O melhor tricilíndrico

Motorpress
Da Redação, em São Paulo (SP)
13/12/2013 15:00
Hyundai HB20 1.0 vs. VW Fox BlueMotion
Hyundai HB20 1.0
Hyundai HB20 1.0
Hyundai HB20 1.0
Hyundai HB20 1.0
Hyundai HB20 1.0
Hyundai HB20 1.0
Hyundai HB20 1.0
Hyundai HB20 1.0
VW Fox BlueMotion
VW Fox BlueMotion
VW Fox BlueMotion
VW Fox BlueMotion
VW Fox BlueMotion
VW Fox BlueMotion
VW Fox BlueMotion
VW Fox BlueMotion
Hyundai HB20 1.0 vs. VW Fox BlueMotion

VW Fox BlueMotion e Hyundai HB20 1.0 são modelos que permitem a você comprar hoje o que será tendência no curto prazo: motores 1.0 tricilíndricos.

Bem mais eficientes em relação ao que estávamos acostumados na década de 1990, esses novos propulsores contam com os últimos avanços em termos de construção, uso de materiais, redução de atrito, dentre outras soluções, para entregar bem mais potência e torque do que motores que equipavam os primeiros “populares”.

Em alguns mercados, como Europa e EUA, esses 1.0 tricilíndricos em variantes com turbo e injeção direta oferecem rendimento próximo – e em alguns casos até melhor – do que alguns motores 1.6. Por lá eles equipam modelos maiores, como os Ford Focus e Fusion, sem fazer feio. Muito pelo contrário. Os dois exemplos citados receberam ótimas avaliações da crítica especializada europeia, é bom destacar.

Aqui no Brasil, Hyundai HB20 e VW Fox BlueMotion são os responsáveis por oferecer comercialmente os primeiros blocos 1.0 de 3 cilindros no país. Não podemos esquecer, obviamente, do Kia Picanto, que compartilha o “coração” com o HB20, mas peca pelo preço elevado e o pouco espaço para passageiros e bagagem.

Sem exagero, HB20 e Fox BlueMotion despontam hoje como as melhores opções para quem busca um hatch 1.0. Claro que eles não “fazem milagre”, como diz a gíria, mas na comparação com alguns concorrentes com motores 4 cilindros não tão avançados, eles mostram-se bem mais agradáveis na hora de dirigir.

Sem o auxílio da sobrealimentação não espere um desempenho estonteante dos dois, afinal o foco de ambos é a economia de combustível. Contudo, quem conduz o HB20 1.0 ou o Fox BlueMotion nota que não é necessário “trabalhar” as marchas com frequência, situação comum em outros 1.0.

Ambos são bem equivalentes na hora de acelerar, com 0 a 100 km/h na casa de 15s. Só que por tratar-se de um modelo com a chancela BlueMotion – que se traduz em uma série de aperfeiçoamentos visando menor consumo de combustível – o câmbio e diferencial com relações mais longas no VW acabam por prejudicá-lo em algumas provas.

No 0 a 120 km/h, por exemplo, enquanto o HB20 precisa de 23s2 para terminar a avaliação, o Fox leva 42s3. Claro que, na hora de abastecer, o VW dá o troco.

Suas médias de consumo urbano e rodoviário ficaram em 9,6 e 13,1 km/l, respectivamente. Considerando que esses números foram obtidos com etanol o resultado é muito animador!

Um recurso interessante no VW é o indicador para troca de marchas, que ajuda a tornar o estilo de condução o mais econômico possível. Já o HB20, por sua vez, registrou parciais de 9 e 12,5 km/l, o que também está longe de ser ruim.

Nas frenagens os dois hatches se equiparam, precisando de 43 metros para parar vindo a 100 km/h e sem nenhuma diferença gritante na avaliação de fadiga.

Já na parte interna, HB20 e Fox BlueMotion são carros competentes. Longe de apresentarem cabines espartanas, o interior de ambos é bem resolvido, apresenta bom design e materiais agradáveis tanto no visual como ao toque.

A principal diferença encontra-se na posição de dirigir. A bordo do Fox, motorista e os demais passageiros ficam instalados de forma verticalizada. O objetivo é melhorar o aproveitamento do espaço interno, sendo que os ocupantes também são beneficiados com uma sensação de comando maior, porém você logo nota que não fica tão relaxado a bordo do VW.

Já no HB20 a posição de dirigir é melhor. As pernas ficam ligeiramente mais esticadas em relação ao VW e o assento parece mais baixo. No Hyundai, a impressão é de que você se acomoda com mais naturalidade. Na soma das dimensões dos habitáculos o Fox levou ligeira vantagem, mas na sensação de espaço ambos se equivalem.

Reunidos para este comparativo em suas versões 4 portas (o Fox BlueMotion tem opção 2 portas), o VW parte de R$ 33.060 e conta com direção com assistência elétrica, computador de bordo, ABS, airbag duplo e banco do motorista com regulagem de altura.

Nesse ponto o HB20 em sua opção 1.0 Comfort leva vantagem. Ele é tabelado em R$ 33.295 e, além de contar com os mesmos equipamentos do Fox, se destaca por oferecer ar-condicionado de série. No VW o equipamento é vinculado ao pacote “conforto completo”, que faz seu valor final subir para R$ 38.248.

Além do custo-benefício mais vantajoso levando em consideração o preço básico, o HB20 também foi melhor nas análises dos custos de manutenção.

A cesta de peças padrão usada pelo Carro Online (jogo de pastilha de freio, jogo de amortecedores, jogo de velas, filtros de ar, óleo e combustível, farol esquerdo, lanterna, retrovisor e para-lama esquerdo) custou R$ 1.912 para o Hyundai contra R$ 2.621 para o VW.

Vantagem também para o HB20 na soma das revisões até 30.000 km, que custam R$ 596,45 ao todo. Já para o Fox BlueMotion o valor sobe para R$ 780. Vale destacar que o HB20 conta com cinco anos de garantia, prazo que cai para apenas um ano no Fox BlueMotion.

Por fim, o preço do seguro para o HB20 também mostrou-se mais interessante. Seguindo nosso perfil-padrão (homem, 40 anos, casado, sem filhos, residente na capital paulista), o prêmio para o Hyundai ficou em R$ 1.912, ligeiramente melhor do que a média de R$ 1.956 para o Fox BlueMotion.

Como você conferiu ao longo da matéria, o HB20 foi o modelo que apresentou o custo-benefício mais recompensador, é o mais barato para manter e conta com desempenho ligeiramente melhor sem sacrificar o bom consumo de combustível. Por tudo isso ele mostra-se a melhor opção frente ao Fox BlueMotion.  

Já no início de 2014 o mesmo motor 1.0 do Fox estará presente no Up!, modelo que será o mais barato da VW no país e substituirá o Gol G4. A Ford também prepara sua ofensiva no segmento com a nova geração do Ka, que estreará o 1.0 3 cilindros da marca por aqui. Como você pode ver, o segmento ficará bem aquecido! 

Nossas medições: 

Hyundai HB20 1.0

Aceleração 0-100 km/h: 15s2
Retomada 60-120 km/h em 4ª: 19s4
Frenagem 80 a 0 km/h (m): 27,8
Consumo cidade (km/l): 9,0 km/l (etanol)
Consumo estrada (km/l): 12,5 km/l (etanol)
Ruído a 120 km/h em 5ª (dB): 66,9 dB

Volkswagen Fox BlueMotion 4 portas

Aceleração 0-100 km/h: 15s1
Retomada 60-120 km/h em 4ª: 22,1
Frenagem 80 a 0 km/h (m): 27,9 m
Consumo cidade (km/l): 9,6 km/l (etanol)
Consumo estrada (km/l): 13,1 km/l (etanol)
Ruído a 120 km/h em 5ª (dB): 67,9 dB

Ficha técnica

Hyundai HB20 1.0

Motor 3 cilindros, dianteiro, transversal, flex; Cilindrada 998 cm3; Cabeçote 4 válvulas por cilindro; Potência (E) 75 cv a 6.200 rpm; Torque (E) 9,4 mkgf a 4.500 rpm; Câmbio manual, 5 marchas; Tração dianteira; Rodas aço, aro 14”; Suspensão dianteira McPherson; Suspensão traseira eixo de torção; Comprimento 3,90 m; Largura 1,68 m; Altura 1,47 m; Entre-eixos 2,50 m; Porta-malas 300 litros; Peso 953 kg 

Volkswagen Fox BlueMotion 4 portas

Motor 3 cilindros, dianteiro, transversal, flex; Cilindrada 999 cm3; Cabeçote 4 válvulas por cilindro; Potência (E) 82 cv a 6.250 rpm; Torque (E) 10,4 mkgf a 3.000 rpm; Câmbio manual, 5 marchas; Tração dianteira; Rodas aço, aro 14”; Suspensão dianteira McPherson; Suspensão traseira eixo de torção; Comprimento 3,82 m; Largura 1,65 m; Altura 1,54 m; Entre-eixos 2,46 m; Porta-malas 260 litros; Peso 993 kg

Versões Relacionadas