Tentamos domar um F-Type V8 de 550 cv no gelo

JENS DRALLE
Da Alemanha, com WILSON TOUME
24/04/2017 13:57

Clima de festa? Não, nem sombra disso. Há uma certa tensão no ar – vamos aguardar um pouco. Eis que ela se torna visível: uma trilha! Ela parece larga o suficiente para dois carros, mas é melhor não arriscar, já que o coeficiente de atrito da pista coberta de neve e de gelo é praticamente zero. Pois esta trilha hoje é o circuito de Nordschleife (Anel Norte), a variante mais longa da pista de Nürburgring, que se combina com o traçado moderno na disputa das 24 Horas de Nürburgring.

Celebramos o aniversário de Nürburgring com um F-Type no gelo

Estamos nessa verdadeira Meca do automobilismo, local que Sir Jackie Stewart certa vez batizou de “Inferno Verde”, com um Jaguar F-Type R AWD, uma fera que conta com um V8 5.0, capaz de entregar 550 cv, 69,4 mkgf e o fundamental: tração integral permanente!

Há muito silêncio em toda a região. É muito cedo para os praticantes de esportes de inverno e mesmo para as crianças. Em compensação, o sol brilha e a paisagem está muito clara para outros animais que não o Jaguar. O motor superalimentado por compressor pode enviar impressionantes 69,4 mkgf para as rodas traseiras ao mais leve toque no acelerador, mas confiamos que o sistema Intelligent Driveline Dynamics (que gerencia a distribuição de potência às rodas) não vai falhar. A Jaguar, aliás, apregoa que seu sistema consegue “prever” a perda de aderência das rodas traseiras e envia parte da potência para as dianteiras, evitando a perda de controle do carro. Será que conseguimos igualar a marca de Stefan Bellof, o recordista da pista? 

Versão escolhida foi a mais apropriada: V8 R AWD

Estamos brincando, é claro. Mas o motivo principal que nos impede de repetir o feito do piloto alemão é que apenas um quarto da pista (de 20,8 km de extensão) está aberto para nós. Só podemos nos aventurar a partir da curva Schwalbenschwanz, emendando na Galgenkopf e seguindo pela reta Döttinger até a chicane Hohenrain, próxima do ponto onde se localiza o acesso ao traçado moderno. E só.

Acha pouco? Não se preocupe, porque o piso gelado garante emoção de sobra. Estamos na subida, antes da primeira curva à esquerda e o cupê britânico avança elegantemente sobre o terreno branco. É preciso frear e esterçar para contornar a curva e é hora de conferir se o já citado sistema IDD da Jaguar vai se sair tão bem quanto o anunciado. É possível perceber o trabalho da eletrônica, que distribui a força do motor ora para as rodas dianteiras, ora para as traseiras, na tentativa de manter o cupê na posição correta. 

Sistema de tração permite distribuição 50-50 entre os eixos
Sim, é claro que, nessa condição extrema, não se pode deixar o trabalho todo para a eletrônica, e é preciso ajudar efetuando manobras com o volante. Mas as rodas traseiras, equipadas com pneus de inverno 295/30, vão dando conta do recado, mesmo com o já citado baixo índice de aderência. O carro baila como se estivesse acompanhando o ritmo de uma big band dos anos 1950, enquanto o trabalho ao volante parece mais o chacoalhar de um fã de rock pesado.

ICE, ICE, BABY
A traseira do F-Type sempre sacode, mesmo quando chegamos à reta Döttinger, por conta da neve compactada. Em compensação, conseguimos visualizar o parque do outro lado da cerca, o qual deve concentrar as festividades do 90º aniversário do circuito de Nordschleife, previstas para começarem no dia 18 de junho. 

Gelo + 550 cv + Tração AWD = diversão pura ao volante

Um estampido vindo do escapamento me traz de volta à realidade, após uma redução de marcha. Ainda estou na reta e reparo que, apesar dos pneus vencerem a neve, a impressão é que ela volta a ocupar os sulcos da minha trilha assim que o carro se desloca. Deve ser efeito da luz do sol incidindo sobre a pista, é claro. Mas confesso que chego a criar a imagem da neve ganhando vida e engolindo o carro aos poucos em minha imaginação. É engraçado.

Pequenas correções no volante são suficientes para manter o F-Type no rumo certo entre os trechos Antoniusbuche e Tiergarten. Em seguida, vem o trecho mais complicado, repleto de curvas, da Hohenrain até a Hatzenbach. Onde está o gelo? Em vez disso, há uma fina camada de neve. Excelente! É hora de pisar um pouco mais, já que, até aqui, o IDD não nos decepcionou. Vencemos a sequência de curvas de forma perfeita e a vontade é comemorar.

Rodas de 20
 O cupê ruge enquanto quase desliza sobre o gelo da Hatzenbach. Por conta disso, parte da tração é enviada para as rodas dianteiras, proporcionando maior sensação de segurança. Em seguida, vem a Hocheichen, à esquerda, e aproveitamos para acelerar ainda mais, atirando neve para todos os lados com as rodas traseiras e com o deslocamento do escapamento do V8. A comemoração é de Nürburgring, mas a festa é pessoal.

Fazia tempo que não me divertia tanto na neve. A sensação de deslizar a bordo de uma máquina potente como esse Jaguar é espetacular, principalmente por saber que podemos fazer isso sem nos arriscar, nem colocar outra pessoa em perigo. Mesmo assim, a ideia de repetir essa experiência não passa pela minha cabeça. Este templo da velocidade não foi criado para ser usado nessas condições. O que fizemos foi uma exceção, uma grande brincadeira e celebração. Falando nisso, aproveitamos uma pequena pausa no trabalho para uma foto de lembrança com a cidade de Nürburg ao fundo. 

Ao final da brincadeira, só restava gelo cobrindo o F-Type

Voltamos ao início: o “Inferno Verde” foi inaugurado em 1927, após dois anos de construção, ao custo de 8,1 milhões de marcos. Atualmente, Nordschleife conta com 20,8 km de extensão e é utilizado (junto com o traçado novo) na 24 Horas de Nürburgring e em outras provas de torneios locais. No total, existem 174 curvas, sendo que muitas são parecidas, o que acaba confundindo muitos pilotos. É preciso conhecer bem o traçado antes de desafiá-lo. 

Mesmo assim, os aficionados podem se arriscar, já que o autódromo permite a entrada de visitantes (com carros, motos e até trailers). Além disso, é comum a realização de track days (corridas organizados por clubes de aficionados) e desfiles de clássicos. Uma curiosidade: havia também o Anel Sul (Sudschleife), mas a maior parte dele foi demolida para dar lugar ao novo autódromo. O restante virou estrada.    

Ficha técnica do F-Type V8 R AWD

  • Link

0 comentário(s)

Todos os campos são de preenchimento obrigatório
Postar comentário