.

Outro recurso de assistência ao motorista é o detector de fadiga. Com a ajuda de diversos sensores, o carro monitora e cruza parâmetros como frequência e amplitude das correções de direção do volante para detectar possível cansaço do condutor. Caso sejam constatadas mudanças de trajetória, um sinal de alerta (com um símbolo de uma xícara de café) aparece no painel junto a uma sugestão de pausa para descanso.

> Confira os números do teste de pista do Audi Q5 Ambition: